50 maneiras de se derrubar alguém maior que você

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo jockey

O post de hoje vai ser de utilidade pública e colaborativo. Foi criado ontem, às 15: 30, o seguinte tópico em nosso fórum: “Briga, como sair?”. O autor tem apenas 13 anos, e ele precisa de nossa ajuda, caso de vida ou morte aparentemente. E a tal briga é hoje.

Segue o tópico, reproduzido na íntegra.

--->>>

Salve queridos amigos do fórum!

Possuo 13 anos e tempos atrás eu era um nomeado "nerd", porém, este ano, me retirei deste assunto porque, modestamente, não convém a pessoas da minha cidade prestar prioridade a tal assunto, afinal, seria hipocrisia dizer: "Fodam-se os outros. Sou assim e deu, não vou mudar." pois sempre tem um babaca que vai tirar com a sua cara.

Então, esse ano que eu perdi a vergonha de chegar em meninas e foi que foi. Recentemente estava ficando com uma menina e, por sua vez, havia um indivíduo, Edilson, que a pistolava (ou, subjulgarmente dito, dava encima dela). Fiquei com tanta raiva dele que, intimei ele, mas, para a minha má sorte, ele é grande, popular, "forte" e agora ele quer me pegar.

Virá amanhã, no final da aula, à escola, o Edilson com alguns colegas e vidente isso, estou indignado (ou melhor, com o CÚ apertado (adicionei acento no Ú de CU para adicionar uma certa tonificação.)). Não sei o que fazer, não mesmo, ele está no 2º ano e tem 16 anos.

Realmente não sei o que fazer e minhas alternativas são muito limitadas:

• Ir pra aula, voltar, brigar com ele (pode-se dizer: apanhar);

• Faltar na escola, toda via, minha mãe fará um extenso questionário por qual motivo eu deveria faltar a aula e infelizmente tenho de manter o motivo em sigilo porque se meu pai souber que eu arrumei encrenca por causa de menina, eu estou DEFINITIVAMENTE f-u-d-i-d-o.

Ah, e também tem aquela questão de ser chamado de frango (eu não quero ser chamado disso!);

• Levar um canivete e ameaçar o meu adversário, suposto Edilson, PORÉM, tal ato poderia acarrentar as seguintes consequencias:

○ Por impulso, na hora da raiva, eu acabar esfaqueando o mesmo e, se isso acontecer, vai ser o pior em todas hipóteses (meus pais responderão por mim, irei para um reformatório, minha vida está definitivamente acabada);

○ O adversário poderá ficar com mais raiva ainda e me acertar uma porrada que vai me impedir de sentar por uns tempos (mesmo que a porrada seja em sentido ao nariz);

○ Ele pode simplesmente ignorar o fato do canivete e vir pra cima.

• Tentar conversar: NÃO ADIANTA! Ele não quer conversar, quer tirar um papo de "mano";

• Como sempre tem um filisteu, disseram para o meu adversário que eu queria estragar com a vida da menina (minha ex-ficante) na qual estamos brigando (que não está nem aí se eu apanhar! cachorra desgraçada!!!) e que eu havia dito que ele era um frango (mas por incrível que pareça, eu não falei isso). Então, o gentil garoto desgraçado, cretino, fanfarrão me propôs a condição: "Vais fazer a vida dela um inferno? Vou fazer a sua impossível!". Eae? Eu não falei isso;

• Chamar a polícia. Mas, por que chamar a polícia por causa dessas coisas?

• Li as 10 dicas que tem sobre BRIGAR, no PapoDeHomem e tirei alguns proveitos mas infelizmente, poucas situações são viáveis a minha. :*(

clubedaluta
O pequeno intelectual se meteu numa tremenda confusão!

----------------------------------------------------------------------

Então, além das alternativas ditas acima, tenho algumas dúvidas:

• Se eu acertar uma porrada nele, sem anunciar, como quem não quer nada, ele pode ficar MUITO mais nervoso e pode me fazer chegar a um nível crítico de dor. É certo eu acertar uma porrada nele?

• Correr. Não quero ser chamado de frango. É certo eu correr? (segundo os blumenauenses, correr em uma briga é mais frango que brigar e apanhar);

• Faltar. Faltar na escola. Simplesmente não levantar da cama (isso pode ser ruim, porque me chamarão de frango do mesmo jeito) seria viável?

• Infelizmente eu não tenho amigos comprometedores nesse caso, eles dão sugestões, mas uma me põe em mais risco que a outra. Alguns me ajudam de verdade e só estarão comigo no dia para ver o que vai dar. Eaí?

• Não sei com quantos amigos ele vai. O que fazer? Ah, e segundo ele, os amigos só vão para caso um amigo meu se meta (entenderam, né?);

----------------------------------------------------------------------

Agora, vou deixar algumas coisas claras para os engraçadinhos:

• Eu nunca briguei e nunca fiz uma arte marcial na minha vida. Aliás, já briguei, mas foi com "piás" do meu porte (em termos de estrutura física) e/ou menores;

• Eu NÃO quero apanhar;

• Ele NÃO quer conversar ou tentar resolver na lábia;

• Quando eu fui intimar ele, NÃO SABIA COMO ELE ERA!

----------------------------------------------------------------------

Caso tenha mais alguma coisa, venho a editar. Preciso dessa resposta o quanto antes.

Agradeço a todos que me ajudarem!

Ah, e se NÃO FOREM AJUDAR, NÃO ATRAPLHEM!

Cordialmente,

Guilherme.

<<<---

Taí, pessoal. O duelo já tem hora marcada. Quais dicas vocês – por vocês, entenda-se aqueles com alguma habilidade em brigas na vida real - têm para que nosso jovem combatente tenha alguma chance contra o gigante Edilson Golias?


publicado em 30 de Junho de 2009, 00:51
B014a5f3a0e89f0614d90bf20c9235dc?s=130

Guilherme Nascimento Valadares

Interessado em boas conversas, criar negócios que não se pareçam com negócios e em espaços de transformação. Nessa encruzilhada surgiram o PapodeHomem, o Escribas e o o lugar. No Twitter.

Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há oito anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura