[18+] Bom Dia, a volta da Maria Clara

A Clara foi fotografada novamente para o Bom Dia, dessa vez pelo Facundo

Nota editorial: estamos em busca de Bom dias com homens e com mais diversidade de corpos e peles — aqui explicamos em mais detalhes o contexto atual da série, suas origens, obstáculos e nossa visão de futuro para ela. Se você é fotógrafo(a) ou tem um ensaio que deseja publicar, fale conosco pelo jader@papodehomem.com.br.

* * *

Você já parou para pensar por que você se choca tanto quando alguém faz um ensaio nu? Pensa comigo: o nu está presente em diferentes meios artísticos. Você já viu nudez no cinema, nas artes plásticas, na fotografia, no protetor de tela do seu celular e até em HQ.

 

 

 

 

 

O que eu acho mais curioso é que isso não é novidade. Adoro quando alguém fala “mimimi agora é modinha posar pelada”. Realmente, né? Agora que virou moda, o Louvre foi correndo substituir todo seu acervo, afinal, antigamente só pintavam/esculpiam gente de roupa. Nada como um museu antenado.

Eu sou tão nova que vou ter que usar Titanic de referência. Lembra da cena que o Jack começa a desenhar a Rose nua (usando apenas o colar que a Rose caduca joga no oceano)? Na época eu fiquei fascinada por aquela cena. Eu não penso “que sexy, que vontade de chupar essa mulher” ou “mete nela, Jack! “. Eu só achei lindo. Lembro dessa cena e só me vem a palavra “confiança” na cabeça. É tão gostoso se sentir confiante.

Falando em meter, queria saber se você associa nudez com sexo. Eu, sinceramente, não associo as duas coisas. Vejo uma beleza surreal no corpo nu, o que não significa que isso me excite. A pessoa vestida do corpo (não necessariamente dentro dos padrões estéticos) é o que sempre, sempre, me faz desejar o sexo.

Acredito que não exista nenhum movimento artístico em que o nu não se fez presente. Até no cubismo o Picasso fez uns recorte louco de mulher pelada. Falando nisso, eu quase fui expulsa do Reina Sofia porque cheguei muito perto do Guernica mas isso não tem nada a ver os cu cas calça (ou não tinha até eu usar essa expressão).

 

 

 

 

 

Tudo isso é para pedir, humildemente, a sua opinião. Fiz esse ensaio com o talentosíssimo Facundo e demorei uns dois meses para postar. Não por sentir medo ou vergonha, pelo contrário, eu amei o resultado desse ensaio. Eu só queria encontrar uma forma de me aproximar melhor do que você pensa sobre isso.

Postei umas duas prévias e recebi centenas de comentários positivos e diversas perguntas como: “Nossa, a namorada do fotógrafo não ficou com ciúmes? ”. “Seu namorado não achou ruim? ”. “Eu não entendo a necessidade disso”. Óbvio que teve gente me chamando de gorda, de puta, de tudo que vocês imaginam. Óbvio que eu recebi fotos dos mais variados tipos de pênis (o que me surpreende muito mais do que a anatomia humana) e mais vários outros bafafás que me deu preguiça de lembrar.

Bom, vamos ao que interessa: eu quero saber sua opinião. Fale comigo por Facebook, Instagram, carta, Whatsapp, comentários aqui no PDH, vídeo ou o que for. Me faça pergunta, argumente, questione ou me conte sua história. O que não me interessa: pessoas interessadas sexualmente, pênis ou vaginas (depilados ou não), agressividade, vídeos de homens esfregando cartas picotadas no pau ou qualquer coisa do tipo.

As fotos são do Facundo Fotografia.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Boa semana a todos.


publicado em 10 de Julho de 2017, 00:00
11701022 1663782980524056 1224415653273435607 n

Maria Clara

É sul-matogrossense e responsabiliza o consumo excessivo de tereré por suas habilidades com o léxico e sua alma destemida. Atualmente, mora em São Paulo e sonha em ter um golden retrivier. Ela tá no Instagram e no Facebook.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura