A loucura de um amor não resolvido | Do Amor #19

Ou quando esse louco desvairado é bem resolvido demais para o nosso entendimento

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Vivara130x50 jpg
  • Selo dorel jpg

Virou e disse, "mas o que tem de tão interessante nessa televisão que você não olha pra mim?", na maior, costas das mãos na cintura e um sorrisão que parecia ocupar o rosto inteiro. Era um daqueles restaurantes silenciosos em que se senta no balcão e fica assistindo um jogo qualquer. Ela queria atenção e ele deu foi logo um amor inteiro, coração e gaveta em seu quarto. 

Eram do tipo de casal que gostava de fazer compras juntos no mercado, matavam o tempo na fila com conversas que julgavam proveitosas, sonhos imaturos, trocas de carícias. Um grudinho só. Ela dormia na casa dele mesmo morando próximos. Ele saía com os amigos e a encontrava de pijaminha já dormindo em sua cama ou era ela quem chegava de alguma noitada com as amigas e deslizava para debaixo do lençol dele. "Você é mais fofo que o meu colchão", repetia antes do último suspiro que puxava o sono pesado dos ébrios. 

Certa quarta, no intervalo do jogo, viu uma foto dela no bar pelo Instagram. Ela escreveu algo que parecia não ter pé e nem cabeça, mas ele sacou na hora a indireta pra ele, uma espécie de eu te amo que só os dois entenderiam. Afirmou pra si dentro da cabeça que agradeceria com beijos bons quando ela chegasse na cama de madrugada. Mas acordou sozinho.

Quando se encontraram à tarde, foi no parquinho em frente ao prédio dele. Ela pediu para ele descer e ficava riscando a areia com um pedacinho de pau incessantemente, aumentando a cada passada o vinco no chão. Na noite anterior, na porta do bar, ela ouviu seu nome pronunciado por uma voz familiar e acabou caindo nos lábios do ex-namorado, uma madrugada em que mundos e fundos foram prometidos, a saudade, os bons tempos. Não foi questão de corpo, disse ela, mas de outra conexão anterior que precisava ser resolvida. Ele tirou o graveto da mão dela e a abraçou dizendo que estava tudo bem, que não seria uma escapada ou recaída que simplesmente encerraria uma relação. Mas ela tinha outros planos e afirmações a serem feitos. Precisavam terminar para que ela voltasse a namorar o antigo companheiro, um baque que nem ela havia concebido até o toque dos dois na saída do bar. Ela disse que precisava embarcar naquela outra união e que, para isso, necessitava encerrar a que eles estavam tendo há tempos.

Na cama dele não houve mais escaladas noturnas. Encontrou com ela por um acaso na saída do cinema, estava acompanhada com o atual namorado, braços dados e risadinhas de alguma piada. O recente dela parecia ser uma pessoa super tranquila e visivelmente apaixonada, olhares orgulhosos constantes, o rosto iluminado e leve. Não se fazia para um possível enfrentamento, apenas devia ser bom demais para ser verdade.

Trocaram olás, prometeram se encontrar pra destrocar uns livros. E se encontraram de fato, o ex-casal, mas nas últimas semanas eles estavam já se vendo em segredo, justamente por conta de um livro que virou uma foda que virou vários outros encontros. Eles dois ainda trocam juras de amor e fazem planos juntos, projetos para quando voltarem a ficar juntos.

Teve uma vez que ele comentou estar começando a se envolver com outra garota, uma menina legal de papo, boa de cama. Disse tudo em uma dessas topadas furtivas, com ela deitada em seu peito pós-sexo. Sua ex-namorada sorriu e disse "é, aproveita essa longa despedida de solteiro porque sua mesmo, só eu". Ele concordou com aceitação genuína, estava claro demais para ambos que tudo só poderia acabar com eles tradicionalmente casados e, enfim, juntos. Mas não ainda. Ela foi pra casa de ônibus, falando no Whatsapp com o namorado e ele correu para casa. Precisava tomar banho para encontrar sua nova gatinha.

O amor, esse louco desvairado.

O livro Do Amor está à venda!

Gente, finalmente o livro Do Amor está pronto e no jeitinho pra ser vendido! Quer um? É só entrar na minha página do PagSeguro e fazer a compra! O livro está com o preço de R$39,90, mais nove reais para o custo de frete por item!

Qualquer coisa, me chama no Instagram (@jaderpires) ou manda e-mail pra jader@jaderpires.com.br pra eu te enviar um exemplar com dedicatória bem bonita e tudo.

Beijo!

Assine a Meio-Fio, a newsletter do Jader Pires

Pessoal, saiu hoje mais uma Meio-Fio, minha newsletter semanal com contos e crônicas, mais um monte de coisa boa, recomendações e links que vou pegar por aí. 

Sempre às sextas, vai chegar quentinho no seu e-mail. Basta se cadastrar com nome e e-mail aqui.


publicado em 30 de Outubro de 2015, 00:10
13350456 1045223532179521 7682935491994185264 o

Jader Pires

É escritor e colunista do Papo de Homem. Escreve, a cada quinze dias, a coluna Do Amor. Tem dois livros publicados, o livro Do Amor e o Ela Prefere as Uvas Verdes, além de escrever histórias de verdade no Cartas de Amor, em que ele escreve um conto exclusivo pra você.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: