Vamos oferecer um curso de equilíbrio emocional para homens. Começa nesta quinta e ainda há vagas.

22 artigos que podem incrementar sua inteligência

Links para saber mais sobre o que é a inteligência

  • Nossos atuais Mecenas:
  • 130x50 jpg

Nossa cultura tem uma relação curiosa com a inteligência. Valorizamos pessoas que entendem facilmente as tarefas que lhes passamos, que conseguem antecipar nossas necessidades, ou que, enfim, contribuem de forma “bem azeitada” com nossos projetos. Gostamos de ter colaboradores e subalternos inteligentes, ou até mesmo ser atendidos, digamos, numa ligação de suporte com relação a um produto qualquer, por alguém que demonstre pelo menos entender o que estamos falando.

Gostamos também de crianças espertas, que se expressam bem e falam como se fossem adultas, e tomamos por heróis aqueles gênios da história que nos espantam com as revoluções que colocaram em movimento com suas ideias extraordinárias.

Porém, quando nos deparamos com alguém que desafia nossa própria inteligência, uma pessoa de posição superior verdadeira ou imaginada (um chefe, professor, ou simplesmente alguém que não se apresenta subalterno), qualquer eventual inteligência que essa pessoa possa de fato ter se torna muitas vezes extremamente desagradável.

A visão patriarcal também demanda que as mulheres inteligentes se finjam de sonsas, porque a inteligência é crítica, chata, arrogante, fala alto, argumenta e refuta – nada disso coisas que tradicionalmente se esperava de uma mulher.

Essa ambivalência quanto à inteligência, boa quando vindo de nós mesmos ou de baixo, ou ruim quando de cima ou nos ameaçando, é também marcante porque algumas vezes a inteligência é vista como uma qualidade quase espiritual. Ora, se gostamos de uma pessoa por sua beleza física, somos considerados superficiais, mas se por seu brilho cognitivo, isso aparentemente nos faria de alguma forma moralmente mais justificados. Como se a inteligência também não fosse apenas mais um valor mundano, exatamente como a beleza.

O problema é que a inteligência não só é ambígua em seus valores, ela é um conceito ambíguo: está ligada a coisas como capacidade de resolver problemas, conversar bem, ter cultura, ser capaz de empatia e ser atento e paciente. E um desses elementos pode faltar completamente, que se outro está presente em abundância, ainda assim dizemos que a pessoa é “inteligente”. E talvez apenas algumas dessas características estejam nesse espectro “espiritual”, não superficial, de apreciação do outro, e de motivo para que o admiremos ou amemos.

Abaixo estão coletadas (em inglês) algumas matérias sobre inteligência, que podem ser interessantes se você está confrontando a sua própria (ou a falta dela), ou está atualmente fascinado ou enfurecido com alguém burro ou esperto demais ao seu redor.

Inteligência e criatividade

 

Inteligência e linguagem

Os seus limites atuais: genética, biologia, fisiologia

O que dá para mudar: cultivo

 

Inteligência e infância

Comportamento

Problemas de gente inteligente


publicado em 27 de Dezembro de 2014, 00:05
File

Eduardo Pinheiro

Diletante extraordinário, ganha a vida como tradutor e professor de inglês. É, quando possível, músico, programador e praticante budista. Amante do debate, se interessa especialmente por linguística, filosofia da mente, teoria do humor, economia da atenção, linguagem indireta, ficção científica e cripto-anarquia. Parte de sua produção pode ser encontrada em tzal.org.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: