A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

Ação honesta: seu herói realmente sobreviveria?

Claro que damos todas as possíveis licenças poéticas quando se trata de filme de ação e/ou aventura. A ideia é justamente extrapolar a nossa visão de verossimilhança e mandar bala na adrenalina desenfreada e desafiadora, que nos faz querer ser como aquelas pessoas da tela: sortudas e praticamente imortais.

Mas é bom sempre manter os pés (ou a noção) no chão, ou seja, em segurança.

Todo mundo conhece o pessoal do Screen Junkies, responsáveis por fazer os trailers honestos de filmes, os Honest Trailers. Se antes a onda era só a  zoeira honesta, agora temos informação: será que as personagens dos filmes que gostamos realmente sobreviveram às estripulias feitas nos filmes?

Honest Action

Agora temos vídeos educacionais em que um especialista participa passando, a cada escorregão, soco, pontapé, salto e pancada, o que poderia ter acontecido com o herói do filme (ou vilão, claro). Disso, começa-se uma contagem de mortes que fariam com que a película tivesse um final prematuro.

Até agora, são apenas dois vídeos, mas bem esclarecedores. Temos, claro, o Duro de Matar (não poderia haver estreia melhor) e os Esqueceram de Mim 1 e 2.

Para que esses dois filmes fossem verdadeiros, precisaríamos de quatro John McClane, nove Harries e quatorze Marvs para que os três filmes fossem feitos.

Esqueceram de mim (1 e 2)

Link YouTube

Duro de Matar

Link YouTube

Esperemos por mais.


publicado em 20 de Janeiro de 2014, 08:30
13350456 1045223532179521 7682935491994185264 o

Jader Pires

É escritor e colunista do Papo de Homem. Escreve, a cada quinze dias, a coluna Do Amor. Tem dois livros publicados, o livro Do Amor e o Ela Prefere as Uvas Verdes, além de escrever histórias de verdade no Cartas de Amor, em que ele escreve um conto exclusivo pra você.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura