Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

[18+] Bom dia, Giulia Henne

O Bom dia de hoje é com a Giulia Henne, fotografada pelo Gustavo Tissot

Nota editorial: estamos em busca de Bom dias com homens e com mais diversidade de corpos e peles — aqui explicamos em mais detalhes o contexto atual da série, suas origens, obstáculos e nossa visão de futuro para ela. Se você é fotógrafo(a) ou tem um ensaio que deseja publicar, fale conosco pelo jader@papodehomem.com.br .

* * *

Com uma mão, podemos nos comunicar com inúmeros gestos compreendidos. Com duas, esse número se multiplica. Com o corpo, então, vira uma infinidade.

Mas é necessário explorá-lo e conhecê-lo.

O culto de negação e pudor corporal ocorrido ao longo dos anos nos fez não desenvolver técnicas de expressão como as temos com as mãos.

O corpo é uma grande máquina de tradução emocional que eu posso transmitir diversas sensações e sentimentos. Insegurança, repúdio, acolhimento e vontades. Uma simples afirmação corporal de segurança pode fazer muita diferença em uma discussão ou entrevista de emprego. O corpo tem um poder de linguagem muito potente, se souber usá-lo.

O nu me permitiu esse estudo, minha expressão sem censuras.  E isso ocorre principalmente em ensaios fotográficos, pois o fotógrafo capta uma imagem dentro da sua linguagem corporal, como acontece normalmente no dia-a-dia:  a interpretação dos outros sobre você.

 

Este ensaio foi feito com o fotógrafo Gustavo Tissot, que fez todas as fotos sem nenhum tipo de produção (maquiagem, iluminação, nada que tirasse a naturalidade da cena) e tudo registrado com a câmera de um celular.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Boa semana a todos.


publicado em 12 de Janeiro de 2015, 09:00
File

Giulia Henne

Formada em design industrial, mas atualmente trabalha como DJ e organizadora de festas. 25 anos e continua viciada em seu Nintendo 64. Ficaria o resto da sua vida viajando, mas enquanto isso não acontece continua mergulhando em livros na companhia de seus gatos.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura