A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

17 de junho de 1994

Você lembra onde estava no dia 17 de junho de 1994? Talvez não. Mas muitos americanos jamais esquecerão aquelas 24 horas.

A data, devido uma enorme gama de coincidências, reuniu uma série de eventos de diferentes proporções, emoções e resultados. Foram dois períodos. O primeiro  teve seu início com a despedida de uma lenda do esporte. No intervalo, houve a  abertura de um importante capítulo do futebol brasileiro. A conclusão foi a prisão mais dramática e televisionada da história da mídia.

Aquele dia, o tal 17 de junho de 1994, não foi para principiantes.

O.J. Simpson em "Corra Que a Polícia Vem Aí"

O protagonista de 17 de junho foi O.J. Simpson. O ex-jogador de futebol americano teve sua perseguição transmitida ao vivo pelos principais canais do mundo. O jogador foi seguido em baixa velocidade por parte de Los Angeles até estacionar o seu Ford Bronco no quintal de casa. Foram necessários 45 minutos de conversa para O.J. entrar em casa, se desculpar com a mãe, tomar um copo de suco de laranja e, enfim, entregar-se à força policial.

A acusação de O.J por assassinato da ex-mulher Nicole Brown e do amigo Ronald Goldman foi confirmada logo às 11h10. Até a esperada manhã de sexta-feira, as atenções estavam voltadas para três relevantes fatos: a despedida de Arnold Palmer, o lendário golfista de 64 anos; o jogo 5 dos playoffs da NBA e, em Chicago, a abertura da Copa do Mundo.

Viver a experiência de assistir pela televisão tudo isso ao vivo motivou o diretor Brett Morgen a criar o documentário June 17th, 1994 para a série ESPN 30 for 30. O filme traduz bem o arco dramático que plainou sobre os fãs de esporte durante aquele dia. Morgen conta a historia de um modo visceral, deixando que as imagens reais falem mais que as entrevistas. “Há muitas imagens de ícones a partir daquele dia”, disse o documentarista.

Link YouTube | A perseguição mais lenta, sem graça e dramática dos EUA

A ordem cronológica do fatídico 17 de junho foi reproduzida pelo NYT. Ela segue o horário de Los Angeles.

06h – Arnold Palmer, 64 anos, dá início ao segundo dia do US Open e diz ser seu último torneio.

07h – Nova York está em festa. Fãs do Rangers decoram ruas e avenidas e preparam a parada da vitória.

11h – A CNN confirma: OJ Simpson é acusado de homicídio em primeiro grau. Ele teria matado a ex-mulher e seu possível amante.

12hComeça a Copa do Mundo de futebol. O presidente dos Estados Unidos, Bill Clinton, dá o pontapé inicial. O jogo é entre a atual campeã Alemanha e a modesta Bolívia.

14h55 – David Gascon, comandante da Polícia de L.A., comunica que O.J. está desaparecido.

15h30 – Uma fonte da polícia diz ter visto O.J a caminho da própria casa.

16h – Arnold Palmer inicia o 18º buraco. É ovacionado por milhares e não consegue evitar as lágrimas.

16h30A Espanha enfrente a Coreia do Sul no Cotton Bowl, em Dallas.

18h – Começa a transmissão de NY Knicks e Houston Rockets. Os jornalistas esperam a transmissão ao vivo da casa de O.J. Simpson a qualquer momento.

18h40 – O veículo de O.J. é encontrado. A perseguição começa e envolve 13 carros da polícia e cerca de oito helicópteros. Mais de 95 milhões de americanos assistem a transmissão ao vivo.

20h45 – O.J se rende e é levado para a delegacia.

Running back, ator e mais um celebrity mugshot

Fim de um dia histórico para o esporte, para a mídia e para os Estados Unidos.

Nota do editor: os Rockets foram campeões da temporada, Palmer não parou e disputou mais 12 temporadas e o Brasil foi tetra campeão do mundo. Já O.J. Simpson, num julgamento onde foram ouvidas 133 testemunhas e durou 372 dias, foi considerado inocente em outubro de 1995.


publicado em 17 de Junho de 2011, 13:45
File

Fred Fagundes

Fred Fagundes é gremista, gaúcho e bagual reprodutor. Já foi office boy, operador de CPD e diagramador de jornal. Considera futebol cultura. É maragato, jornalista e dono das melhores vagas em estacionamentos. Autor do "Top10Basf". Twitter: @fagundes.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura