Sou muito ciumenta

Pergunta: "Sou muito ciumenta, o que faço em relação a isso?"

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo jockey

Pergunta: "Sou muito ciumenta, o que faço em relação a isso?"

- Ana Maria

Ana Maria,

As questões são duas:

De onde vem esse ciúme?
Ele tem razão de existir?

Olhe bem: por que você tem a sensação de que alguém pode vir e tomar o seu lugar? A pessoa que está com você não te passa segurança, ou seja, é ele que te deixa enciumada com determinadas atitudes dirigidas a determinadas pessoas?

ciumenta
Mulher psicótica é um porre

O conselho principal é o mais fácil de todos: conversar. Você tem ciúme? Descubra as razões e jogue aberto com a pessoa que está com você! Deixe claro exatamente por quais motivos, se é só por insegurança de sua parte ou se é porque você discorda de algumas de suas atitudes. Pode ser que ele/a não entenda, mas, já que o diálogo é primordial, é um sinal de que tem algo um pouco mais errado nesse relacionamento que você precisa descobrir.

Outra coisa muito importante: olhe bem pra dentro de você, lá no fundo, sem orgulho, e veja se o que está sentindo tem cabimento. Se não tiver, fale que você errou e que está tentando controlar esse aspecto. Acredite, tudo na vida é questão de controle -- e ele não nasce de uma hora para a outra. É difícil, porém necessário.

Você já viu algum homem gostar de mulher que abre carteira, cheira camisa, verifica e-mail e faz perguntas o tempo todo? E se esse auto-controle que você for adquirindo não servir pra esse relacionamento, pode ter certeza que pra futuros vai servir com certeza.

Bela resposta dada pela Milena Wiek, que se candidatou como minha estagiária. Como é um texto de uma mulher e a nova política do site é colocar os textos delas no Ladies Room, cá estamos.

Sempre quis entrar no banheiro feminino mesmo.

Abraço, pessoal. Dr. love, consultor amoroso e cachorrão nas horas vagas. Já coçando para voltar à ativa.


publicado em 23 de Outubro de 2007, 14:08
A78ce86e6e96d18f383f41330267124e?s=130

Milena Wiek

Milena Wiek ainda não nos disse nada sobre ele. Sim, também estamos curiosos.

Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há oito anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura