Quer dar um tapa no visual mas não sabe por onde começar? Fizemos um curso online de estilo pra isso, o “Mas você vai de chinelo?”. Inscreva-se agora! É gratuito!

7 livros sobre ansiedade, depressão e suicídio para presentar um adolescente

Narrativas sensíveis para falar de temas que importam

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Logo havaianas 130x50 png
  • 47 nh 1 png

Quando acontecem tragédias como o atentado de Suzano, alguns elefantes brancos se materializam nas salas das famílias onde moram jovens e adolescentes. As notícias sobre violência nas escolas trazem à tona questões sobre bullying, solidão, ansiedade, depressão e suicídio.

Se for para falar dos garotos assassinos, há mais questões que precisam ser incluídas no debate, dentre elas a masculinidade. Mas esse texto não é sobre eles.

Independente da história dos assassinos, falar de vida escolar e juventude é dar de cara com questões de saúde mental que precisam ser debatidas, conversadas, que precisam deixar de ser tabu.

A depressão já é considerada o mal do século. Em 2000, a Organização Mundial da Saúde divulgou um relatório prevendo que, em um futuro próximo, 15% da força de trabalho mundial abandonaria seus postos por motivos relacionados à doença. A depressão cresceu 705% em 16 anos. Em 2017, os relatórios da OMS apontam que o Brasil é o 4º com o maior índice de depressão, afetando 5,8% da população nacional. Quando o tema é ansiedade, o Brasil lidera o ranking, já que 9,3% da população, ou aproximadamente 1 a cada 10 pessoas, sofrem com algum tipo de transtorno de ansiedade. Os problemas de saúde mental não são exclusividade dos jovens, mas tem crescido mais rapidamente entre estes.

“Os jovens de hoje em dia não sabem lidar com problemas” já podemos ouvir. No entanto, estudiosos de diversas áreas apontam para um problema contextual. A depressão e a ansiedade são doenças epidêmicas causadas pela situação socioeconômica e a realidade de vida de uma população.

Crises econômicas e políticas, falta de perspectiva de futuro associado à pressão para realizar grandes feitos individuais e a perceção de tempo, no qual as coisas precisam ser realizadas de maneira cada vez mais imediata são os ingredientes sociais que participam dessa epidemia.

A saúde mental não é um problema desse ou daquele adolescente que “não sabe lidar com seus problemas”. A saúde mental não é frescura. A saúde mental é um problema do século XXI e, se quisermos cultivar um mundo com mais qualidade de vida, precisamos aprender a conversar sobre ela com os jovens a nossa volta (e com os não tão jovens também).

Há um tabu muito grande sobre a depressão, a ansiedade e outros males. Muitos jovens não conseguem procurar ajuda e nem sequer chegam a falar sobre o tema com familiares e amigos. Há quem tente falar sobre, mas não consiga arrumar maneira de chegar ao assunto e há também aqueles que apesar de conseguirem colocar seus sentimentos em palavras, encontram resistência de parte da família – que não compreende a situação do jovem.

Para ajudar a puxar uma conversa sobre o tema, nós do PdH separamos uma lista de livros que podem ajudar adolescentes, adultos e idosos a entender a depressão, a ansiedade e outros males. Sobretudo, são narrativas que dão uma visão aprofundada e sensível a doenças de saúde mental e que ajudam a suscitar conversas significativas e saudáveis entre pessoas queridas.

As Vantagens de Ser Invisível - Stephen Chbosky

Você já ouviu falar de sick-lit? É uma palavra para se referir a literatura de dramas psicológicos. Alguns dos livros mais vendidos dos últimos anos, assim como As Vantagens de Ser Invisível entram nessa categoria.

O livro conta a história de um garoto solitário que faz novos amigos na escola. Juntos, os três se ajudam a enfrentar situações de bullying, depressão, desamores entre outros. Sem muitas mirabolâncias, a narrativa foca na riqueza das situações cotidianas.

Mônica: Força! - Bianca Pinheiro

Recomendado pela educomunicadora Natalia Sierpinski, este quadrinho, criado por Bianca Pinheiro, usa a turma da Mônica para contar uma história diferente. O livro consegue alcançar crianças e adultos e, com muita sensibilidade, aborda um tema delicado, que não podemos contar senão estraga a história.

O Demônio do Meio Dia:  Uma Anatomia da Depressão - Andrew Solomon

O Demônio do Meio Dia: Uma Anatomia da Depressão já é um clássico contemporâneo escrito pelo jornalista Andrew Solomon e considerado como uma das melhores representações na literatura. Andrew enfrenta a depressão e aborda o tema em sua palestra TED, incentivando a busca por ajuda.

A redoma de vidro - Silvia Plath

Segundo a youtuber Anna Costa, que fala sobre literatura e psicologia, A redoma de vidro, Livro de Silvya Plath escrito em 1963 é um dos que melhor retrata a apatia causada pela depressão, além de mostrar como a doença era tratada na década de 1960, cheia de estigmas e violências.

O Último Adeus - Cynthia Hand

Também recomendado pela Anna, O Último Adeus trata a questão do suicídio pela perspectiva da família e dos amigos. O livro narra a história de Lex, uma garota que começa a fazer terapia para tentar lidar melhor com a perda do irmão. A youtuber ressalta que além da abordagem delicada, outro ponto positivo do livro é mostrar detalhes sobre o processo de terapia.

Sempre faço tudo errado quando estou feliz: tirinhas sentimentais para todo tipo de bad - Raquel Segal

Outro quadrinho recomendado pela Natalia Sierpinsky, é o Sempre Faço Tudo Errado Quando Estou Feliz. Com uma arte muito legal e toda monocromática, Raquel segal retrata a ansiedade agindo em momentos cotidianos.

Boy Erased: Uma Verdade Anulada - Garrard Conley

O aclamado livro de Conley virou filme e estreou no circuito independente do Brasil em janeiro de 2019. A história conta os sofrimentos de um jovem, filho de um pastor, que é mandado para uma instituição de “cura gay” e que enfrenta problemas de saúde mental relacionados às violências que sofre.

* * *

A ideia inicial era criar uma lista de livros que pudessem ajudar jovens a compreender e a falar sobre depressão e ansiedade e, se for o caso, procurar ajuda. No entanto, os problemas de saúde mental afetam a todas as pessoas e qualquer um pode se beneficiar de todas essas indicações. Ler e mergulhar em histórias é uma forma de desenvolver empatia.

Nenhum desses livros tem a capacidade de, por si só, curar o problema de alguém, no entanto, ler e identificar-se com uma história pode ajudar diminuir o sentimento de solidão e isolamento, além de inspirar a busca por ajuda. Ler sobre também ajuda familiares e amigos próximo a quebrar preconceitos, compreender quem está passando por um momento difícil e demonstrar sensibilidade.

E você, indica algum livro, filme ou série bacana que ajudam as pessoas a falarem sobre o tema e a buscarem ajuda?

Se você precisa ou sabe de alguém que precisa de ajuda:

Recomendamos, em primeiro lugar, o Centro de Valorização da Vida, que você pode entrar em contato pelo telefone: 188 e 141 ou pelo site: www.cvv.org.br.

Também temos alguns artigos que podem ser úteis:


publicado em 19 de Março de 2019, 19:57
Img 20190518 102150 405 jpg

Gabriella Feola

Editora do Papo de Homem e autora do livro "Amulherar-se" . Atualmente também sou mestranda da ECA USP, pesquisando a comunicação da sexualidade nas redes e curso segunda graduação, em psicologia.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: