Garota de Programa serve pra namorar?

Caro Dr. Love, estou tendo um relacionamento com uma garota de programa há uns 2 meses. Ela quer namorar. O que faço?

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo jockey

Pergunta: "Caro Dr. Love,

Estou tendo um relacionamento com uma garota de programa há uns 2 meses. Ela
é linda, tem um corpo maravilhoso e é muito inteligente. Estou curtindo
demais essa relação, e ela também (segundo ela) e na cama é uma
maravilha para ambos.

Mas de uns tempos para cá, ela veio com um papo de que queria algo mais
sério, um namoro. Agora a pergunta, é possível isso ou continuo levando
como está? Tem algum conselho?"

- Alex

Caro Alex,

o relacionamento com uma puta pressupõe uma situação confortável para o homem. Você decide até onde vai se abrir, qual lado de sua personalidade vai expor e como vai conduzir todo o processo, alheio a possíveis julgamentos.

puta
O aviso é claro

Para a puta, temos o inverso, um desconforto latente. Pela falta de cumplicidade, de carinho, de confiança. A única conexão que ela alcança é o seu pau dentro dela, na grande maioria dos casos. A profissão exige um jogo de cintura absurdo e desenvolve nelas a habilidade de lidar e conduzir os homens da maneira mais prazerosa para os mesmos.

Do seu lado, após levar esse relacionamento por 2 meses, novos sentimentos se misturam. O homem não é um ser movido unicamente a sexo, esporradas e cerveja, como alguns estereótipos levam a entender. Além do que, o seu ego está sendo lustrado ao receber esse convite de namoro.

A quantidade de parceiros com que ela transa durante o mês é superior ao número de vezes que você vai ao banheiro cagar. Isso é um elogio e tanto, afinal, alguma coisa você deve estar fazendo bem pra ser "o" escolhido.

Ou não?

Prostitutas são mulheres carentes, com inseguranças profundas e um estilo de vida masoquista. Vivem da própria exposição para conseguir dinheiro. Isso machuca, o pedágio cobrado é caro e cumulativo.

Ela pode ser "mercadoria estragada". É um tipo de mulher que não muda. Pode até ter um bom coração, beleza interior, bla bla bla, mas já fez tanta merda com si mesma e com os outros que não dá mais conta de voltar pros eixos.

Na tentativa de amenizar a pressão, se envolvem com drogas - cocaína, heroína, etc. -, sempre presentes e de fácil acesso, seja vinda da mão de clientes ou do círculo social onde elas estão inseridas. Risco de DSTs? Imagina.

Se envolver com ela significa ignorar todos os avisos de perigo em uma praia infestada de tubarões e mesmo assim ir nadar, porque o mar está lindo e a água quentinha.

Ah, Dr. Love, ela é diferente, ela é tão...

carinha-de-anjo
Homem que se deixa levar por uma carinha de anjo come bosta no café da manhã

Diferente o caralho. Ela para viver. Ela escolheu isso. O fato de ser uma garota articulada só demonstra o quão ciente ela é das consequências desse caminho.

Acorda pra vida, seu teletubbies superdesenvolvido.

Imagine diálogos com casais amigos na mesa de bar:

- Rodrigo, essa é minha nova namorada, a Piriguete da Noite.
- Oi, Piriguete, prazer! Você trabalha com o quê?
- Sou puta.
(...) silêncio na mesa (...)

O relacionamento entre vocês seria no mínimo injusto. Ela, com tudo a ganhar, necessidade e carências supridas. E você, tolhido e confuso num namoro onde todo o peso fica nas suas costas. Melhor dizendo, na sua cabeça. Sendo um pouco mais específico, na sua testa.

Quer comer, vai comendo. Quer mais, procure outra. Ou se torne você também um garoto de programa. Aí vão estar em pé de igualdade.

Dr. Love, consultor amoroso e cachorrão nas horas vagas


publicado em 07 de Fevereiro de 2008, 15:31
92e8d9697a8dd2faf3d0bc4f9d3a08fc?s=130

Dr. Love

Consultor amoroso e cachorrão nas horas vagas.

Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há oito anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura