9 filmes para assistir em novembro

Aproveita que ainda tem feriado pra ajudar a dar uma pausa e ir pro cinema.

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo dorel jpg
  • Vivara130x50 jpg

A famigerada lista mensal de estreias tirou férias mas já tá de volta.

E por falar em retorno e filmes, enquanto nós voltamos quem tá indo embora é a 40ª Mostra Internacional de Cinema. Ela rolou em São Paulo e terminou na quarta-feira, com direito à exibição ao ar livre no Ibirapuera. O filme foi "A General", do Buster Keaton e Clyde Bruckman, e a música ficou por conta da Orquestra Heliópolis. 

Fui atrás da história da Mostra e descobri que ela é cheia de resistência. O criador foi Leon Cakoff, que morreu em 2011 e construiu o evento em 1977 pra comemorar os 30 anos do MASP. O problema é que na época o Brasil sofria com as imposições do governo militar, e o cinema não ficava de fora: com as censuras, Cakoff teve dificuldade em trazer alguns filmes pro Brasil. 

Mesmo no olho do furacão, a Mostra cumpria um papel super importante: o de fazer viver a democracia. Parte do evento incluía a participação do público para escolher o melhor filme; em meio a um regime militar, exercer o direito do voto era uma forma de respirar um pouco mais livre.

Momento giro da história feito, vamos voltar pro nosso querido mês sem quebrar o tom que a Mostra Internacional deu aos últimos dias? Vem ver o que tá saindo do forno em novembro!

1. Doutor Estranho (2/11)

Vindo diretamente do Universo Marvel, Doutor Estranho saiu dos quadrinhos pra tomar conta dos cinemas. Ele era um neurocirurgião, mas ficou incapaz de continuar trabalhando depois de sofrer um acidente de carro. Procurando uma forma de se curar, ele acabou caindo em um lugar que estava bem longe de ser um simples centro de medicina. 

Teve ansiedade pra estréia e discussão acalorada sobre uma atriz  interpretar o papel do Ancião, que é originalmente masculino. Chegou a hora de ver o resultado.

2. A Luz Entre Oceanos (2/11)

Lembram da Alice Vikander, que levou o Oscar de melhor atriz pelo filme A Garota Dinamarquesa? Ela tá no elenco de A Luz Entre Oceanos também. Esse filme foi baseado em um livro, que ficou entre os mais vendidos do mundo, e conta a história de um casal que encontrou um bebê à deriva e acabou pegando a criança para criar como se ela fosse deles.

Tempos depois, uma mulher, que perdeu sua filha e seu marido no mar (coincidência? acho que não), aparece para balançar a consciência do casal. 

3. Canção da volta (3/11)

Eu, particularmente, adoro filmes que abordem questões como problemas psicológicos, saúde mental e como o mundo vai nos sugando aos poucos se a gente não ficar esperto. Nesse, que é brasileiro e tem o João Miguel e a Marina Person no elenco, a personagem principal tentou se matar; em torno disso se desenrolam diversos outros pontos, moldados por um casamento em crise, filhos, brigas e ciúmes.

4. Cinema Novo (3/11)

Eryk Rocha deixou claro que sua intenção não foi fazer um filme histórico, mas uma espécie de ensaio poético.

Cinema Novo, o documentário que foi lançado ontem, venceu o prêmio Olho de Ouro, em Cannes, e usa um arquivo riquíssimo para contar a história daqueles que tinham "uma câmera na mão e uma ideia na cabeça", com entrevistas e cenas de 130 filmes do cinema novo.

5. O Nascimento de Uma Nação (10/11)

Ele foi exibido pela primeira vez em terras brasileiras durante a Mostra Internacional de Cinema, a mesma que eu citei ali no começo. O nascimento de uma nação, que provocativamente leva o mesmo nome de uma produção racista feita por D.W. Griffith em 1915, narra a história de uma rebelião de escravos.

Com direção de Nate Parker, que também protagoniza a produção, o filme já teve sérias discussões a respeito de polêmicas envolvendo Nate, mas também foi apontado como uma das apostas ao Oscar 2017.

6. Much Loved (10/11)

O filme marroquino conta a história de quatro prostitutas de Marrakech que, em busca de proteção e força para aguentarem as dificuldades e preconceitos, se unem como uma família. 

O filme já deu o que falar e chegou a ser proibido pelo governo de Marrocos. A atriz Lubna Abidar, que interpreta a personagem principal, chegou a se mudar para a França, por ter sofrido julgamentos a respeito da atuação.

7. Animais Fantásticos e Onde Habitam (17/11)

Um dos mais aguardados filmes do mês (quiçá do ano, para os amantes de Harry Potter) está mais perto de ser visto. J.K. Rowling levou a magia para a cidade de Nova York através da maleta do magizoologista Newt Scamander, interpretado por Eddie Redmayne (que levou o Oscar de melhor ator em 2015 pelo filme A teoria de tudo). 

Lá, alguns dos animais fantásticos que ele carrega em sua maleta acabam escapando, o que o torna uma visita inconveniente aos olhos da comunidade bruxa norte-americana.

O primeiro filme nem tirou as fraldas ainda mas já tem continuação; ao todo serão cinco, e a participação do ator Johnny Deepp na saga já foi confirmada. 

8. Rainha de Katwe (24/11)

Esse parece ser um daqueles filmes que inspiram e nos conectam aos nossos sonhos, sejam eles quais forem. Rainha de Katwe tem participação de Lupita Nyong'o, ganhadora do Oscar de melhor atriz coadjuvante por "12 anos de escravidão".

A personagem principal, Phiona Mutesi, interpretada por Madina Nalwanga, é uma jovem pobre que mora em Uganda. Mas a realidade que a cerca e o fato de ter precisado parar de estudar por conta das condições financeiras não tirou dela a vontade de realizar seu sonho: ser a melhor jogadora de xadrez do mundo.

9. Elis (24/11)

Para os fãs, essa é uma ótima oportunidade de conhecer melhor a trajetória de Elis Regina. Interpretada pela atriz Andreia Horta, Elis conta a história de vida da cantora e passa pelos pontos mais importantes da carreira, passando pelos relacionamentos, brigas, envolvimento com a Ditadura Militar e vícios, que foram fatais.


publicado em 04 de Novembro de 2016, 18:27
Foto jpg

Carol Rocha

Leonina não praticante. Produziu a série Nossa História Invisível , é uma das idealizadoras do Papo de Mulher, coleciona memes no Facebook e horas perdidas no Instagram. Faz parte da equipe de conteúdo do Papo de Homem, odeia azeitona e adora lugares com sinuca (mesmo sem saber jogar).


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: