Meu carro morreu. E agora?

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo jockey

O carro é a máquina mais sentimental do mundo. E em determinado momento de sua vida ele vai demonstrar vontade própria. Situações e atitudes que simplesmente acontecem. Na maioria das vezes, em piores horas.

Então, com o carro parado no meio da estrada, sem saber o que fazer, pra onde correr ou pedir socorro, é o momento certo de demonstrar tranqüilidade, estufar o peito, olhar para o horizonte e dizer: deu m...

"Vamos lá, amigo. Vai! Funciona!"

É sempre no auge da crise e do problema que o homem deixa de pensar no mais simples. Em casos como esse, como a impressionante morte do carro no meio do nada, inúmeras teorias para o acontecimento surgem. Desde boicote do vizinho até a inútil da sua irmã que pegou o carro no final de semana. Não é hora de achar culpado. Mas sim, visar uma solução o mais rápido possível.

O seu carro, a não ser que ele seja um Transformer, não morre por acaso. Você o tratou mal. Então vamos listar motivos a formas de recuperar o veículo em três situações de risco. Do básico ao mais trágico, tudo tem solução. Basta estar preparado na hora que o fato ocorrer. E o principal: ter as informações necessárias de como agir.

Caso 001: acabou a gasolina

Você dirigia tranquilamente quando, do nada, o motor do carro parou de funcionar. O desespero bate conta e você tenta dar partida mais uma vez. Sem sucesso. O mais importante é posicionar o veículo em lugar seguro. Tome todos os cuidados do mundo se for descer para empurrá-lo. Caso você não consiga chegar até o acostamento, utilize o triangulo para anunciar aos outros motoristas que há perigo na pista.

Para ter certeza que a falta de combustível que causou o desligamento do motor – fato passível de multa de acordo com o artigo 180 -, abra a tampa do tanque de combustível e dê uma chacoalhada no carro. Aproxime o ouvido do tanque para perceber algum tipo de barulho do combustível. Se o som for de pouco liquido e um enorme eco, está aí a causa do problema: você não abasteceu o carro.

Ligue para um conhecido que mora próximo do local onde você está e peça socorro. Dependendo de onde você estiver, dois litros de combustível devem ser suficientes para um check point no posto mais próximo.

Caso você tenha certeza que o ponteiro acusava boa quantidade de combustível, atenção. O problema pode ser elétrico ou até de vazamento. Vá imediatamente até uma mecânica de confiança.

Foco. Não entre na oficina com um carro falhando e saia com uma máquina tunada. Pensando bem, por que não?

Caso 002: bateria arriou

Tecnicamente, a bateria do carro não pode arriar com o motor ligado. Tecnicamente. Casos assim existem. Bateria descarregada é uma das mais irritantes dores de cabeça que o veículo pode nos proporcionar. O modo de evitá-la é a de sempre: precaução. Sempre cheque se não deixou o farol ou qualquer luz interna acesos. O mesmo vale para o rádio. Certifique-se de desligar todo e qualquer acessório multimídia do veículo.

Para ter certeza que o problema está na bateria, repare no seu painel quando for girar a chave. Se na ignição o painel mostra-se descontrolado, com os ponteiros do velocímetro tremendo freneticamente e um ruído estranho surgir do capô, bingo. Sua bateria está descarregada. Assim, a saída é chamar aquele amigo gente boa para uma chupeta.

Ah, você entendeu, vai.

Chupeta é uma opção melhor que fazer o carro pegar no tranco, pois não o danifica. Trata-se basicamente de uma gambiarra. Com cabos adequados, você vai ligar sua bateria na bateria de outro carro. O carro que vai transferir a energia precisa estar ligado para acionar a bateria descarregada. Tente dar partida cinco vezes. Se não funcionar, a única solução é a troca.

Independente se funcionar com a chupeta ou não, o mais indicado é fazer a modificação o quanto antes. Uma vez arriada, a bateria está sujeita te deixar na mão outras vezes.

"Loja de baterias mais próxima? Ah...só seguir aqui. Três dias de caminhada e você tá lá"

Caso 003: motor ferveu

O motor do carro pode superaquecer a qualquer momento. Para que isso não acontece, esteja atento ao medidor de temperatura. Especialmente em dias de muito calor e em congestionamentos. Caso o ponteiro aponte estar acima do nível tolerável, desligue o carro imediatamente, abre o capô, dê um tempo e confira se há água no radiador.

Jamais remova a tampa do radiador de imediato. Isso pode render uma queimadura muito séria na mão. Não coloque água fria no motor, pois o choque térmico pode causar um problema ainda maior. Verifique se há algum vazamento no tanque de arrefecimento. Esteja atento a esse tanque, ele é essencial para o bom funcionamento do carro.

Existe uma série de fatos que podem ferver o motor. Uma delas é a perda do liquido de arrefecimentos, algo que ocorre quando há um vazamento na mangueira ou no radiador. Problemas na bomba de água, na correia da ventoinha e no termostato também podem render danos ao motor e esquentá-lo.

Caso o motor tenha fervido com o suficiente de liquido no tanque de arrefecimento, red flag. O problema pode ser mais serio que você imaginava. Não invente e chame um mecânico.

Ter um carro não é qualquer coisa simples. Uma vez concretizado esse casamento, é preciso responsabilidade. Muito cuidado antes de fazer viagens longas e em períodos de clima quente. Tirar algumas horas do final de semana para pesquisar e praticar observações na mecânica do veículo não é perda de tempo, mas sim investimento na sua futura tranquilidade.

Lembre-se de respeitar os períodos de revisão e ter sempre em mãos contatos de mecânicas, auto-elétricas e de um amigo gente boa. Pesquise, informe-se, saiba o que é melhor para o seu carro.

Ele agradece. E não vacila.

Oferecimento: Mobil 1

Você vai trocar o óleo. E, se der sorte, acaba trocando de carro.

Mobil 1 é ideal para motores de alto desempenho e motoristas que gostam de andar bem. Por isso, troque seu óleo por Mobil 1 e concorra a um Mercedes C180. E na compra de 4 litros, você ganha na hora um Pen Drive exclusivo. Corra.

Clique aqui e cadastre-se na promoção Mobil 1.


publicado em 20 de Julho de 2011, 05:02
19581da5309f4bccfce7cdb85db3a237?s=130

Fred Fagundes

Fred Fagundes é gremista, gaúcho e bagual reprodutor. Já foi office boy, operador de CPD e diagramador de jornal. Considera futebol cultura. É maragato, jornalista e dono das melhores vagas em estacionamentos. Autor do "Top10Basf". Twitter: @fagundes.

Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há oito anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura