A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

A origem dos nomes das franquias da NBA – Parte 2: Conferência Oeste

Você também já parou pra pensar de onde surgiram os nomes dos times de basquete mais famosos do mundo?

Semana passada a gente publicou a primeira parte deste artigo contando a origem dos nomes das franquias da conferência leste da NBA. Agora, como prometido, vamos esmiuçar a história dos outros 15 times que fazem parte da liga profissional de basquete americano na temporada 2015-2016.

Do lado 'Pacífico' dos EUA, as histórias continuam tão boas quanto as do Atlântico. Confira.

Dallas Mavericks

Quando a cidade de Dallas ganhou o direito de receber uma franquia da NBA em 1980, uma rádio local foi logo se animando para organizar o concurso que escolheria o nome da equipe.

Depois de coletar as milhares de opções e passar por um filtro, três finalistas chegaram às mãos do proprietário da franquia Donald Carter: Mavericks, Wranglers e Express e ele logo se decidiu por Mavericks, que significa o cowboy de Dallas que anda solitário pelo campo. Assim permaneceu até hoje.

As 41 pessoas que sugeriram Mavericks acabaram ganhando um par de ingressos para o jogo de estreia do time na NBA, mas a autora da proposta vencedora, Carla Springer, levou ingressos para a temporada toda, e explicou que pra ela "Mavericks representa o estilo independente e extravagante das pessoas de Dallas."

Então tá, né?

Denver Nuggets

Denver é uma cidade localizada no estado do Colorado, nos EUA, que ficou famosa pela corrida do ouro que 'recebeu' em meados de 1850. Sendo assim, Nuggets, que significa pepitas, foi um nome compreensivelmente escolhido durante um concurso realizado em 1974 quando a franquia alçou voo para a NBA.

A parte interessante é que o Denver Nuggets que antes disputava a ABA chamava-se Denver Rockets. A mudança de nome foi obrigatória por conta da existência anterior de uma outra franquia lá de Houston, como veremos mais pra frente.

Golden State Warriors

Os atuais campeões, favoritos e queridinhos da NBA nasceram na Filadélfia. Quando a franquia foi criada em 1946, os proprietários resolveram homenagear um antigo time de basquete local chamado Warriors, que significa guerreiros.

Quando bem mais tarde, em 1962, o time se mudou para São Francisco, o nome Warriors foi mantido, assim como aconteceu quando a franquia atravessou a ponte e foi parar em Oakland. Nesse momento, ao invés de batizar o time de Oakland Warriors, fizeram a opção por Golden State para tentar atrair torcedores de toda a Califórnia – a concorrência com as duas franquias de Los Angeles é grande.

Houston Rockets

Essa é fácil. Rockets significa foguetes, foguetes remete à NASA e NASA = "Houston, we have a problem". Certo? Só que não.

O time de Houston nasceu em San Diego – "a cidade em movimento" – em 1967. O nome foi escolhido – adivinha? – em um concurso e acabou eleito 'impulsionado' pelo grande desenvolvimento da tecnologia espacial que rolava nos EUA. Felizmente, coincidências da vida acontecem e quatro anos mais tarde, a franquia se mudou para Houston, sede da NASA, onde tudo faz muito mais sentido. 

Los Angeles Clippers

O Clippers é protagonista de uma das histórias mais inacreditáveis da NBA. Isso porque o time nasceu no oeste do estado de Nova Iorque com o nome de Buffalo Braves, mas, em 1978, um fato absurdo marcou uma grande mudança: o proprietário da equipe, na época, resolveu trocar de franquia com o dono do Boston Celtics. (COMO ASSIM?)

E como se nada tivesse acontecido, o novo dono levou a equipe para San Diego, na Califórnia – que havia acabado de perder o Rockets para Houston. Lá, ele achou que Braves não combinava muito e resolveu – parte chata – fazer um concurso.

Na votação 'Clippers', um tipo de navio veleiro muito comum na costa de San Diego durante o século 19, prevaleceu. Depois, em 1984, o time se mudou para Los Angeles, mas manteve o nome.

Los Angeles Lakers

Assim como os Clippers, os Lakers também são da cidade californiana, mas não nasceram lá. Na verdade, a franquia começou em 1947 na cidade de Minneapolis, conhecida por ser "The Land of 10.000 Lakes". Portanto, a escolha por Lakers, que significa lagos, foi natural.

Agora, com todo respeito, quando o time se mudou para Los Angeles em 1960, poderia ter mudado o nome para algo melhorzinho, né não? Pois então, parece que a decisão não foi apenas uma questão de preguiça, mas também de superstição.

Com essa alcunha, o time já tinha conquistado seis títulos de Conferência, quatro títulos da NBA e, como diz o ditado, em time que está ganhando não se mexe. Deu certo. Vieram mais 25 títulos da conferência e 11 da NBA de um dos times mais vitoriosos da história do basquete.

Memphis Grizzlies

Os Grizzlies, apesar de caçulinhas, são detentores de uma das melhores histórias de nomes da NBA.

A franquia nasceu em Vancouver, no Canadá, no recente ano de 1995. A ideia original era se chamar Mounties, como uma homenagem à polícia local conhecida por esse nome. Mas o pessoal, sabiamente, achou essa história nada a ver e resolveu realizar um concurso – sempre ele – para definir o nome. Na votação, Grizzlies foi o escolhido – homenagem ao urso-cinzento bastante comum nessa região da América do Norte.

Mas agora vem a parte boa.

Em 2002, o time saiu do Canadá e se mudou para Memphis, uma cidade no Meio-Oeste dos EUA, onde fica a sede da FedEx. A empresa de entregas que detém os namerights do ginásio preparou uma oferta de US$ 120 milhões para trocar o nome da franquia para Memphis Express, mas a NBA não aceitou. 'Vai ficar com nome de urso mesmo.'

Minnesota Timberwolves

Assim como os Grizzlies, em Minnesota um animal muito comum na região foi homenageado: o Timber Wolf, uma espécie de lobo. O nome foi escolhido num concurso realizado às pressas quando a cidade voltou a ter uma franquia da NBA em 1989, quase 30 anos depois que os Lakers deixaram Minessota.

Durante o concurso, além de Timberwolves, Polars também chegou à final e acabou perdendo a votação. Os representantes dos conselhos das cidades do estado que escolheram entre as duas opções levaram em consideração que Minnesota tem a maior população de lobos dentre todos os chamados "lower states" americanos (todos os estados, fora Alaska e Havaí). Justo.

New Orleans Pelicans

A origem do nome é relativamente simples, mas a história do atual New Orleans Pelicans é complicada.

O time surgiu em Charlotte e seria batizado de Spirit, mas como já explicamos aqui, a população não gostou e acabaram optando por Hornets.

Só que aí chegou 2002, o time se mudou para New Orleans e manteve o Hornets. Veio 2005 e, por causa dos estragos provocados pelo Furacão Katrina que atingiu a região, a franquia precisou migrar provisoriamente para Oklahoma sendo renomeada durante duas temporadas para New Orleans/Oklahoma City Hornets. Nesse exato momento, pense bem: um time de New Orleans estava jogando em Oklahoma com um nome que só fazia sentido em Charlotte.

De volta para New Orleans, em definitivo, o time passou por vários problemas financeiros. Os proprietários venderam a franquia de volta para a NBA por US$ 300 milhões em dezembro de 2010 e a Liga Americana ficou administrando o time de maneira independente para mantê-lo ativo até abril de 2012 quando o dono do time de futebol americano da cidade, Tom Benson, comprou a franquia de basquete por US$ 318 milhões. Convencido de que precisava dar um nome que representasse melhor a comunidade, o New Orleans finalmente abandonou o Hornets e assumiu o Pelicans, em homenagem ao pelicano-pardo, a ave oficial do estado de Louisiana.

Oklahoma City Thunder

O Oklahoma City Tunder também tem um dos nomes mais recentes da NBA e a mudança ocorreu depois de um longo período ininterrupto com o nome original de Seattle SuperSonics.

Desde a fundação em 1967, a franquia mantinha a alcunha designada em referência a um avião supersônico que seria construído pela Boing, na fábrica de Seattle. Porém, com a mudança de cidade em 2008, também veio a mudança de nome e a população (futuros torcedores) de OKC pôde escolher entre 64 opções listadas, entre elas: Barons, Bison, Energy, Marshalls, Renegades, Twisters e Winds. Thunder, que significa raio, foi a opção mais votada de longe por representar as constantes tempestades que atingem a região.  

Phoenix Suns

Você lembra quando explicamos a origem do nome do Miami Heat? Pois é, assim como o time da Flórida, o Phoenix também optou por um nome referente às condições climáticas da cidade.

Depois que a franquia foi criada em 1968 um concurso foi criado para escolher o nome e recebeu cerca de 30 mil sugestões. O proprietário, GM Jerry Colangelo, com apenas 28 anos, assumiu a responsabilidade e escolheu Suns, em referência óbvia a uma das cidades mais ensolaradas dos EUA.

Portland Trail Blazers

Cá está um dos meus nomes favoritos. A criatividade do termo Trail Blazers é tamanha que esse é o único time no mundo que se tem notícia com esse apelido.

A cidade de Portland, no estado de Oregon, bem ao norte dos EUA, passou a poder receber uma franquia da NBA em 1970 e resolveu fazer um concurso. Apesar da decisão comum, o resultado foi bem interessante.

Na verdade o nome mais votado foi Pioneers, mas um colégio local chamado Lewis & Clark College já tinha essa alcunha. Assim, eles resolveram passar para a segunda opção: justamente Trail Blazers, que significa pioneiros, descobridores.

Reza a lenda que exploradores da região marcavam suas trilhas – 'trails' –com uma chama – 'blaze'. Daí, a expressão 'trailblazers' que atualmente também tem variações associadas à vanguarda em áreas da ciência e tecnologia.

Sacramento Kings

O Sacramento Kings, nem sempre foi de Sacramento e nem sempre se chamou Kings, mas a linhagem real da franquia está no DNA.

Quando foi criada em Rochester em 1945, a franquia se chamava Royals. Em 57, eles se mudaram para Cincinatti e mantiveram o apelido. Em 1972, nova mudança para Kansas City, quando resolveram fazer a mudança 'radical' de Royals para Kings através de um concurso. Treze anos depois, nova mudança para Sacramento, mas o nome de realeza permaneceu.

San Antonio Spurs

Os originais Dallas Chaparrals foram criados em 1967 e jogaram três temporadas com esse nome até a mudança para Texas Chaparrals, que, dizem, além de ser um espécie de papa-léguas da região, era o mascote de um lugar chamado Chaparrals Club, onde os fundadores se reuniam para jantar.

Porém, em 1973, apenas seis anos depois da criação, um grupo de investidores comprou a franquia e mudou o time para San Antonio. Não satisfeitos, eles também resolveram mudar o apelido para Gunsligers, que significa pistoleiros.

A escolha deu tão certo que o time nunca sequer chegou a disputar uma partida com esse nome. Antes mesmo disso acontecer, eles mudaram o nome novamente para Spurs – objetos pontiagudos utilizados em botas de cowboys para controlar os cavalos. Entretanto, há quem diga que as intenções do bilionário Red McCombs, proprietário do time na época, não foram tão boas assim e que ele só quis mesmo homenagear sua cidade-natal: Spur, também no Texas.

Utah Jazz

É decepcionante terminar esse artigo com esta história, mas a ordem alfabética é implacável, meus amigos.

Como já contamos, o Utah nasceu em New Orleans, cidade onde, aí sim, muitos consideram o berço do jazz (gênero musical) e, portanto, dava todo sentido a alcunha escolhida.

Porém, depois de uma campanha terrível na temporada 1978-79, os donos decidiram mudar o time para Salt Lake City e mantiveram o termo Jazz, ao lado de Utah, mesmo sem fazer nenhum sentido. Não satisfeitos, eles ainda soltaram que: "se Los Angeles pode ser a terra dos lagos, por que Utah não pode ser a terra do jazz?". Acontece, caras, que os Lakers já tinham títulos, a superstição funcionou e o time seguiu vitorioso, já os torcedores do Utah estão até hoje esperando pelo primeiro título da NBA, manja?

***

Dessa forma encerramos a dupla de artigo que explicaram a origem dos nomes das 30 franquias da NBA em 2015-2016. Curtiam?

Compartilhem com a gente quais foram os nomes que vocês mais gostaram e quais são totalmente #fail? Deixe nos comentários outras dúvidas e curiosidades do esporte que vocês gostariam de saber sobre e, quem sabe, sua pauta vira artigo aqui no PdH.


publicado em 08 de Março de 2016, 19:41
Breno franca jpg

Breno França

Editor do PapodeHomem, é formado em jornalismo pela ECA-USP onde administrou a Jornalismo Júnior, organizou campeonatos da ECAtlética e presidiu o JUCA. Siga ele no Facebook e comente Brenão.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura