"Ele presta, só não quer namorar você"

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo jockey

Cansei de contar quantas vezes ouvi uma amiga dizendo que tal cara não prestava porque havia dado um fora nela. Seguindo a regra social mais adequada, eu concordava e tentava sempre inflar o ego da amiga. Quando uma amiga está magoada, não é o melhor momento de jogar a verdade:

"Ele presta, só não te quer."

A mania de falar que um homem não presta, é safado, cafajeste etc, nada mais é que uma forma que nós, mulheres, criamos para arranjar um motivo de ter levado um fora. Não é algo exclusivo das mulheres: os homens também sofrem com isso. Um amigo, recém-saído de um relacionamento onde ele levou um pé na bunda, passa por essa situação atualmente.

Por que o tal cara não presta? Por que não estava afim daquela mulher a ponto de ter um relacionamento com ela? Por que não quer sair da vida de solteira? Ou por que durante o relacionamento, acabou se apaixonando por outra?

Ele pode ser um bom filho, ótimo neto, ajudar uma instituição de caridade, cuidar do meio ambiente, ser educado, gentil e excelente funcionário. Mas ele “não presta” a partir do momento em que fala ou deixa claro que não quer nada conosco.  Ah e ele prestará menos ainda se expor que a única coisa que quer é sexo. Ele simplesmente não tem o direito de mostrar que quer prazer e só isso. Ele precisa fingir que está envolvido emocionalmente quando não está.

Ou, talvez, ele esteja

O homem é um ser humano com prazeres que precisam ser saciados. A mulher também.  Há até não muito tempo atrás, o cara que quisesse recorrer a uma noite de sexo somente para satisfazer uma vontade precisava pagar uma prostituta. A mulher com esta mesma vontade tinha as opções de reprimir-se ou ser chamada de puta pela sociedade.

À medida que a liberdade sexual foi evoluindo, nós mulheres paramos de nos reprimir e eles, os homens, viram que não precisariam mais pagar por sexo. Afinal, eles teriam à disposição mulheres que não estariam transando com eles por obrigação. A vontade e o prazer seriam mútuos. Seria um cenário ideal se, a mesma mulher que não casa mais virgem, parasse de fantasiar uma relação de amor a cada trepada.

O cara que só quer sexo é uma pessoa normal, não é doente e nem maníaco. Ele não te vê apenas como um corpo. Ele sente desejo por você, sabe seu nome e às vezes até mantém uma amizade com você. Quer transar com você. Quer transar também com outras. Ou com outros. Ele não está apaixonado por você e não tente se enganar. Ele também tem sentimentos, sabia? Pode ser que após ter te comido, ele tenha saído na rua e visto uma mulher que o interessou mais.

Na fase dos 20 a 30 anos, homens assim são mais frequentes em nossas vidas.  Auge do corpo e da vida, começo da independência financeira. Sem precisar prestar satisfação aos pais de onde dormiu na noite passada, o homem tem mais liberdade de chamar a mulher que deseja para o seu quarto. E de deixa-la ir embora, sem a obrigação social de ligar no dia seguinte. Você, querida amiga, tem a mesma liberdade, que lhe caiu de graça no colo, mas conquistada com muito esforço pelas gerações anteriores.

Demorei a entender esta questão. Conforme fui tendo mais experiências, conhecendo mais homens e amadurecendo junto com minhas amigas, comecei a compreender melhor.  Eu seria hipócrita se falar que nunca fico com a esperança de que o cara irá querer algo a mais comigo. Quando a química é muito boa quero repeteco sim, mas não obrigo o cara. Se ele quiser, como diriam os mais velhos, o destino irá ajudar.


publicado em 27 de Janeiro de 2013, 07:36
9263cd88416b3abb7abd3a73b5fdb68c?s=130

Porcelana

Hobbies: estudar a mente masculina e ajudar as mulheres a saírem do mundo de faz de conta das comédias românticas hollywoodianas. Uma defensora de comportamentos masculinos não aceitos pelas mulheres, mas que adora mostrar quando sabe mais do que os homens sobre algum assunto.

Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há oito anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura