S.O.S. - Sexo Oral Sensacional (leitura para homens desatentos)

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo jockey

Atualmente, tanto na Internet quanto em revistas, é possível encontrar uma variedade de dicas de como incrementar, acertar e agradar a rapaziada no sexo oral. As mais ligadas saem em busca de testar todas as informações que encontram. Porém, quando é a nossa vez... ficamos muitas vezes a ver navios. Por que é tão difícil encontrar dicas de como agradar uma mulher?

Será que todos os homens já sabem ou aprendem tão rápido? Não. Acho que 11 entre 10 amigas minhas já reclamaram de algum “fracassado”. A gente até tenta guiar sem cortar o clima, mas se o cara não demonstra aprender vai rodar da lista, ou quem sabe num futuro próximo ser traído (vide texto “Por que as mulheres traem?”).

Considerando que a PdH é voltada ao público masculino, achei que seria ótimo ver por aqui um guia de utilidade pública sobre sexo oral nas mulheres – escrito por uma.

Sim, a mulher realmente é um ser complexo e assim também será fazê-la sentir prazer, ou seja, não dá pra mecanizar muito como agradar a moça. Entretanto, a boa notícia é que algumas dicas básicas evitam o erro e fazem toda a diferença. Sem mais delongas, vamos a elas.

As preliminares às preliminares

pato-lambendo
Digamos que esse não é o melhor jeito de treinar...

Todo bom sexo começa com uma boa preliminar e nela está contido o sexo oral. Mas pare! Sexo oral também precisa de preliminar, então não salte logo e caia de boca (ou mão) no clitóris da mulher. Antes de ir direto, comece nos aquecendo, acaricie o pescoço, nuca, costas, mamilos, barriga, coxas... Enfim, explore outras zonas erógenas. Vale usar a língua (e como vale!). Aqui criatividade não tem limite. Mas, por favor, deixem o clitóris para o final.

Conduza-nos à posição de combate: deitada de barriga pra cima (com leve apoio nas costas ou no bumbum, se preferir). É claro que variações – como em pé, de quatro e 69 – também são bem-vindas, mas essa definitivamente é a mais confortável.

Brinque um pouco com nossas expectativas: beije a vagina quando ainda estivermos com calcinha, morda a alça da mesma e comece a tirar (mas não tire), beije a virilha, a parte interna das coxas, vá tirando a calcinha lentamente, beijando e explorando delicadamente a região.

Para um trabalho digno

ritmo-carnaval-rainha-bateria
"Ritmo é a palavra. Por que você acha que a gente dança do lado da bateria?

"

Quando chegar à área genital, passe a língua suavemente por toda a sua extensão, a partir da base da vagina, mas por cima, sem meter a língua por dentro e, então, comece a beijar (como se estivesse lidando com uma boca mesmo, não com uma bochecha) toda a área e os grandes lábios. Faça círculos, oitos e espirais com a ponta da língua. Com suavidade, sempre.

Observe os movimentos que nós mulheres fazemos com o corpo. Ser for bom observador, certamente será um bom amante. Se começarmos a nos mexermos e nos esticarmos tentando aproximar sua língua pra onde desejamos, ou seja, dentro dos grandes lábios, você está no caminho certo, do contrário, faremos movimentos de repulsa, tentado nos afastar. Faça-nos viajar nesse prazer e a querer implorar pra que você nos explore ainda mais. Lembrando que nem sempre isso vem verbalmente!

Quando estivermos nesse ponto, é hora do ataque. Uma dica é colocar os lábios no topo da fenda e com a língua fazer um movimento ascendente, internamente. Outra variante é começar da base até o topo da fenda. Toque suavemente toda a região interna, lambendo os grandes lábios, o clitóris e a entrada da vagina. Use não só a sua língua, mas também os seus lábios – isto diferencia um bom sexo oral dos demais.

A zona genital da mulher é uma região muito sensível, um toque mais bruto pode causar desconforto e não prazer. Não morda essa zona, ou tente agarrá-la ou apertá-la brutalmente. Se for usar sucção, seja bem sutil e suave.

Faça movimentos suaves e ritmados. O primeiro toque do clitóris deve ser bem delicado – por favor, cuidado com os dentes. Depois de localizá-lo efetivamente, dedique-se lambendo devagar e aumentado um pouco a pressão de forma progressiva, mas sem pressionar muito.

Com as mãos, afaste delicadamente as bordas dos grandes lábios para expor mais a região – essa afastada, quando delicada, traz uma sensação muito gostosa – e vá aumentando a velocidade e a pressão sobre o clitóris. Sempre observe as reações da mulher pois aqui nos diferenciamos muito: umas gostam de movimento rápido apenas quando estiverem a ponto de gozar, outras preferem sempre um ritmo mais lento ou sempre um andamento mais rápido.

Quando o orgasmo estiver se aproximando, a mulher vai dar sinais. Geralmente movimentamos o quadril pra frente e pra cima e, claro, os gemidos ou respiração se intensificam. Se não quiser parar e decidir ir até o fim, mantenha o mesmo ritmo! Isso é de extrema importância e é onde a maioria dos homens peca. E o que nós pedirmos nessa hora, por favor atenda!

ritmo_terry_bozzio
Não sabe o que é um ostinato? Então aprenda com o grande Terry Bozzio.

Depois de gozar, a região fica extremamente sensível. Por tanto, não cesse os movimentos de uma vez, mas vá diminuindo o ritmo e a pressão até parar. Um beijo final delicado pode ser uma boa pedida!

Erros comuns e mais dicas

• O erro mais comum entre os homens é a tal língua dura. Relaxe a língua. Ao contrário de outro membro, a língua pode e deve ficar mole! Se quiser fazer ponta com a língua, estique-a, mas não endureça! Ah, e mantenha-a umedecida para não entrar em atrito!

• E o dedo? Use como complemento, masturbando, brinque em outra parte do corpo, varie, mas use principalmente na penetração. Uma massagem nessa hora leva a gente à loucura!

• Vale repetir: mantenha a velocidade! É muito ruim quando a gente está curtindo e o cara muda o ritmo ou então para, isso é o fim! Lembre-se que ritmo é algo que vocês também curtem.

• Para os inexperientes: filme pornô não é didático! O que os atores fazem lá não deve ser seguido ao pé da língua. ;-)

• Morder... jamais! Se alguém curte, me desculpe, mas acredito que dificilmente uma mordida vai agradar alguém.

Nossa vagina não é tigela de leite nem vocês gatinhos pra ficarem dando lambidinhas inconstantes.

gato-lamber-leite
É por isso que elas preferem os cachorros.

• Cuidado como você checa nossa reação. Fixar os olhos na nossa cara em nada vai ajudar. Uma esticada ou outra nos olhos, de forma bem safada, já está de bom tamanho, mas não deixe que isso interrompa seu trabalho!

• Brinque bastante nos fazendo implorar pra que você chegue ao clitóris, mas não nos faça esperar demais também. Prolongar demais o “papo” pode se tornar irritante.

Mostre que gosta de nos saborear! Outro ponto que alguns erram. Queremos ver que vocês curtem nos chupar e não que fazem isso por obrigação ou pra “nos esquentar”. Sim, faz toda a diferença. Com vocês é a mesma coisa, não?

• A entrada da vagina é um poderoso ponto de prazer também, use a língua, o dedo e divirta-se!

• Lembre-se: sexo oral é como beijo, e como um bom beijo, devem-se usar os lábios e movimentar a língua de forma delicada, molhada e macia.

É claro que encontraremos exceções a essas dicas e outras variantes. Nosso universo complexo está pronto para a criatividade de vocês. É só ter paciência e observar nossas reações!

Um cara pode ser muito bom de primeira, mas com certeza será muito melhor quanto mais conhecer sua companheira. Fiquem atentos também às nossas dicas quando resolvemos dar uma conduzida. No mais, curta e aproveite o momento, afinal, de tudo que envolve o sexo, o oral é definitivamente o que toca mais o íntimo da mulher. É o topo da exploração de “Vênus”.

Agora quero saber de vocês...

A mulherada costuma guiar os rapazes?

E vocês, rapazes? Curtem ou não quando a mulher dá uma guiada? Vocês sabem do que gostamos mais do que nós mesmos conseguimos explicar? Ou ainda precisam de dicas, manuais e tutoriais?


publicado em 19 de Agosto de 2009, 08:19
D1e7da4020cf3eedc11f2c88381288a8?s=130

MiS

MiS é aspirante à blogueira, curiosa e um pouco bruxa. Admiradora das artes sensuais e a primeira a quem recorrem quando querem dicas para apimentar o relacionamento – mas jura que não ganha nem um centavo por isso!

Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há oito anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura