Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

30 músicas pra mergulhar no forró: velha guarda

Nada como um bom arrasta-pé, um xote chamegado ou um baiãozinho pra dançar gostoso

Xote, baião, arrastapé, xaxado, coco, mazurca, rojão. A ideia aqui não é definir o que é ou não é forró, nem discutir se "forró" veio de "for all" (não veio), nem fazer uma lista definitiva.

O nosso foco será botar o pé na pista ao som de alguns dos inúmeros clássicos, pra pegar a cabocla (ou o cabra) e rodar por aí. Serão dois posts. Neste, vamos de velha guarda. Só clássico.

Vamos lá.

1. Isso aqui tá bom demais – Dominguinhos

Nascido em Garanhuns, Pernambuco, Dominguinhos teve como padrinho o rei do baião, Luiz Gonzaga, outro pernambucano de Exu.

2. Eu só quero um xodó – Dominguinhos e Anastácia

3. Vira e mexe – Luiz Gonzaga

Música que fez o rei do baião estourar. Foi apresentada no show de calouros de Ary Barroso arrancando aplausos da plateia, sendo sua primeira música gravada em disco.

4. Dança mariquinha – Luiz Gonzaga

Mazurca, ritmo de três tempos semelhante à valsa.

Curiosidade: em um baile de forró você provavelmente nunca vai ouvir uma mazurca. Os DJs e trios que tocam ao vivo usam apenas músicas binárias, de dois tempos.

5. Pagode russo – Luiz Gonzaga

Para agitar um pouco mais, tome esse arrasta-pé de Luiz Gonzaga, “Pagode russo”.

6. Peba na pimenta – Marinês

Ao voltarmos nossos olhares para outros artistas da história, não podemos deixar de citar Marinês. Ela gravou seu primeiro disco em 1956, e a canção que a consagrou foi "Peba na Pimenta", de João do Vale, José Batista e Adelino Rivera, que causou polêmica na época em que foi gravada devido ao seu duplo sentido.

7. Tudo grande – Marinês

Outro sucesso de Marinês é “Tudo Grande”. Dá-lhe mais duplo sentido.

8. O sucesso da Zefinha - Anastácia

Não podemos deixar de citar Anastácia, que se interessou pela música aos sete anos de idade e foi casada com Dominguinhos, seu maior parceiro de carreira musical.

A música “O sucesso da Zefinha” é um xaxado agitado é tocada até hoje nos forrós.

9. Sebastiana – Jackson do Pandeiro

Jackson do Pandeiro foi outro artista notável. Em 1953, com trinta e cinco anos, gravou o seu primeiro grande sucesso: "Sebastiana", de Rosil Cavalcanti.

10. Forró em Limoeiro – Jackson do Pandeiro

Logo depois, Jackson emplacou outro grande hit: "Forró em Limoeiro", um rojão composto por Edgar Ferreira.

11. Forró Pesado – Trio Nordestino

Em 1958 foi criado o Trio Nordestino, na cidade de Salvador. Formação clássica do forró: um sanfoneiro, um zabumbeiro e um triangulo para dar o toque especial.

Os fundadores Lindú (voz e sanfona), Coroné (zabumba) e Cobrinha (triângulo) lançaram o primeiro disco em 1962, apimentando a música brasileira com o suingue, o humor e a sensualidade do sertão. O grupo ganhava então a benção do rei do baião, Luiz Gonzaga.

12. Petrolina Juazeiro – Trio Nordestino

13. Maracatu Êta – Trio Nordestino

14. É proibido cochilar – Os Três do Nordeste

15. Forró de tamanco - Os Três do Nordeste

16. Tem quem reze por mim – Trio Juazeiro

Há quase 20 anos sem gravar, o Trio Juazeiro, que é o trio de forró mais antigo em atividade e com a formação original, quebrou o jejum e lançou um trabalho em 2014, o álbum “Rede Balançando”.

17. Cinturinha dela – Jacinto Limeira

18. No pé do lajeiro – João do Vale e Tom Jobim

João Batista do Vale nasceu em Pedreiras, Maranhão, em 11 de outubro de 1934. Desde pequeno gostava muito de música, mas logo teve de trabalhar, para ajudar a família. Como compositor, em 1969 fez a trilha sonora de Meu nome é Lampião (Mozael Silveira).

Depois de se afastar do meio musical por quase dez anos, lançou em 1973 o álbum "Se eu tivesse o meu mundo", com Paulinho Guimarães.

19. Será que é amor – Trio Virgulino

Grupo bem tradicional do forró sudestino. Cheios de sentimento.

20. Até mais ver – Trio Virgulino

21. Mata papai – Trio Forrozão

Forte e arretado, já ganhou muitas versões.

Mas tem xote também.

22. Sou o estopim – Trio Forrozão

23. Se tu quiser – Santana, o cantador

24. Agradar você – Trio Potiguá

A rabeca é um instrumento muito gostoso de ouvir, seus agudos lembram um pouco o violino.

Filpo Ribeiro é um dos artistas que tocam Rabeca, e na música Rabo de arraia você pode conferir o som dela.

25. Nega buliçosa – Azulão

26. Nóis é jeca mais é joia – Xangai

Xangai é outro artista com músicas alegres.

27. Onde está você – Trio Xamego

Dió de Araújo tem uma voz inconfundível, seus xotes fazem todos xamegarem dançando mais juntinhos. Onde está você é um de seus maiores sucessos.

28. Lamento Nordestino – Sebastião do rojão

29. Severina Xique-Xique - Genival Lacerda

30. A vida do viajante (e Riacho do Navio) - Fagner

Música de Luiz Gonzaga, na versão lindíssima do Fagner.

* * *

Vai, puxa a cabocla pra dançar agarrado e conta pra gente, nos comentários, qual forró a gente esqueceu de listar por aqui.

* * *

Nota do editor, 15/02/2016: O Fernando Serrano, atendendo a pedidos, transformou esse post em uma lista do Spotify. De quebra, a lista conta com algumas adições, ficou excelente.

Olha lá, que coisa linda: 

 


publicado em 13 de Fevereiro de 2016, 11:14
1460291 10203232086431468 1579245301659004474 n 1

Marco Aurélio Greco

Dançarino, professor de forró e tango, engenheiro civil, solteiro, amante da dança de salão com foco especial no forró há mais de 10 anos. Se pudesse, teria estudado engenharia da dança.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura