28 curiosidades sobre games pra alegrar sua criança interior

Os desenvolvedores desses jogos preparam os detalhes e as referências com sagacidade, sem deixar de escondê-los para que sejam privilégios daqueles cujo olhar é mais apurado

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo dorel jpg
  • Vivara130x50 jpg

Se tem algo mais prazeroso do que jogar um bom jogo, é jogar um game bem feito. E uma coisa não necessariamente implica na outra.

Um bom jogo te diverte, você joga uma, duas vezes, decora algumas partes e segue sua vida feliz. Um jogo bem elaborado é lembrado pelos anos. Ele arranca sorrisos e, não importa se agora tem realidade virtual ou outra tecnologia inovadora, você tira o pó daquele console antigo e devora os detalhes como se fosse a primeira vez que jogasse.

Porque a magia, meus amigos, está no detalhe. E como desenvolvê-los é criar uma obra de arte, a perfeição está nas pequenas particularidades. Além da dedicação e do estudo, há aqueles jogos que têm a manha de revelar seus desafios aos poucos, como uma cortina que se abre lentamente para a cena principal, ou que povoa seus pesadelos com o realismo do que criam.

Já conversamos sobre o nascimento de um game e sua idealização aqui, mas agora vamos falar das pinceladas finais, as leves insinuações que você pode ter deixado passar e as curiosidades que você ainda não sabia sobre as fitas que, há anos, povoam sua estante.

1. Altered Beast e Super Mario Bros. 3 não passam de uma farça teatral

Estes dois clássicos colocam o jogador enfrentando inúmeros inimigos a fim de resgatar, no primeiro, a filha de Zeus e, no segundo, a Princesa Peach mais uma vez.

Só que depois de tanto trabalho, aposto que você não esperava por isso: tudo não era só uma encenação!

Ao final de Altered Beast é possível ver fotos dos atores depois da peça que encenaram, ou seja, depois do jogo, e até mesmo tomando uma cerveja no bar.

Já em Super Mario Bros. 3, o jogo se inicia com cortinas abrindo e os inimigos caindo em um palco, indicando que o game é, na verdade, uma peça de teatro. A teoria foi confirmada até por Shigeru Miyamoto, o criador de Mario.

2. Assassin’s Creed: estou jogando ou tendo uma aula de história?

Curte história e se irrita quando vê inconsistências em filmes e jogos? Seus problemas acabaram!

Nessa franquia, podemos encontrar aliados como Leonardo da Vinci e Nicolau Maquiavel e inimigos como os Bórgia. Assim como as vidas da maioria dos personagens, suas mortes também respeitam a história, ocorrendo no mesmo local e hora que os registros históricos informam.

3. Assassin's Creed IV: Black Flag, Watch Dogs e o louco universo comum dos games

Talvez você já saiba que Assassin’s Creed e Watch Dogs são da mesma desenvolvedora, a Ubisoft, mas já reparou que eles fazem parte do mesmo universo?

Em Assassin’s Creed IV: Black Flag, você descobre que trabalha para a Abstergo Entertainment. O principal objetivo – público – da empresa é utilizar o Animus, uma máquina que faz com que pessoas revivam as memórias de seus ancestrais para gravá-las e produzir jogos.

Já no jogo Watch Dogs, se hackearmos uma câmera, dá pra ver um garoto jogando Assassin’s Creed ao lado de seu pai.

Não viu a relação? Olha isso aqui: em Assassin’s Creed IV, o jogador é informado que o presidente da Abstergo Entertainment, Olivier Garneau, desapareceu ao fazer uma viagem para Chicago, que é a cidade onde se passa Watch Dogs. No decorrer do jogo, Aiden Pearce, o protagonista de Watch Dogs, recebe uma missão para assassinar um tal de Olivier Garneau… pois é.

4. Bioshock: as queridas Little Sisters quase foram imagens crueis dos nossos animais preferidos

Se um avião cai e você é o único sobrevivente, você é uma pessoa de sorte, certo? Não para Jack, que acabou indo parar em Rapture e luta constantemente pela sua vida contra tudo que se move no lugar. Bom, quase tudo. Só que as assustadoras e estranhamente bonitinhas Little Sisters não foram sempre essas bonequinhas.

Inicialmente, os desenvolvedores imaginaram fazer das pequenas garotas um caramujo, um cachorro de cadeira de rodas ou até um sapo com um coletor acoplado na traseira. Cada uma das ideias sugeridas eram muito forçadas ou esquisitas, até finalmente surgir a ideia das Little Sisters, baseadas nas garotas de O Iluminado.

5. Borderlands 2 tem ocultas referências pop

Se você quer um jogo com senso de humor e muitas referências à cultura pop, então você quer jogar Borderlands.

O jogo mistura ação, RPG e comédia na dose certa está recheado de referências, desde um rosto chamado Breaking Bald, uma fase em que se mata uma versão levemente mais insana da Branca de Neve e os Sete Anões, Top Gun e muitos outros, inclusive referências a outros jogos como The Elders Scroll: Skyrim e uma área dedicada a Minecraft.

6. Ghostbusters: The Video Game está querendo nos enganar

Muitos ainda esperam o terceiro filme da franquia Caça-Fantasmas e, com os reboots, esse sonho está mais morto que os fantasmas caçados.

Mas nem tudo está perdido, pois, de acordo com o roteirista da franquia Dan Aykroyd, o terceiro jogo pode e deve ser considerado o terceiro filme.

7. Castlevania tem criadores ocultos cujo nome ninguém sabe

Se você achava que o Google sabia tudo, sinto decepcioná-lo: ele não sabe quem foi o criador de Castlevania.

Por que?

No começo do desenvolvimento de jogos no Japão, todos os desenvolvedores eram obrigados a utilizar pseudônimos, já que as empresas achavam que se eles se tornassem conhecidos, teriam que pagar mais para eles.

Apesar de muitos deixarem pistas sobre quem eram – o que nos possibilitou saber quem criou Mario, Sonic e outros –, o criador do Castlevania não deixou absolutamente nenhuma.

O melhor palpite é que quem tenha criado o primeiro jogo seja Hitoshi Akamatsu, um cara que ninguém tem notícias desde a década de 90, apesar de terem tentado encontrá-lo inúmeras vezes.

8. Dead Space: de onde vêm esses Necromorphs?

Se você já jogou Dead Space, com certeza já teve pesadelos com os Necromorphs. E não é à tôa!

Para criar os principais inimigos da franquia, os cadáveres mutados e reanimados chamados Necromorphs, os desenvolvedores do jogo buscaram inspirações bizarras: a equipe analisou inúmeros vídeos e fotos de acidentes de carro, o que acabou por lhes atribuir um realismo assustador.

9. Cadê as Torres Gêmeas, Deus Ex?

Se você jogou o primeiro Deus Ex, deve ter se perguntando onde estavam as Torres Gêmeas. Claro que foi por que elas foram derrubadas em 11 de setembro, certo?

Errado.

Por causa de limitações de memória, várias partes da cidade de Nova York tiveram que ser removidas, inclusive as torres gêmeas. A justificativa que os desenvolvedores deram na história é que ataques terroristas destruíram as torres. Só que o jogo foi lançado mais de um ano antes do ataque...

10. Diablo guarda mais semelhanças com a Xuxa do que você imagina

No primeiro jogo da franquia, ao entrar no último nível para – finalmente – enfrentar o Diablo, é possível ouví-lo falar em sua língua profana com uma voz gutural.

Mas se tocado ao contrário, a verdadeira mensagem é revelada: “Coma seus vegetais e escove os dentes depois de cada refeição.”

11. Fallout: melhor pensar bem antes de gastar todos os seus pontos em força bruta

Como muitos RPGs, ao se criar um personagem no primeiro Fallout, é possível distribuir pontos de atributo como o jogador quiser.

Mas aí todo mundo quer fazer um personagem bruto, que mata os inimigos com facilidade pra zerar o jogo rápido, né? Só que, nessa brincadeira, vai acabar passando mais sufoco ainda!

Se escolher ter menos de 4 pontos em inteligência no primeiro jogo da franquia, seu personagem só poderá se comunicar através de grunhidos tornando quase impossível qualquer tipo de comunicação durante todo o jogo.

12. Final Fantasy,o baú de tesouros no fim do arco-íris, deu origem a uma banda

Em 1987, a desenvolvedora de jogos Square, hoje a Square Enix, iria falir. Seus títulos não faziam sucesso, o dinheiro não entrava e nada restava a ser feito. Então eles decidiriam fazer um último jogo antes de declarar a falência. Este jogo foi nada mais, nada menos do que primeiro Final Fantasy, que se tornou uma das franquias de maior sucesso até hoje e acabou salvando a empresa.

Com seu sucesso crescente, uma das partes mais aplaudidas pelos fãs foi a trilha sonora. Por isso não demorou para que Nobuo Uematsu, famoso compositor da série, se unisse a outros compositores da Square Enix, Kenichiro Fukui e Tsuyoshi Sekito, para formar a banda The Black Mages.

O grupo existiu de 2002 até 2010 e tocava as músicas do Final Fantasy como rock progressivo. Em 2011, Nobuo Uematsu formou a banda Earthbound Papas com a mesma finalidade.

13. Dá pra fazer sua parte para as questões sociais jogando Grand Theft Auto V

Você que passou a vida jogando GTA nem imaginava que colaborou para a reintegração social de alguns presidiários pagando pelo seu emprego.

Para tornar o jogo mais realista, a Rockstar, desenvolvedora responsável pela franquia, contratou criminosos de verdade para dublar os do jogo. O próprio responsável falou que não tem nada pior do que “pegar um engomadinho que foi pra uma escola chique de Los Angeles para fingir ser gangster”. Inclusive, um dos contratados saiu da prisão um pouco antes de iniciar as dublagens.

14. Half-Life 2: existe um Dr. Eli Vance na vida real

O Dr. Eli Vance, importante personagem em Half-Life, foi modelado a partir de um morador de rua chamado Larry Heard.

Larry estava com um cartaz procurando emprego perto do prédio da Valve e, de acordo com relatos, a equipe o encontrou e o contratou ali mesmo.

15. Ikaruga já fazia vídeos de gameplay antes da moda existir

Antes de existirem inúmeros vídeos de gameplay, antes mesmo do Youtube, já existia o Ikaruga Appreciate DVD.

No japão, a compra do jogo Ikaruga implicava em ganhar também um DVD, chamado Ikaruga Appreciate DVD. Nele, os melhores jogadores do Japão zeraram o jogo em todos as dificuldades com perfeição, uma tarefa nada – NADA – fácil.

16. Os incríveis números de League of Legends

O crescimento dos campeonatos do jogo é surreal: em 2012, o mundial de League of Legends teve mais de 8 milhões de espectadores, com os ingressos esgotando em menos de 4 dias.

Em 2015 esse número chegou a 334 milhões, com uma audiência média simultânea de mais de 4,2 milhões e os ingressos esgotaram em questão de horas.

O prêmio do campeonato foi 2 milhões de dólares divididos entre as equipes, metade dessa pechincha só para o primeiro lugar.

17. Leeroy Jenkins, de World of Warcraft, está até no Detona Ralph

Leeroy Jenkins era um simples paladino – uma espécie de justiceiro de nobres propósitos – no MMORPG World of Warcraft, até se tornar mundialmente conhecido devido a... bem... sua falta de paciência, na verdade.

Por se tornar um favorito entre os jogadores pelo mundo, é citado em vários lugares, como no Detona Ralph, onde seu nome está grafitado na parede, e voltou ao World Of Warcraft na última expansão como um personagem não jogável (NPC).

18. Metal Gear Solid tem referências musicais ilustres

A franquia está cheia de referências às músicas de David Bowie – e isso é porque Hideo Kojima, o criador e principal desenvolvedor do jogo, é grande fã do artista.

No último jogo da série, Metal Gear Solid V, além dos Diamond Dogs, um exército liderado pelo protagonista, há várias menções ao The Man Who Sold The World. Temos também pela franquia menções à Space Oddity, como o codinome Major Tom.

19. Megaman… ou Rockman?

Todo fã de Megaman se espanta ao descobrir que ele é chamado de Rockman no oriente. O que poucos sabem é que, quando o jogo chegou aos Estados Unidos, ele teve seu nome alterado por medo que as pessoas o associassem com “rock”, gíria para cocaína utilizada por lá.

20. Na verdade, os Creepers de Minecraft deram bem errado...

Os Creepers, mais famosos monstros do jogo, são fruto de um erro de programação. Originalmente, eram para ser porcos, mas os valores de altura e comprimento foram colocados errados e acabaram gostando da ideia. Mas o erro é mais que desculpável, já que a primeira versão do jogo foi criada em apenas seis dias.

21. Bate o saudosismo ao olhar pra tela de inicialização do PlayStation 2? Pois ela não está aí à tôa

Naquela época não tão distante, quando todo mundo tinha um PlayStation 2 em casa, a competição entre os moleques do prédio já começava quando ligavam o videogame: quem tinha a maior quantidade das torres que apareciam na inicialização do videogame?

Mas você sabe por que elas eram diferentes?

Quando ligamos o Playstation 2, ele lê os jogos salvos no cartão de memória e cria uma torre para cada um deles, alterando seu tamanho conforme o tamanho dos arquivos lidos.

22. Sonic The Hedgehog 3: sua trilha sonora é obra do rei do pop

Se você ouvir uma música do jogo nem vai notar. E tudo bem, poucos notam mesmo.

Mas te garanto que, após descobrir que o rei do pop fez a trilha sonora do jogo, se tornará mais do que óbvio.

Alguns dizem que Michael Jackson não assinou a trilha sonora por não ter ficado satisfeito com o resultado final, enquanto outros dizem que foi uma ordem de superiores por causa do escândalo que surgiu na época a respeito das acusações de pedofilia. Fato é que a obra é dele.

23. Star Ocean: Second Evolution ganha recorde de finais alternativos

Com a tendência atual de games nos quais o jogador influencia diretamente a história que leva a algum dos múltiplos finais, é um jogo de 2008, Star Ocean: Second Evolution, que está ganhando disparado a disputa de quem tem mais finais alternativos: são 100 possibilidades.

24. Você também pode crescer ou diminuir com os cogumelos de Super Mario Bros., mas eu não recomendo

Caso você sonhe em comer um cogumelo e crescer como o Mário e o Luigi, saiba que é possível.

A Amanita Muscaria causa várias distorções visuais, como macropsia e micropsia, onde o usuário enxerga, respectivamente, objetos menores ou maiores do que ele - efeito que se chama Síndrome da Alice no País das Maravilhas.

Observação: esses são só alguns dos efeitos colaterais do cogumelo.

25. O centenário coral de The Elder Scroll V: Skyrim existe?

Quando se escuta a música Dragonborn, tema do jogo de Skyrim, a impressão que temos é de estarmos ouvindo um coral centenário com uma orquestra sensacional de fundo. A parte da orquestra está certa, mas não a do coral centenário: na verdade, são só 30 pessoas cantando.

O macete foi gravar a música três vezes e sobrepor as vozes, simulando 90 pessoas.

26. Já imaginou jogar The Legend of Zelda no futuro?

A temática do jogo sempre foi bem clara, seguindo seu estilo medieval fantástico, com deuses, magias e suas armas lendárias. Mas a ideia original era bem diferente.

O jogo A Link To The Past iria se passar no presente e no futuro, o que transformaria todos os aparatos mágicos da franquia em pura tecnologia. A relíquia sagrada Triforce, por exemplo, seria feita de microchips e o jogador iria coletar esses microchips pelo jogo.

27. The Witcher é, na verdade, um jogo polonês

A franquia de Witcher cativa todo fã de RPG. Mas se vocês acham que jogo bom só vem dos Estados Unidos ou do Japão, estão muito enganados!

Todos os jogos franquia foram produzidos pela CD Projekt, uma desenvolvedora e distribuidora polonesa. E não para por aí: os jogos são baseados na série de livros A Saga do Bruxo Geralt de Rívia, do escritor também polonês Andrzej Sapkowski. São no total sete livros, lançados entre 1992 e 1999 na Polônia, enquanto no Brasil foram somente 5 livros.

28. World of Warcraft é o jogo mais pop que você imagina – especialmente por suas referências

Justamente por estar constantemente recebendo atualizações e expansões, World of Warcraft possui inúmeras referências à cultura pop que vão desde o Hobbit, encontrando três ogros ao redor de uma fogueira que se alimentaram de alguns anões e um ladrão, até a itens e missões especiais, como algumas dedicadas ao jogo Plant Vs. Zombies ou ao escritor H. P. Lovecraft.

 


publicado em 20 de Fevereiro de 2016, 00:05
11924228 988275881194717 6614455207642812309 n

Pedro Soler

Estudante de Letras, apaixonado por literatura e viciado em histórias das mais diversas, procurando doses diárias e desenvolvendo novas com suas próprias canetas. Escreve nas horas vagas para sites e blogs diversos, enquanto, nas horas ocupadas, mantém um site de jornalismo gamer e escreve mais .


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: