Pega no meu (cabelo) e balança

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo jockey

Macho que é macho não liga pra roupa. Macho que é macho não liga pra cabelo. Macho que é macho arrota-peida-cospe e é um espécime vindo diretamente da pré-história para a mesa de boteco mais suja que você encontrar. Caso você já tenha saído das cavernas para a sociedade, sabe a importância de ter uma boa imagem.

Estética não possui função apenas de vaidade, afinal a maneira que você se trata diz muito sobre você. Cabelo é a moldura do rosto, transmite uma mensagem. Eu mesma usei o cabelo vermelho-Bozo um tempão, quando era gótica, que não fazia sucesso nenhum além das paredes pretas das boates Joy Division que frequentava. Depois, passei para o castanho, comprido e liso. Aí, colegas, eu virei uma verdadeira Playmate. Acho que foi a época que eu mais passei o rodo na minha vida.

Enjoada da imagem ultra feminina, passei pra um curtinho arrojado, mais negro que a asa da graúna, uma coisa meio Liza Minneli no cabaret, que é como mantenho até hoje por questões práticas (a.k.a uma puta preguiça de fazer chapinha todo dia naquele monte de cabelo). É com pesar que faço uma constatação óbvia: eles gostam mesmo é de um cabelão. É sexy e feminino, duas qualidades altamente valorizadas pelos rapazes. Eu vejo na pele a diferença que um mero cabelo feminino faz.

E nós, seres uterinos? Gostamos de quê? É dos carecas que elas gostam mais? Então como sucede que o Jimmy Hendrix, com aquela juba toda, tenha comido mais de 1275 mulheres? E não venha me falar “mimimi, foi pelo dinheiro” porque se fosse só isso, Kaká não tinha casado virgem (cof cof), né?

Antes de prosseguir esse post, faça uma pausa para ir ao espelho e olhar o seu cabelo. Olhou bem? Reparou bem? Ótimo. Agora pega lá um suquinho de maracujá e aproveite para ler a verdade sobre o que o seu cabelo realmente diz sobre você. Aqui não tem papas na língua. Caso você não goste do que leu sobre o seu corte ou estilo, antes de ir aos comentários me xingar, vá a um bom cabeleireiro e dê-se um trato. Aí conversamos, ok?

1. O carecão malvado

Eles não são as estrelas dos melhores filmes de ação à toa...

Grandes chances do cara ser... forte, viril, esportista, com um senso prático apurado e uma boa pegada.

Nota pessoal: A++

Sério mesmo: se você tem um corpo quadrado, uns musculinhos mais saltados e um rosto forte, por favor, raspe a cabeça. Não importa sua cor, não importa sua religião, não importa as músicas que você escuta. Não sei bem se é dos carecas que elas gostam mais, mas eu sou completamente louca por esse estilo de homem. Malvado, forte, tatuado e cabeça raspada. Apesar da desvantagem de eles (normalmente) não serem muito românticos nem carinhosos – o senso prático parece que bloqueia as bichices que as mulheres tanto gostam – eu acho esse estilo um dos mais tesões da vida.

Deve ser porque tenho uma paixão enrustida pelo John McClane desde o primeiro Die Hard. Se bem que nos três primeiros filmes ele tava mais pra wannabe careca; e eis aí uma boa dica pra você que tá ficando calvo: ao invés de se complexar e disfarçar das maneiras mais constrangedoras (peruca, penteados duvidosos, sprays, tintas e afins), vá malhar e raspe de uma vez a cabeça. Agradeça-me depois.

Esse tipo de cabelo é o auge da virilidade, exatamente o oposto do...

2. Franjudo sensível

choose your destiny

Grandes chances do cara ser... gaydacu ou emo, .

Nota pessoal: C

Eu confesso que é charmoso, dependendo do conjunto da obra.

Entretanto, tal estilo está irrevogavelmente associado aos emos. Eu até gosto de homem com franja, mas essa lisa-escorrida que começa na esquerda e cai pra direita, tampando metade do rosto (e um lindo olho azul no exemplo dado acima) no meio do caminho é de lascar.

Bagunça essa coisa, rapaz! Vai ter o cabelo mais arrumado que o meu lá na esquina.

Dá um ar misterioso? Não. Dá um ar meio fresco, isso sim. Dá um ar charmoso? Talvez. Na dúvida, caso você não seja um astro teen ou um rock star, faça um favor a si mesmo: desalinha essa franja, deixa o cabelo crescer mais um pouco e junte-se aos...

3. Semi-cabeludos

Grandes chances do cara ser... descontraído, bem-informado, engraçado, do tipo que não gosta de brigas, possivelmente um gosto musical bom com um pé no rock.

Nota pessoal: A++

Apesar de serem muito mal representados pelo Fiuk, os semi-cabeludos, juntamente com os carecões malvados, são os meus favoritos. Os carecões me ganham porque adoro um mal-feito, os semi-cabeludos exatamente pelo oposto. Esse cabelo dá um ar de quem não quer confusão nem complicação, quer só sentar com os amigos, ouvir uma música boa, dar umas risadas e ficar do lado de uma mina tranqüila, sem paixões fumegantes ou DRs intermináveis. É um típico boa-praça. Se for ex-baterista do Nirvana, então... me chama que eu vou, benzinho.

A desvantagem é que só cai bem em quem tem a genética capilar muito boa, senão você corre o risco de ser confundido com um dos Jackson Five. A vantagem é que até desarrumado fica lindo. Só tem dois únicos cuidados essenciais, a saber: manter limpo (ninguém merece cabelo grande e seboso) e manter a juba aparada, senão você cai no estilo dos...

4. Cabeludos-roots

Grandes chances do cara ser... Metaleiro_\\;;/

Nota pessoal: B+

Ah, os metaleiros... Lembro-me bem da época em que eu só namorava cabeludos, e aí nos beijávamos freneticamente ao som de Obituary, Dark Funeral, Cradle of Filth, Slayer, Behemot e outras bandas que invocavam os defuntos das chamas dos infernos. Uma coisa que aprendi é que, apesar da postura de maus, os cabeludos são bem bonzinhos quando se apaixonam.

Cabeludos não são populares, nem os pegadores da turma, e menos ainda aqueles caras por quem as mulheres babam e suspiram. Esse tipo de reação as antas guardam para os arrepiadinhos, nosso próximo tópico. Por isso, quando os cabeludos estão juntos de uma mina gata e gente boa, tendem a tratá-la com um zelo ímpar. Esse monte de cabelo me passa uma atmosfera meio adolescentelóide, mas minha experiência com os (inúmeros e incontáveis) cabeludos que pontuam a minha vida são muito boas, num quadro geral.

Bem o oposto do gênero...

5. Arrepiadinho com gelzinho ou pomadinha

Grandes chances do cara ser... vaidoso, senso comum, meio chato.

Nota pessoal: F

Dá tédio por ser um penteado comum demais. Pra mim, é cabelo de playboy, daquele tipo que passa horas se arrumando e mais horas ainda ajeitando cada fiapinho do arrepiado. É claro que eu não vou julgar um homem por suas roupas, e muito menos por seu cabelo, mas repare que, numa tribo de playboys bombadinhos de balada, sua grande maioria possui o cabelo ereto (talvez para compensar outras coisas que não ficam eretas com tanta facilidade).

E mais irritante: eles passam o tempo todo ajeitando a porra do cabelo. O pior é que você não pode dar uma pegada daquelas nesse tipo de homem, daquelas de roçar isso n’aquilo e dar uma puxada no cabelo dele porque ele dá pití a lá “Não mexa, não toque nesse meu cabelo”.

Normalmente, é o típico cabelo dos bonitões, pelos quais as mulheres suspiram e se jogam dentro de seus carros. Porém, a minha experiência com esses cabelomaníacos não é das melhores, se resume a carinhas chatos e clichês. Como eu disse, nem todo homem que usa esse cabelo se encaixa nessa descrição. O cara pode ser gente finíssima e usar o espetadinho com gel, mas mesmo assim não gosto por achar pouco criativo.

Se é pra usar o cabelo pra cima, opte pelo...

6. Topete rockabilly (costeletas opcionais)

Grandes chances do cara ser... divertido e festeiro.

Nota pessoal: B+

Apesar de lindo, estiloso e másculo, não é um cabelo tão versátil assim. Se você opta pelo topete rockabilly tem que ter todo um estilo que combine com o penteado, senão o cabelo destoa e você corre o risco de cair no ridículo. Entretanto, vale arriscar, já que Elvis não foi o maior sex symbol à toa. Não me pergunte porquê, mas a mulherada adora esse estilo. Nunca conheci uma que falasse “eca” ou “não curto” ao tópico rockabilly boys, e mesmo assim eles não são rapazes que saem de casa pensando em pegar geral.

A minha experiência com esse tipo de topetudos sempre foi muito boa. Por serem apreciadores de uma cultura dos anos 50-60, costumam tratar as mulheres como verdadeiras damas. E como são bons dançarinos de twist, sabem se mexer muito bem em... outras ocasiões, heh.

Você pode até não ser do rockabilly, mas faz um topete desse pra ver se não faz sucesso. Só não se dá bem se for a praga do...

7. Sujismundo, seboso, com caspa

Nota pessoal: F-

Grandes chances do cara ser... nojento. Eca. Mil vezes eca.

Você pode ter o cabelo que for, mas pelamordedeus, mantenha ele limpinho e cheiroso. Se o seu cabelo está sujo, não quero nem imaginar o estado da sua cueca. Caspa, então... é um negócio tão simples de cuidar, basta usar o shampoo adequado. Tudo bem que é uma doença até comum, mas visivelmente é feio, e não cuidar passa uma impressão de desleixo e má higiene. Vá comprar um shampoo bom ontem e aí sim escolha o penteado que mais lhe agradar.

Estilo e atitude, existe relação?

The clothes do not make the man” é um provérbio inglês bem popular. Concordo em partes. Nem roupas e nem cabelo fazem um homem, mas transmitem uma mensagem. A intenção do post não é rotular nem categorizar ninguém, apenas mostrar em linhas gerais certas imagens associadas a estilos capilares. Faltou bastante coisa ainda, como os rastafáris, os cabelos coloridos, dread locks, mas preferi ficar nos mais comuns mesmo.

E você, que estilo usa?

E as mulheres? Quais suas notas para os estilos acima? Quais outros vocês curtem? Tais estereótipos procedem?

--

Oferecimento: Kérastase Homme Capital Force

A primeira linha masculina com Système Taurine® previne a queda capilar e combate seus agravantes.
Os produto são vendidos nos melhores salões e podem ser usados junto com o corte ou em casa. Procure por um salão e experimente.


publicado em 29 de Março de 2011, 07:31
D63394959f877b8ee4c093d1bacb75b2?s=130

Bel

Paradoxal, crítica, chata, bebum, adepta do hedonismo e misantropia.\r\nMas é uma boa pessoa. No Twitter: @lemonndrop.

Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há oito anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura