A calmaria de uma semana com feriado | Melhores comentários da semana

Essa semana o PapodeHomem era só marola, sombra e água fresca. Veja as melhores conversas

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo dorel jpg
  • Vivara130x50 jpg

Oi, gente!

Se na semana passada o bicho pegou aqui na casa, lá no texto dos meninos de das bonecas, se lá a chama esquentou, a jiripoca piou, o varal entortou, o galo cantou e todo mundo cantou de galo, essa semana foi tomada por um remanso bem do produtivo.

Not today, surfers

Eu explico.

Tivemos artigos muito bom com ótimas conversas e comentários, mas nada que fizesse escarcéu, embates saudáveis ou agressivos. Foi mais um momento de troca de percepções, de pessoas subindo nos ombros de alguns artigos para complementar seus pensamentos ou desabafar sua versão dos fatos. 

Tava tudo nos conformes. Deve ter sido o feriado de quarta.

Tivemos, além dos destaques aqui debaixo, o Bom Dia da semana com a Amanda Guarnieri, em que ela foi pessoalmente bater um papo com cada um que comentou por lá. Eu coloquei também uma série de fotos sensuais tiradas por um mexicano cego, com algumas conversas sobre o sensorial e o braile. Além disso tudo, alguns subterfúgios do Alex Castro sobre amores e capivaras também estão publicados nesta semana e um vídeo bem bom sobre a diferença entre o Akira, clássico japonês, do mangá e do filme de cinema.

E aí, o que acharam das conversas da semana? Quis comentários e textos mais gostaram?

Em Por que só o esforço individual não garante o sucesso, por Nexo Jornal

Em As vezes que o voluntariado me salvou, por Eduardo Estellita

Em As vezes que o voluntariado me salvou, por Eduardo Estellita

Em Estourando bolhas sociais: uma ideia simples, por Alberto Brandão


publicado em 04 de Novembro de 2016, 00:00
13350456 1045223532179521 7682935491994185264 o

Jader Pires

É escritor e colunista do Papo de Homem. Escreve, a cada quinze dias, a coluna Do Amor. Tem dois livros publicados, o livro Do Amor e o Ela Prefere as Uvas Verdes, além de escrever histórias de verdade no Cartas de Amor, em que ele escreve um conto exclusivo pra você.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: