[18+] Violência, sexo e curiosidade humana. A arte de Toshio Saeky

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Vivara130x50 jpg
  • Selo dorel jpg

Conheci uma garota essa semana, fotógrafa, gente boníssima. Papo vai  papo vem, ela comentou que também aprendeu a trabalhar com fotografias de nu fazendo autorretratos, se conhecendo e se fotografando. Ela comentou que nunca teve muito pudor em ficar sem roupa e disse também que frequentava, quando morava no nordeste, uma praia de nudismo bem legal e queria que as pessoas tivessem esse privilégio de conhecer um local naturalista pra entenderem a tranquilidade de estar sem roupa.

"Ah... é tão bom e, mais ainda, ninguém fica te olhando e secando como se fosse algo de outro mundo".

Mas é. Chegamos a conclusão de que o mundo ainda é tão pudico que estar nu gera uma curiosidade absurda nas pessoas. O mesmo acontece quando percebemos o trânsito meio arrastado e, lá na frente, descobre-se ser por causa de um acidente em que os carros passam devagar pra ver se há algum pedaço de defunto, alguma coisa horripilante para ver.

Somos barrados das verdades da vida -- morte, sexo etc -- e nossos olhos não aquietam até saciar. Por isso Vemos alguém pelado "fora de contexto" e travamos por segundos, por isso pessoas entram em choque ao ver alguém em um caixão num velório (alguns teimam em nem entrar para não ver).

Tudo isso pra dizer que devemos observar a arte do japonês Toshio Saeky, que eu vi lá no IdeaFixa e coloco aqui. De começo parece apenas bizarrice para chocar, mas Tem toda essa relação de mostrar o que as pessoas automaticamente viram a cara por condicionamento ou travam o olhar por curiosidade extrema.

10356136_1463734730544762_3812154130340349820_n
10491261_1485756075009294_4768522577805255386_n
10505291_1451984235053145_8792753626559451545_n
10516688_1454073518177550_5885063201697625525_n
10520094_1454072748177627_3296311176620349051_n
10532458_1454072668177635_4595572952153127158_n
10550854_1454073628177539_3014792445448171244_n
10561771_1464119613839607_7849559745503045053_n
10612849_1498412237077011_400272349296889187_n
10636134_1474786669439568_3184264150394179891_n
10660326_1485754991676069_6273396013486832232_n
10672280_1478582412393327_2595987684739945259_n
10675707_1485756915009210_2735041589651682083_n
10734126_1501123586805876_6634209432101362771_n
afd1f3439effc9f20d531f2d3992938b
Saeki-Chimushi_1_14

Claro que, em vez de estímulo sexual ou deleite visual, ele trabalha com exercícios de tolerância a nossa repulsa natural, afinal, ver alguém se masturbando é uma coisa e ver alguém se masturbando com um gato enforcado é outra. Ver um cara iniciando uma putaria com uma mulher de três cabeças ou tentáculos chega a ser engraçado, mas insira o filho dele na mesma imagem e temos outro impacto diferente.

Treinando constantemente o olhar.


publicado em 18 de Novembro de 2014, 07:00
13350456 1045223532179521 7682935491994185264 o

Jader Pires

É escritor e colunista do Papo de Homem. Escreve, a cada quinze dias, a coluna Do Amor. Tem dois livros publicados, o livro Do Amor e o Ela Prefere as Uvas Verdes, além de escrever histórias de verdade no Cartas de Amor, em que ele escreve um conto exclusivo pra você.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: