A morte da Travesti | Curta PdH #8

E o difícil ato de perdoar.

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Vivara130x50 jpg
  • Selo dorel jpg

Uma travesti morre. É preparada por outras para seu velório, mas a família decide enterrá-la como homem, criando um impasse.

Essa premissa incrível é o ponto de partida para “Os Sapatos de Aristeu”, curta-metragem que não só coloca em pauta questões de gênero com uma sensibilidade e humanidade incrível, como traz também muitas outras relações atreladas à ela como a distância, o desamor, o preconceito e o reencontro inevitável que a morte traz, com o outro e consigo mesmo, com as próprias escolhas.

O final é maravilhoso.

Vem ver :)

 


publicado em 12 de Dezembro de 2016, 12:30
File

Paulo Leierer

Escreve e dirige (tirou sua carta em 2003). É apaixonado por cinema desde que viu "Esqueceram de Mim" e morre de vergonha de escrever em terceira pessoa.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: