A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

A “mágica” de “David Blaine” e como ficar rico num passe de mágica

Minha paixão pelo ilusionismo começou em 2002. Eu namorava com uma garota que tinha um vizinho que era mágico profissional.

Lembro-me que nas vezes que nos encontrávamos e ele tinha um baralho disponível, fazia alguns efeitos que me deixavam, no modo carioca de dizer, bolado. O cara adivinhava sempre a carta que eu escolhia. Puta merda!

Mas um dos efeitos que ele fazia me chamou a atenção, porque parecia inexplicável. Eu escolhia uma carta aleatoriamente, escrevia o nome dela num pedaço de papel, ele queimava o pedaço de papel sem sequer olhar, pegava as cinzas e esfregava no braço.

magico-antigo
Coelho pensando: "mais um dia de trabalho de merda"

Pasmem! O nome da carta e o naipe simplesmente APARECIAM MARCADOS PELAS CINZAS nos braços dele. Imaginem a minha cara de tacho ao ver isto. Era algo inacreditável.

Bom, naquela época eu era residente do 3º ano de ortopedia, e estava prestes a terminar minha especialização. Havia a prova para admissão na Sociedade Brasileira de Ortopedia pela frente, e faltando 6 meses para a prova, meu namoro terminou. Eu estava num momento ruim e eu precisava estudar para a prova.

Após a aprovação na prova, em janeiro de 2004, eu estava “livre”. Recordei os momentos curiosos que aquelas mágicas me proporcionaram e fui à caça. Descobri pela internet o maravilhoso mundo das mágicas e do ilusionismo. Que realmente os mágicos mais badalados como David Blaine e Criss Angel eram caras que subvertiam a arte mágica em espetáculos grandiosos com intuito financeiro e puro marketing.

A verdadeira mágica

O real e grande objetivo da arte mágica é trazer entretenimento a todos, sem revelar os segredos, ou usar a arte como engrandecimento pessoal. Sobre Mister M eu nem comento, felizmente, quando os episódios passavam no Fantástico, era uma época que eu era estudante de Medicina trabalhando domingo de noite, ou seja, nem vi.

Por intermédio de DVDs educativos de mágica e muita pesquisa, devido ao meu fascínio pela arte, adquiri um conhecimento extraordinário. Lembram que o David Copperfield fez a Estátua da Liberdade sumir? Pois é, eu descobri como...

Porém, por entender a essência do ilusionismo, e por entender como este sobrevive e ainda encanta multidões, não poderia revelar tal fato. Neste caso, o segredo é alma do negócio.

Quem é versado no assunto entende a arte envolvida. Então, leitores, vocês devem estar se perguntando, "Pra que diabos esse babaca ta falando tudo isso?"

Vamos lá.

Primeiro (momento marketing pessoal total), quero mostrar a vocês como os mágicos ficam ricos. Essa mágica é um vídeo gravado por mim mesmo, mostrando como, digamos, aumentar o valor de sua cédula monetária...

 

link vídeo

Esse cara que ta aí transformando dinheiro, sou eu mesmo. Pode crer.

Completando o post, quero mostrar uma série de vídeos satirizando o mágico David Blaine. Me acabo de rir quando vejo a cara que o indivíduo no papel do Blaine faz após o efeito. Ah, antes tem um vídeo excelente com o melhor mágico do mundo.

Infelizmente quem não souber inglês vai ficar de certa forma prejudicado pela falta de legendas, mas mesmo assim, vale a pena a parte visual da coisa.

Que a arte mágica esteja com vocês

Daniel Chesterfield

David Blaine 1

David Blaine 2

David Blaine 3

David Blaine 4

Mais David Blaine

PS: Após muita pesquisa, eu acabei descobrindo como o cara fazia para esfregar as cinzas no braço e fazer o nome da carta aparecer. Mas, não conto nem fodendo! Em nome da arte...


publicado em 01 de Julho de 2008, 10:29
7375567d0f2c379b7588ce618306ff6c?s=130

Mauricio Garcia

Flamenguista ortodoxo, toca bateria e ama cerveja e mulher (nessa ordem). Nas horas vagas, é médico e o nosso grande Dr. Health.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura