O fim do Google Reader: nada como um novo amor pra esquecer o antigo amor

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo jockey

Quando aconteceu a primeira vez eu fiquei um tanto puto. Fechei a cara, não queria conversa, sumi por um tempo. Quase fiz uma loucura. Os dias foram passando e, com a cabeça mais fria, eu pensei melhor e vi que eu estava exagerando um pouco.

Foi só sexo... não rolou sentimento. Eu ainda era seu amado. Claro que era.

Perdoei.

Mas semana passada o meu maior pavor se tornou realidade. Eu fui abandonado. Traído, passado para trás, jogado fora, sem dó. E não pense que rolou DR, que foi explicado ou coisa do tipo.  Foi apenas um “Eu não te amo mais. Estou indo embora. Mando alguém pegar o resto das minhas coisas até o meio do ano”.

“Mas... por quê?”, indaguei espantado.

E antes de bater a porta e sair para nunca mais voltar, a resposta que recebi foi “Porque foda-se você. Por isso.”

...

Acabou o Google Reader

No dia 13 deste mês de março do ano de 2013, o todo poderoso Google anunciou que o Google Reader seria ‘aposentado’. Assim mesmo, com areia e sem dó. Disseram que estão numa vibe mais intimista agora, querem trabalhar com poucos produtos para melhorarem a experiência para o usuário.

Fala sério, você acredita nessa conversa fiada? Eles dizem também que o uso do Google Reader caiu. É óbvio que caiu, vocês tiraram o recurso mais legal do produto! Você não simplesmente seguia seus sites preferidos, você seguia pessoas. E o Google simplesmente arrancou isso de você.

Nós perdoamos. Pensamos que o Google+ substituiria e seria tudo como sempre foi. Só que não. É a cegueira tão comum àqueles que amam. E como nós amamos o nosso Reader e nossos feeds. Talvez esse papo não faça o menor sentido para você, que nunca assinou um feed na vida.

Mas quem é usuário sabe o que eu estou falando, sabe como será perder o principal fornecedor da nossa droga.

Para mim a culpa é do novo queridinho do Google, aquele óculos idiota – ou do Papa. Todas as fotos que vi de alguém usando essa coisa -- que será de longe a pior invenção humana depois do relógio digital -- me despertou uma vontade louca de arrancá-la no tapa. Quando Google Glass for lançado, chegaremos ao fundo do poço.

Como todo bom marido traído eu tenho a vã esperança de que tudo não tenha passado de um mal entendido e que tudo voltará a ser como antes. Não pense que eu sou o único ultrajado, ou que eu estou de mimimi. Tem muita gente revoltada com a situação.

Para provar que eu não estou aqui para reclamar -- se a intenção fosse essa eu faria uns vídeos no Youtube, não textos -- eu lhes trago a solução.

Acabou Chorare

!

Depois de alguns dias de negação, de profunda tristeza e pesar pelo abandono, alguns começam a se mexer, já olha prum rabo de saia ali, uma covinha sexy lá... daí para sair da caverna e ver o mundo aqui fora é um pulo.

Apesar de estar em fase de transição e me acostumando ainda (foi uma separação traumática e recente) eu já estou experimentando. Pode ser um tanto prematuro, mas acho que já temos um ótimo candidato a substituto, o bonitinho e indie feedly.

Nota do autor: Vou me ater a falar apenas do feedly por três motivos:

1. Nenhum outro candidato chegou perto de ser bom como ele. Sim, isso inclui o TheOldReader e o Flipboard;
2. TheOldReader (apesar de ter a função de seguir pessoas) deve estar fazendo o upload das minhas assinaturas até hoje;
3. TheOldReader não tem aplicativo para plataformas móveis.

Por que eu escolhi o feedly?

0. Porque ele vai fazer tudo por mim

A ferramenta vai fazer toda a tarefa, sem você perceber, de exportar todo o seu feed permanentemente até o fim do G. Reader.

1. Porque ele é multiplataforma

Esse é um ponto primordial para mim. O fato de existir um aplicativo para minhas iCoisas (tem pra Android também) já foi fator decisivo. Eu raramente leio feeds no computador, talvez eu o use assim apenas na agência, entre um job e outro. Sou heavyuser mesmo é no iPad, em qualquer canto do meu apartamento e em qualquer hora.

Não durmo sem antes zerar o 9gag. Além do mais, é uma mão na roda o aplicativo para o celular nas andanças de ônibus.

2. Porque foi fácil, simples e rápido

Bom, em menos de dois minutos eu já tinha todos os meus feeds prontinhos para ler. E eles garantem que é só fazer o login com sua conta do Google que já estará tudo pronto, você pode relaxar que no dia primeiro de Julho (dia em que o Reader irá se aposentar) tudo estará funcionando perfeitamente. Até os posts salvos como "itens com estrela" são exportados também, na bela opção "Saved for Later" (facinho de achar).

Gastei coisa de mais um minuto para uma mexida nas configurações para deixá-lo quase como era o meu GReader.

Ps.: Vale lembrar aqui que ainda é tudo em inglês. Se você não domina, não se preocupe, a interface é bem amigável e simples.

3. É lindo!

Veja você mesmo como ficaram os meus feeds:

Beleza

O design dos apps para iPhone e iPad são mais lindos ainda.

Ponto Negativo

Não existe o saudoso recurso de seguir pessoas. Ainda.

Obs. importante: o Feedly não é uma página, mas sim um addon, um aplicativo, mas é bem leve pra usar tanto no Chrome quanto nos devices.

Agora que temos um novo amor, há que saber cuidar dos feeds

Já que você está para começar um novo romance, que tal dar uma arrumada na casa? Dar uma olhada em baixo do tapete, dar um tapa nas teias de aranha e mudar os móveis de lugar sempre dá uma sensação boa.

Como eu quase não gosto de dar dicas sobre como organizar coisas, vou deixar 5 dicas para você nunca mais lembrar daquela vadia...

... digo, 5 dicas imperdíveis para a organização dos seus feeds:

1. Leia só o que você vai ler. Parece bobo, mas não é

De uma passada na sua lista de feeds assinados e marque aqueles em que você faz questão de ler pelo menos 80% das vezes em que abre o leitor. Delete todos os que não foram marcados, sem dó. Não pense duas vezes, e acredite em mim, não vão fazer falta.

2. Fode direito ou assume a punheta

Escolha uma: Não me importo com o número de feeds não lidos ou não tenho medo de usar o botão “marcar tudo como lido”. É sério, escolha uma. Se você não escolher você vai pirar. Eu desencanei pelo simples fato de não conseguir seguir a minha própria dica número 1 a risca. Como não faz falta eu não leio e de vez em quando marco tudo como lido.

Outros eu deixo acumular mesmo, porque sei que só em determinado momento eu vou ver.

3. Tenha pastas, temas, assuntos

Faça um favor pra você mesmo e divida seus feeds por pastas nomeadas com seus temas preferidos. Eu fiz isso há tanto tempo que nem lembro mais como é ter só uma lista à moda caralha. Você pode ver na imagem ali de como ficaram meus novos feeds para ver como eu dividi. É bem simples e ajuda inacreditavelmente na hora de achar e ler o que você quer de fato ler.

4. Peça ajuda e opte sempre pelo frescor

Se você está um pouco cansado dos seus feeds, peça alguém para indicar bons blogs, tumblrs e afins para você. Mais da metade dos meus foram assinados assim, na base da indicação.

É sempre bom dar uma renovada no seu estoque. Deletar aquele blog que o conteúdo já não te agrada mais. Não delete os que não atualizam mas que você gosta tanto. Vai que um dia aparece conteúdo novo? Ele não atrapalha em nada ficando lá.

Os leitores do meu blog sabem o que eu estou falando. Todos os três.

5. Compartilhe!

Eu sei que ficou mais chato e mais oneroso compartilhar feeds desde que o Google matou o recurso sensacional de seguir pessoas. Mas não deixe de compartilhar.

No feedly é tão fácil quanto antes compartilhar, aproveite isso. O bacana de ver tanta coisa legal é poder compartilhar e comentar sobre o que você vê e lê.

"Hey! Cê leu aquele texto do Pedro Américo falando sobre um ótimo substituto do G. Reader? Leu? Muito bem! Baita artigo, né? Eu também gostei muito!"

***

Espero ter ajudado você a superar esse momento difícil. Quero deixar aqui o espaço para você que está sofrendo falar sobre o seu antigo relacionamento, e o que você espera para o futuro.


publicado em 22 de Março de 2013, 21:00
28d2dc073d6cdf08302c0ed5fa15db8a?s=130

Pedro Turambar

Pedro tinha 25 anos e já foi publicitário. Ganha a vida fazendo layouts, sonha em poder continuar escrevendo e, quem sabe, ganhar algum dinheiro com isso. Fundou o blog O Crepúsculo e tem que aguentar as piadinhas até hoje. No Twitter, atende por @pedroturambar.

Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há oito anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura