[18+] Câncer de testículo: como e por que fazer auto-exame

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Vivara130x50 jpg
  • Selo dorel jpg

Câncer é uma doença relacionada a pessoas de maior idade, mas este em específico é problema nosso, muito nosso, já que atinge homens de 15 a 40 anos.

O leitor Leonardo Oliveira nos mandou este importante relato:

Um alerta aos homens: tumor de testículo é raro, mas existe.
Pois é, amigo. Quero compartilhar minha história aqui, na esperança de que possa esclarecer alguma dúvida ou servir como encorajador no caso de você que está lendo isso estiver passando por este problema. Não sou médico, então tudo que eu vou relatar é apenas a minha experiência pessoal.
Tumor no testículo é um tipo raro de câncer bastante incomum que se desenvolve em homens dos 15 aos 40 anos. Parece assustador, mas tem grandes chances de cura. Mesmo quando já aconteceu metástase, em 70% a 95% dos casos o prognóstico de cura é bem favorável.
Descobri o meu em um belo dia enquanto andava de moto e passei por um buraco. Senti uma pontada no saco. Chegando em casa, deitei no sofá e, dando uma boa "coçada", senti um estranho caroço do tamanho de um grão de arroz. Indolor, mas duro. Marquei logo uma consulta com urologista. Depois outro, para ter certeza. Após alguns exames (principalmente de sangue e um ultrassom da bolsa escrotal), decidimos não arriscar diante de uma incerteza: marcamos uma cirurgia simples, chamada orquiectomia, a fim de retirar o nódulo e realizar uma biópsia.
Com o resultado da biópsia em mãos, 15 dias depois, veio a martelada: "CARCICOMA EMBRIONÁRIO NÃO- SEMINOMATOSO COM INVASÃO DA TÚNICA ALBÚGENA E INVASÃO LINFÁTICA VENOSA".
Felizmente, meu tumor foi descoberto ainda em estágio 1 e não havia metástase (ou seja, não havia tumor em outras partes do corpo). Eu poderia fazer uma cirurgia, com risco de me deixar impotente ou estéril, ou então um ciclo de quimioterapia. Mesmo com o medo -- perder o cabelo, passar mal frequentemente, ficar fraco e com cara de morto-vivo --, optei pela quimioterapia.
Não escondi nada de ninguém. Se a gente não puder contar com o apoio da família e dos amigos nessas situações que podem acontecer com qualquer um de nós, com quem poderíamos contar? No final, tudo correu bem, e até resolvi mudar alguns hábitos meus. Estou menos sedentário e não tomo mais refrigerantes.
Quando falta saúde, falta tudo.

O relato do Leonardo vai na esteira de um outro, bem detalhado, de leitor anônimo, que publicamos no PapodeHomem em 2009, e também complementa o nosso "guia para manutenção da carroceria".

Ao relacionar todos esses conteúdos aqui no QG, fomos lembrados da importância do assunto, e nos ocorreu algo bem simples, mas crucial: não sabíamos como fazer o auto-exame para verificar está tudo OK com as nossas próprias bolas.

Grave.

Conheça as suas
Bolas

Como fazer auto-exame de testículo

Assim como as mulheres são educadas e incentivadas a fazer auto-exame de mama, os homens também deveriam ter o hábito de, ao menos uma vez por mês, dar uma verificada nos testículos para ver se não há nada estranho.

O câncer de testículo é bastante discreto e indolor, portanto, se você esperar que ele se faça notar através de alguma dor ou desconforto, pode não ter a mesma sorte do leitor que nos relatou acima. Vem daí a importância dessa verificação -- encontrar o ladrão enquanto ele ainda está no jardim e não tem como fazer muito estrago.


YouTube | É sóbrio, sério e educativo, mas ainda assim evite assistir no trabalho

É muito complicado achar vídeos sobre isso em português (o que indica o quão pouco preocupados com isso nós somos), por isso o acima está em inglês. Mas ele é bem didático e toca basicamente nesses pontos:


  • É importante saber o seu "normal". Na próxima (ou próximas) vez que estiver no banho, pegue nas suas bolas e sinta. Sem frescuras. Repare em coisas como tamanho, firmeza e peso. Sabendo o que é normal, vai ficar fácil perceber se algo estiver diferente.

  • Um dos primeiros sintomas de que algo está errado é se um dos testículos inchar mais do que o outro, ficando possivelmente mais pesado ou firme.

  • Mas lembre-se: eles podem ser naturalmente de tamanhos diferentes. O problema é se não eram e um dos dois inchou.

  • Outro sinal é, como nos relatou o Leonardo, um nódulo mais duro, ou algo parecido.

  • Apenas em cerca de 10% dos casos há alguma dor.

  • Se você nunca se familiarizou com essa parte do seu corpo, talvez confunda alguns elementos naturais (como o indicado pela seta em 1:17) com algo perigoso.

Não há porquê ficar com receio ou vergonha de fazer isso ou de se consultar com um urologista, em caso de qualquer estranhamento. Como já foi dito, a porcentagem de cura é de 70% a 95% -- e a taxa de mortalidade passou de 10,5% para menos de 0,7% do final da década de 80 até 2007 (dados do Instituto do Câncer Nacional dos EUA).

Mas isso somente se você descobrir e se tratar.

Então vá se coçar.


publicado em 19 de Julho de 2012, 16:13
File

Fabio Bracht

Toca guitarra e bateria, respira música, já mochilou pela Europa, conhece todos os memes, idolatra Jack White. Segue sendo um aprendiz de cara legal.\r\n\r\n[Facebook | Twitter]


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: