Poker tells: sobre expressões corporais, blefes e disfarces

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo jockey

Salve, leitores PdH! Esta é a coluna inaugural da nova parceria entre o PapodeHomem e a edição brasileira da Bluff, a maior revista de poker do mundo, que chega às bancas brasileiras no começo do próximo mês.

Nesta coluna vamos trazer informações do mundo do poker aplicadas à vida dos leitores, sempre de forma divertida e com muita informação interessante para aqueles que já se iniciaram no jogo e para os que querem dar os primeiros tiros.

Sou Guilherme Kalil, um dos sócios da Bluff Brasil, apresentador do maior podcast de poker do país (PokerCast) e jogador regular em diversos torneios e cash games pelo país, patrocinado pelo site 4 Bet ao longo do ano de 2010, durante o qual corri todo o circuito nacional.

Minta para mim

Vários de vocês devem conhecer a série Lie to Me, exibida no Brasil pelo canal Fox, inspirada no trabalho do psicólogo Paul Ekman. O mote é simples: o cientista Cal Lightman lidera uma equipe de especialistas em detectar mentiras por meio da análise de expressões e gestos das pessoas.

"Vamos ver quem pisca primeiro."

Essa ciência, aplicável em diversos campos da nossa vida, toma uma enorme proporção em uma mesa de poker, onde é necessário tentar decifrar com quais cartas o adversário toma uma decisão qualquer. No poker, tais reações físicas são chamadas de tells e são usadas frequentemente por jogadores da modalidade ao vivo.

Tells são reações físicas não intencionais que os jogadores apresentam ao receber suas cartas, ver um flop (primeiras três cartas comunitárias abertas em um jogo de Texas Hold'em), ver uma aposta ou ouvir o comentário de um adversário. Elas podem durar milésimos de segundos, mas o olho treinado de um jogador consegue detectá-las numa mesa de poker, numa reunião de negócios ou numa paquera.

Se fosse perguntado a qualquer jogador do mundo o que tornaria o jogo dele perfeito, a resposta provavelmente seria: “Visão de raio-X para ver as cartas do meu adversário”. Pois bem, como não há jogador com superpoderes, o que pode ser feito para se aproximar o máximo disso é estimar uma gama de mãos com as quais o adversário pagaria ou aumentaria uma aposta. A melhor forma de fazer isso é por meio de padrões de apostas e da leitura de tells.

Os tells não podem ser disfarçados?

Com muito treino, os tells podem, sim, ser reduzidos. Mas pouquíssimos jogadores estão isentos de demonstrar sua satisfação ou descontentamento com um novo fato no jogo. É por isso que muitos jogadores usam óculos escuros, capuz ou cobrem parte do rosto com as mãos. Não, não fazemos isso para ficar com cara de mau nas fotos.

Todo jogador tem os mesmos tells?

Definitivamente, não. Alguns tremem as mãos quando têm cartas muito boas, outros tremem por natureza. Há ainda casos raros de jogadores que tremem as mãos quando estão blefando. Às vezes vemos as veias pulsando no pescoço de alguns jogadores – que geralmente significa boas cartas, mas isso também pode significar que estão contando uma mentirinha.

O importante é observar o adversário por um tempo razoável para saber se aquele bater ininterrupto do pé é sinal de júbilo com a mão que recebeu ou de impaciência com a escassez de boas cartas.

Às vezes é difícil prestar atenção nos tells dos adversários.

Quais os tells mais comuns e como decifrá-los?

A resposta mais honesta que o sistema nervoso dá acontece dentro do segundo imediatamente após a recepção de uma informação. Por isso, uma das maiores revoluções que aconteceram no meu jogo se deu no momento em que eu parei de olhar para o flop na hora da abertura e passei a observar a reação dos meus adversários às cartas trazidas por ele.

O comportamento padrão entre os iniciantes é demonstrar fraqueza quando se tem uma mão boa e força quando a mão é ruim. À medida que os jogadores evoluem é necessário aprofundar a observação, procurando por tells que muitas vezes não são tão óbvios.

Os tells mais comuns são:

Mãos tremendo: Na maioria dos casos o adversário apresenta esse tell quando tem um jogo muito bom. O momento mais fácil de fazer essa observação é quando o adversário está fazendo sua aposta.

Olhar para as próprias cartas imediatamente após o flop: Imagine um flop com três cartas de um naipe. Um dos jogadores imediatamente olha suas cartas. Geralmente ele olha para conferir o naipe de suas cartas. Observe suas atitudes após essa conferida e aja de acordo.

Olhar para as fichas ou levar a mão até elas após o flop: Essa é clássica! Quando imediatamente após o flop um jogador tem uma dessas reações, em geral é hora de fugir. Jogadores pouco experientes em jogos ao vivo costumam fazer isso com mãos fortes.

Distância da mesa: É comum um jogador aproximar seu torso da mesa quando gosta de suas cartas. Por outro lado, muitas vezes, quando um jogador não gosta do que viu, ele se afasta da mesa.

Silêncio imediato: Seu adversário está no meio de uma conversa e, de repente, ao ver o flop, ele se cala e congela. Cuidado. Geralmente este jogador tem um bom jogo.

Padrão de apostas: Alguns jogadores apostam forte quando estão blefando e pouco quando têm cartas excelentes. Outros fazem o inverso. Esta é uma informação que pode ser excepcionalmente lucrativa contra um adversário específico.

Vídeo com um belo exemplo de tell

Um dos maiores profissionais brasileiros de poker e nosso único campeão mundial, o curitibano Alexandre Gomes, em uma linda mão jogada no PCA (PokerStars Caribbean Adventure) de 2009, nos dá um ótimo exemplo de tell:

Link YouTube

Vi o vídeo ao lado de uma pessoa que, além de conhecer muito o Alê, estava na plateia assistindo à mão ao vivo. Essa pessoa me confidenciou que no momento em que o adversário pede a contagem das fichas e o brasileiro responde com a testa apoiada em sua mão, já tinha certeza de que Gomes não perdia mais (3m38s no vídeo).

Como revelar o mínimo possível?

De acordo com o maior especialista em tells na atualidade, o ex-agente do FBI Joe Navarro, que interrogou suspeitos por 25 anos, a melhor maneira de esconder os seus tells é:


  • sentar-se confortavelmente,

  • usar óculos escuros grandes,

  • manter os cotovelos encostados na mesa

  • e as mãos juntas tapando a boca e, de quebra, as veias do pescoço.

"E aí, consegue descobrir meu jogo?"

Entender os tells exige muito treinamento, claro. Ainda assim, com esse pequeno guia já é possível conseguir mais informações sobre as cartas dos parceiros, o grau de satisfação do seu chefe com o relatório feito às pressas e o quanto a gatinha está interessada no seu papo sobre como você é sensível à linguagem corporal alheia.

No entanto, lembre-se: tells são como gosto, cada um tem o seu.

Mais informações:

* Se você quer avançar em suas habilidades no poker, saiba que a Bluff está com uma promoção matadora para os primeiros assinantes: "Os primeiros 30 assinantes da revista ganharão uma assinatura pelo resto da vida. Isso mesmo, vão receber a Bluff Brasil em casa sem precisar de renovar a assinatura nunca mais".


publicado em 15 de Fevereiro de 2011, 11:03
A1101bf7d5b8382363b0cb45b3d40d56?s=130

Guilherme Kalil

É narrador do programa Poker Show na rede BhNews e continua viciado em Coca Zero.

Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há oito anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura