Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

15 dos piores serial killers que já passaram pelo mundo

E, não, eles não eram monstros. Eram seres humanos.

“Nós, serial killers, somos seus filhos, somos seus maridos, estamos em toda parte. E haverá mais de suas crianças mortas amanhã”

– Ted Bundy

Algumas pessoas tendem a colocar figuras admiráveis e inspiradoras em uma bolha impenetrável, onde críticas negativas não são admitidas. Como se esses seres humanos, na verdade, fossem deuses inalcançáveis.

Da mesma maneira que o fazem com os “exemplos de perfeição”, há também quem coloque em uma espécie de grande sala hermeticamente fechada as pessoas dignas de filmes de terror. Aquelas que roubam a cena dos jornais policiais, sabe? Elas são quase que transportadas para um universo paralelo. Colocam a máscara de não-humano, o selo de “coisa”, a capa de monstro, levam para bem longe da realidade terrena.

Vendo esse compilado de serial killers e um artigo com 23 declarações deles, percebi que por muito tempo eu fiz parte do grupo que nega a existência humana dos tais  “monstros”. Ao mesmo tempo que essa atitude pode ser lida como uma forma de se blindar dos horrores da vida, o que é totalmente compreensível, ela também me anestesiava da realidade. 

É aquela velha história do “na minha família não”, “nunca vai acontecer comigo”.

Mas a gente sabe que pode, né.

Resolvemos juntar algumas histórias aqui e abrir a discussão: como vocês lidam com isso? Colocar serial killers, por exemplo, no fantástico mundo da imaginação, ou dos filmes de terror, é um caminho válido para quem quer poupar o próprio emocional?

E se você descobrisse que existe um na sua família? No seu grupo de amigos?

Nos encontramos nos comentários!

1.  Dr Harold Shipman

Ele se suicidou dia 13 de janeiro de 2004, aos 54 anos. O médico foi condenado por matar 15 pacientes, mas além dessas acabou com centenas de outras vidas entre os anos de 1975 e 1998. Os números estimados vão até 260, e a prisão perpétua lhe rendeu o apelido de “Doutor Morte”.

2. Pedro Rodrigues Filho

Não por acaso esse brasileiro é chamado de Pedrinho Matador. Acabou com a vida de mais de 100 pessoas, sendo o próprio pai incluído, e tem preferência por matar criminosos. Um dos nomes que ele havia prometido colocar na lista foi o do Maníaco do Parque, que estrangulava suas vítimas em São Paulo.

3. Gary Ridgway

Nenhum outro serial killer foi levado a julgamento por tantas mortes. Ganhou o apelido de Assassino do Rio Verde porque suas primeiras vítimas foram encontradas Green River College, em Washington, num total (confessado por Gary) de 48 crimes. 

4. Aileen Wuornos

Ela é considerada a primeira mulher assassina em série dos Estado Unidos e inspirou o filme "Desejo Assassino", além de ter sido lembrada na série "American Horror Story", edição Hotel. Aileen era prostituta, confessou seis mortes e, após ser encontrada e diagnosticada com transtorno de personalidade bordernline, pediu para ser condenada à morte.

5. Andrei Chikatilo

Ele era russo e confessou ter matado 53 pessoas entre 1978 e 1990. Ficou conhecido como açougueiro de Rostov, O estripador de Rostov e O estripador vermelho, e consumia seus cadáveres durante a grande fome de 1930.

6. Ted Bundy

Ele morreu eletrocutado e baseou sua "carreira" em estuprar e matar as vítimas, atraindo-as para perto de seu carro e violentando-as. Era extremamente temido nos Estados Unidos durante a década de 70, tendo feito de 30 a 36 vítimas no período.

7/8. Fred & Rose West

Conhecidos pela chamada "Casa dos Horrores", esse casal foi responsável pela morte (conhecida) de 12 meninas. Algumas eram abusadas e, em seguida, assassinadas  e enterradas no jardim da residência do casal. 

9/10. Ian Brady and Myra Hindley

Depois de se conhecerem em uma indústria química, esse casal passou a aterrorizar Hattersley, Inglaterra, na década de 60. Eles mataram cerca de 11 crianças e adolescentes, fazendo-os tirar fotos em poses sexuais, além de  abusar e torturar.

11. Edmund Kemper

 “Eu me lembro de que havia quase uma verdadeira excitação sexual... Você ouve aquele pequeno estouro e tira suas cabeças e as segura pelo cabelo, arrancando suas cabeças, seus corpos sentados lá. Eu tinha um orgasmo”

Ele matou a própria mãe, além de nove outras pessoas.

12. Richard Ramírez

“Eu adoro matar pessoas. Eu adoro vê-las morrer. Eu atiro em suas cabeças, e elas se balançam e se contorcem por todo o lugar e depois simplesmente param. Ou as corto com uma faca e vejo seus rostos ficarem muito brancos. Eu amo todo aquele sangue. Eu falei para uma mulher me dar todo seu dinheiro. Ela disse ‘não’, então eu a cortei e arranquei seus olhos”

13. David Berkowitz

 “Os demônios estavam bramindo por sangue”

Conhecido como Filho de Sam e Assassino da Calibre .44, ele praticava seus crimes em Nova Iorque, que ocorreram entre 1976 e 1977. Foram seis pessoas mortas e mais sete machucadas com ajuda de sua arma de calibre 44. 

14/15. Larry Bittaker and Roy Norris 

Em cinco meses eles foram responsáveis por assassinar cinco adolescentes, cometendo estupro, tortura e sequestro. Ficaram conhecidos como Tool Box Killers.


publicado em 25 de Março de 2017, 06:00
Foto jpg

Carol Rocha

Leonina não praticante. Produziu a série Nossa História Invisível , é uma das idealizadoras do Papo de Mulher, coleciona memes no Facebook e horas perdidas no Instagram. Faz parte da equipe de conteúdo do Papo de Homem, odeia azeitona e adora lugares com sinuca (mesmo sem saber jogar).


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura