Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

5 coisas incríveis que vão acontecer em 5 anos

Futurologia é um terreno perigoso. Porém, é ao mesmo tempo, um exercício bastante divertido.  Dá pra rir fácil vendo o que pensávamos do que seria de nós há dez anos.

Esse ano, os pesquisadores da IBM resolveram fazer suas previsões para daqui a cinco anos baseados no conceito de que tudo vai aprender. Não todos. Tudo.

Sua casa, seu carro, sua TV, sua geladeira, o mercado e até a própria escola. Tudo vai ser mais inteligente e customizável por meio da interação com dados, dispositivos e pessoas. Até seu DNA tende a ser catalogado e usado para curar você mais efetivamente.

O futuro próximo já é bastante futurista.

1. Lojas locais vão bater a compra online

A diferença é que pequenas lojas vão voltar muito melhores, com a ajuda de diversas camadas de análises de dados, para tornar a experiência de compra bem mais agradável e customizada. Serviços de recomendação baseados no seu perfil, dados sobre o que os seus amigos compram e todas aquelas vantagens das compras online (e entrega no mesmo dia). Vai estar tudo lá.

Link Youtube

2. Nada mais de senhas: os computadores vão conhecer você melhor que ninguém, só pelos seus hábitos

Ou seja: imagine uma entidade invisível que sabe cada detalhe sobre todos os seus gostos, preferências, hábitos, manias, tiques, capaz de reconhecer quando não é você que está lá fazendo compras com seus dados.

Eles vão saber tu-di-nho. Só que pra proteger você.

É o que eles dizem.

Link Youtube

3. Médicos vão usar seu DNA para cuidar de você

Se todos os seus dados de comportamento vão ser coletados, seria bem difícil imaginar que o mesmo não pudesse ser feito com o nosso DNA.

Testes e coleta de DNA devem se tornar cada vez mais comuns e os médicos mais hábeis em utilizá-los como um histórico completo para tomada de decisões em tratamentos de câncer, por exemplo.

Link Youtube

4. Cada estudante vai ter uma experiência customizada de aprendizado, sem diplomas ou planos de aula

A sala de aula vai aprender com os alunos. A coleta de dados vai ser usada para tornar a experiência de aprendizado mais efetiva. Ou seja, se você tem uma dificuldade, então o sistema vai ser usado para descobrir uma forma de transpor esses obstáculos. Diplomas? Plano de aulas? Coisa do passado.

Link Youtube

5. As cidades vão se adaptar à população

Hoje, nós vivemos em grandes cidades dentro dos termos delas. Os horários, engarrafamentos, localizações, eventos, tudo pode ser um certo mistério aos quais precisamos não só desvendar como nos adaptar. Logo ali, a tendência é que tenhamos mais acesso aos dados que permeiam nossas cidades e possamos influenciar mais rapidamente, quando algo estiver errado.

Por exemplo, quando você ver um buraco na rua, pode informar à prefeitura naquele exato instante. A previsão do tempo pode detectar mudanças climáticas, como a chuva, e prever o aumento no número de pessoas nas ruas, enviando mais ônibus.

E isso é só a pontinha do iceberg. Cidades inteligentes estão aí há um tempo e já oferecem recursos quase inacreditáveis.

Link Youtube

Há riscos e discussões a serem feitas sobre a coleta de dados e privacidade. Como tudo que é novo, essas tecnologias devem trazer desafios para os quais ainda não estamos preparados. De qualquer forma, prefiro pensar de forma otimista e imaginar que esse futuro mais conectado virá com possibilidades positivas.


publicado em 20 de Dezembro de 2013, 09:34
Avatar01

Luciano Andolini

Cantor, guitarrista, compositor e editor do PapodeHomem nas horas vagas. Você pode ouvir no Spotify. Também escreve no Medium e em seu blog pessoal. Quer ser seu amigo no Facebook e Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura