A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

[18+] Bom Dia, Hugo Godinho e Rodolfo Brunhari

O Hugo é ator do grupo Satyros e foi fotografado com seu marido, o Rodolfo

Nota editorial: estamos em busca de Bom dias com homens e com mais diversidade de corpos e peles — aqui explicamos em mais detalhes o contexto atual da série, suas origens, obstáculos e nossa visão de futuro para ela. Se você é fotógrafo(a) ou tem um ensaio que deseja publicar, fale conosco pelo jader@papodehomem.com.br .

* * *

Foi a oitava vez que fui fotografado nu. A essa altura, despir-me diante de outra pessoa já havia se tornado um prazer e uma missão. E foi refletindo sobre isso durante o ensaio, entre um clique e outro do fotógrafo, que finalmente resolvi que estar nu se tornaria para mim também um Projeto.

Foi no palco com os Satyros que aprendi a me expor sem pudor. O grupo tornou-se notório por usar a nudez, entre outros recursos performativos, como instrumento narrativo da realidade. Na nossa sociedade repressora e machista, a nudez sempre parece forçada, mas não deveria haver nada mais natural que o estado em que todxs nós viemos ao mundo (por mais clichê que isso possa soar)! Forçado, portanto, é o tabu em si.

O pudor deixa então de fazer qualquer sentido, e isso é extremamente empoderador!

Quando paramos para pensar, não há motivo racional para o homem ter que esconder seu corpo ou as ações que realiza com ele, inclusive as sexuais. Assim eu pude descobrir — aos meus trinta e poucos anos — meu desejo e minha capacidade de contar histórias e passar mensagens importantes através da atuação, da performance e das artes do corpo.

Chegamos, finalmente, ao 100 NUDE Shoots of Hugo, projeto que lancei não como fotógrafo mas como modelo, emprestando meu corpo e minha imagem para "unir" tantas visões e conceitos contemporâneos diferentes sobre a nudez, na pretensão de borrar as linhas que ainda distinguem, quando o corpo humano nu é retratado, a fotografia de moda do erótico, as belas artes do amador, o artístico do pornográfico. Nele, me proponho a ser retratado nu em 100 ensaios com 100 artistas diferentes, cada um com seu estilo, visão e conceito próprios sobre a nudez.

Para esse ensaio com o amigo Luca Serradura, que ganhou o número 8 no projeto, tive a companhia mais que especial do Rodolfo Brunhari, meu marido, que compartilha a minha visão e me apóia incondicionalmente. O resultado nos surpreendeu: as fotos são sexuais e delicadas na mesma medida. Mas caberá ao leitor opinar!

Ser retratado nu é fazer-se voluntariamente vulnerável, transformando sua imagem em uma página em branco a serviço da visão de outro, sujeitando-se à sua direção, deixando-se retratar como o outro te enxerga. Um verdadeiro exercício de desapego. No processo dos 100 ensaios, espero conseguir transmitir que estar nu é simplesmente ser humano, e as ações, as ideias, as imagens e a arte produzidas sobre o nu não deveriam precisar de qualquer permissão ou motivo, ou ainda estar sujeitas a qualquer tipo de censura. Vemos diariamente através de tantas manifestações de ódio, intolerância, opressão, que a humanidade precisa cada vez mais de exemplos de liberdade.

Ao me expor cada vez mais, venho percebendo como isso vai aos poucos, porém decisivamente, alterando a realidade e as percepções das pessoas ao redor, seja nos círculos mais próximos quanto nos mais distantes.

Será uma longa jornada e espero que venham a me acompanhar!

Boa semana a todos.

Obs: o Hugo é criador e modelo do 100 NUDE Shoots (of Hugo). Não conhece não? Entra lá pra ver.


publicado em 18 de Abril de 2016, 00:05
12516096 10153882587300590 813535302 n

Hugo Godinho

Empreendedor, cozinheiro, ator, performer e modelo nu, em ordem cronológica. Criador do 100 NUDE Shoots of Hugo .


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura