Como fazer, em casa, a metanfetamina do Heisenberg (Breaking Bad)

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo jockey

Na série Breaking Bad, a metanfetamina é, claro, um pano de fundo para uma história bem mais profunda de frustração e drama humano e familiar. Dito isso, é fácil perceber que a glamorizarão da droga pode ser estupidamente assimilada por algumas (ou muitas) pessoas que não percebem o poder negativo e devastador desse resultado químico.

Link Vimeo

Pessoas tão frustradas e perdidas quanto Walter White podem achar o máximo a escalada do protagonista da série no mundo do narcotráfico, da produção da droga quase perfeita (todos se lembram dos 92% de pureza). Se você não se recorda, ao se lembrar da série, do quão pesado pode ser o consumo ou a produção de metanfetamina, por favor, não continue lendo esse post. Se você não faz ideia do que seja a droga que foi motivo de tanto apego em cinco anos de série (ou se simplesmente nunca viu Breaking Bad), lá vai uma explicação inicial.

metanfetamina (MA) é uma droga estimulante do sistema nervoso central (SNC), muito potente e altamente viciante, cujos efeitos se manifestam no sistema nervoso central e periférico. A metanfetamina tem-se vulgarizado como droga de abuso devido aos seus efeitos agradáveis intensos tais como a euforia, aumento do estado de alerta, da auto-estima, do apetite sexual, da percepção das sensações e pela intensificação de emoções. Por outro lado, diminui o apetite, a fadiga e a necessidade de dormir.

Não há uso médico da metanfetamina. Drogas da família das anfetaminas, como o metilfenidato, são usados para tratamento de algumas doenças, como a narcolepsia, e o Transtorno do déficit de atenção com hiperatividade em crianças e adultos. Porém, o potencial de dependência do metilfenidato é muito baixo.

A metanfetamina possui um grande potencial de dependência, e a sua utilização crônica pode conduzir ao aparecimento de comportamentos psicóticos e violentos, além de outros transtornos mentais como depressão, e principalmente, dependência química de díficil tratamento.

Wikipédia

Informações dadas, apenas leitores espertos lendo esse post de final de semana. Vamos em frente.

Vi, por esses dias, uma receita da metanfetamina produzida pelo Walter White, em Breaking Bad, que dá pra fazer em casa. É claro que se trata de um doce, mas que fica com a mesmíssima aparência da Blue Magic da série.

"Primeiro de tudo: ferva meio litro de água"
"Primeiro de tudo: ferva meio litro de água"

"Quando a água estiver meio aquecida, coloque um quilo de açúcar dentro da panela"
"Quando a água estiver meio aquecida, coloque um quilo de açúcar dentro da panela"

"Quando a água engrossar e a superfície começar a ficar amarela, tire-a do fogo"
"Quando a água engrossar e a superfície começar a ficar amarela, tire-a do fogo"

"Derrame qualquer xarope que você quiser. Eu escolhi limão"
"Derrame qualquer xarope que você quiser. Eu escolhi limão"

"Depois disso, coloque algumas gotas de anilina comestível e mexa"
"Depois disso, coloque algumas gotas de anilina comestível e mexa"

Despeje tudo em uma assadeira
Despeje tudo em uma assadeira

"deixe descansar por 4 horas pra ficar tudo bem duro"
"deixe descansar por 4 horas pra ficar tudo bem duro"

"Use um martelo (fica muito mais legal) e quebre-a"
"Use um martelo (fica muito mais legal) e quebre-a"

"Escolha o tamanho que os pedacinhos terão."
"Escolha o tamanho que os pedacinhos terão."

"Coloque tudo em pequenos sacos plásticos. Parece mais real e ilegal"
"Coloque tudo em pequenos sacos plásticos. Parece mais real e ilegal"

"Espero que vocês tenham gostado"
"Espero que vocês tenham gostado"

Leitura Sugerida:


publicado em 20 de Outubro de 2013, 08:00
10593198 731684930200051 6780156370076319432 n

Jader Pires

É escritor e editor do Papo de Homem. Lançou, nesse ano, seu primeiro livro de contos, o Ela Prefere as Uvas Verdes e outras histórias de perdas e encontros.

Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há oito anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura