35ª Edição do GP Brasil de Fórmula 1

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Asm selo png
  • 130x50 jpg

Hoje poderemos presenciar a corrida das corridas, que definirá o vencedor do Grand Prix de Fórmula 1 2007.

Kimi Raikkonnen e Fernando Alonso tentam impedir o estreante Lewis Hamilton de faturar esse título inédito. Entretanto, antes de entrarmos nos méritos da briga que acontecerá na pista, vamos falar um pouco sobre os fatores que a tornaram tão peculiar.

O episódio da Espionagem

Em 24 de abril a procuradoria de Modena na Itália, condena dois funcionários da Scuderia Ferrari por, supostamente, terem transferido informações de projeto da equipe italiana para Iacconi Santini, engenheiro da Toyota. Seguindo o exemplo da equipe japonesa que demitia seu empregado, a Ferrari afastava os acusados Mauro Iacconi e Angelo Santini.

Alonso
Quem vai faturar essa disputa?

Durante as investigações descobre-se que os afastados possuíam ligação com outro engenheiro, o inglês Nigel Stepney, responsável pelo desenvolvimento de desempenho da Ferrari. Em 21 de junho o inglês era afastado embora a Ferrari não divulgasse a natureza da acusação.

Segundo a agência de notícias italiana Ansa, o inglês teria ficado insatisfeito por não ter “herdado” o cargo de diretor técnico da escuderia italiana. No meio tempo, Alonso e Hamilton, companheiros na McLaren, degladiam-se nos jornais disputando a atenção da mídia e alimentando a rivalidade na luta pelo acento de piloto principal da McLaren.

Sabotagem?

Ao final de junho já suspeita-se que Stepney seria o responsável por uma sabotagem nos carros de Massa e Raikkonen em corrida realizada no dia 21 de maio. Finalmente, em 3 julho a equipe McLaren afasta Mike Coughlan sob suspeita de envolvimento e troca de informações sobre a Ferrari através de Stepney. A McLaren lança um comunicado dizendo que jamais utilizou informações provenientes da Ferrari e que convida a FIA para vistoriar seus carros. A imprensa do mundo inteiro começa a divulgar que, se provadas as acusações de uso de material proveniente de espionagem, a McLaren será expulsa da F1 e que os pilotos Alonso e Hamilton serão exemplarmente punidos.

Fernando Alonso começa a demonstrar descontentamento com o episódio da espionagem, com as brigas com Hamilton e até mesmo com o desempenho de seu automóvel. Inicia uma briga pessoal com o diretor de sua equipe ao dar entrevista falando de seus problemas de relacionamento com os colegas. Hamilton, que se tornava um fenômeno por ser o primeiro piloto negro da história da F1 e por ser o primeiro estreante a liderar o campeonato, começa a preocupar-se em ter sua carreira precocemente encerrada. Logicamente, a Ferrari pressiona a FIA por veredicto rigoroso, o que aumenta a rivalidade entre as duas equipes.

A situação da espionagem somada à indisciplina de Alonso tornam delicada a relação entre o piloto e a direção da equipe. A McLaren decide notificar Alonso que ele está livre para deixar a equipe, se quiser. Hamilton aproveita o momento e se torna não-oficialmente a única aposta da McLaren.

O veredicto determina que a McLaren é inocente. Todas as equipes se revoltam com a decisão.

“Certamente este não é um bom momento para o esporte. Não está nas mãos dos pilotos julgar, mas temos nossas opiniões, e acredito que Jean Todt e o presidente Montezemolo vão reagir. E nós pilotos temos que mostrar isso nas pistas. Temos um bom carro, e a diferença para a McLaren não é grande. Poderia ter ganho em Nurburgring, se não fosse a chuva”, diz Felipe Massa. Nesse momento Massa é o terceiro colocado no mundial de pilotos deste ano, com 59 pontos, 11 atrás do líder, o inglês Lewis Hamilton, da McLaren.

A McLaren passa a divulgar que a Ferrari usa os holofotes do caso de sabotagem para desviar a atenção de seu carro que estaria ilegal.

Alonso X9?

De acordo com o jornal espanhol AS, o bicampeão Fernando Alonso seria o “informante da FIA” sobre as irregularidades e espionagens da McLaren. O piloto estaria passando algumas provas da equipe para a entidade, o que poderá fazer o time, caso seja considerado culpado, perder todos os pontos marcados na atual temporada da Fórmula 1.

A seis provas do fim da temporada Hamilton se manifesta: “Quando se têm dois pilotos na mesma equipe disputando o título, é normal uma certa desavença entre eles. A equipe também recebe mais pressão, pois não pode favorecer nenhum dos dois. Nossa situação está muito difícil por causa dos problemas com a FIA e a Ferrari. Entretanto, temos que nos concentrar e mostrar que nosso carro continua competitivo. Sei que é complicado não pensar nos problemas, mas é o que temos que fazer”.

Canais da imprensa automotiva divulgam que a FIA havia acabado de banir a McLaren dos campeonatos de 2007 e 2008. Fãs da F1 no mundo inteiro ficam chocados. Horas depois a notícia é desmentida.

McLaren fora da disputa do Mundial de Construtores

A FIA divulga um comunicado oficial dizendo que a McLaren continua no campeonato de 2007, mas perde todos os pontos no Mundial de Construtores, além de pagar uma multa de US$ 100 milhões à entidade. Entretanto, seus pilotos, Lewis Hamilton e Fernando Alonso, continuam na disputa, sem punições. A Ferrari fica satisfeita com o resultado e, sem espionagens e sabotagens, decide trabalhar duro para levar seus pilotos ao título do campeonato. Alonso e Hamilton, os líderes, continuam inimigos e terão de enfrentar a ira da Ferrari nas pistas.

Com a exclusão da McLaren do Mundial de Construtores confirmada, a Ferrari passa a liderar a tabela, com 143 pontos, praticamente garantindo o título. A Mercedes fica revoltada e chocada com a decisão. Diz que irá trabalhar muito duro para lutar contra as injustiças na pista.

RedBull
A emoção está de volta à F-1, finalmente

O campeonato incendeia em uma competitividade talvez sem precedentes na história da F1. Uma série de corridas espetaculares são protagonizadas pelos pilotos que proporcionam um show nas pistas há muito tempo não visto. Agora, Hamilton lidera com 107 pontos, Alonso em segundo possui 103 e Raikkonen vem em terceiro com 100 pontos.

Desde quando o grande Ayrton nos deixou eu não possuía a mesma empolgação para acordar cedo aos domingos. Essa temporada, na minha opinião, não ficará exclusivamente lembrada pelos escândalos. Nesse ano, os pilotos foram verdadeiros guerreiros levando seus automóveis ao limite em uma grande batalha travada nas pistas. Há muito tempo eu não via companheiros de equipe disputando curvas lado a lado, aguardando a última placa para reduzir três marchas com freio no fundo, atropelando zebras ou espalhando na grama. Nesse ano pilotos destruíram motores e pneus em diversas situações cujos carros não suportavam a vontade que seus condutores possuíam de vencer.

O autódromo José Carlos Pace em interlagos já foi palco de algumas das mais sensacionais corridas da história da F1. Tudo indica que amanhã isso acontecerá mais uma vez com três grandes pilotos disputando o título na última etapa. Um episódio como esse somente havia acontecido uma única vez na F1. Felipe Massa é pole em Interlagos e L. Hamilton larga ao seu lado. Na segunda fila Raikkonen e Alonso largam juntos. Eu apostaria em confusão já na primeira curva.

Se me perguntassem sobre uma passagem que ilustra a emoção do do Grand Prix de Fórmula 1 de 2007 eu indicaria o vídeo abaixo:

https://www.youtube.com/watch?v=mfdL_HURXTA

ou se preferir, pegue carona com Felipe Massa:

https://www.youtube.com/watch?v=KAWjWVhamY8


publicado em 21 de Outubro de 2007, 11:27
3861595431ec39c257aee5228db3092a?s=130

Rodrigo Almeida

Engenheiro, apaixonado pela vida e por qualquer coisa com um motor potente, nostálgico entusiasta de muitas daquelas boas coisas que já não mais se fazem como antigamente.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: