Alexandre Frota: Ode ao Pitbull

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo dorel jpg
  • Vivara130x50 jpg

"A profundidade e o alcance de seus interesses não tiveram precedentes e sua mente e personalidade parecem sobre-humanos para nós, e o homem em si nos parece misterioso e distante."

Foi assim que a historiadora norte-americana Helen Gardner descreveu a vida e obra de Leonardo Da Vinci, considerado até hoje um dos maiores gênios que a humanidade já viu. Todavia, essa descrição também poderia servir perfeitamente a um dos maiores ícones brasileiros dos dias atuais, uma pessoa que infelizmente Helen Gardner não teve o prazer de estudar.

Multifacetado como Da Vinci, Alexandre Frota é vítima dos preconceitos que apenas seres humanos muito a frente de seu tempo são obrigados a conviver.

Link YouTube | Um gênio. Incompreendido, mas ainda sim um gênio

Brasileiro, ator, produtor, assíduo frequentador de reality shows, diretor e ator de filmes pornôs, cantor e até mesmo jogador de futebol americano, Frota teve a libertinagem e a irreverência como principais características para se sobressair em uma sociedade habituada a conviver com o chamado padrão Sandy de bom mocismo.

Alheio a todos estes rótulos, Frota foi idolatrado por todo um País ao tornar-se um dos mais queridos galãs da Globo na década de 80, época em que foi casado com Cláudia Raia.

Sua demissão da "platinada" gerou momentos de crise e autoconhecimento, caracterizados pelo uso desenfreado de drogas e anabolizantes, além da entrega de seu corpo ao sexo sem nenhum critério ou preferência de gênero e manifestações artísticas populares, também conhecidas como tatuagens escrotas.

Após anos de recuperação, pudemos constatar outra virtude de Frota, o empreendedorismo. Em seus grupos de funk, bancava o silicone das popozudas e descontava dos cachês de shows, generoso, Frota também encaminhou boa parte dessas gostosas para programas esportivos e de auditórios. Um expoente dessa geração é Dani Freitas, que foi assistente de palco de Milton Neves.

Enquanto Da Vinci fora acusado de sodomia e relações homossexuais com seus ajudantes, também conhecidos como os mais belos rapazes da "Itália Renascentista", Frota fez algo parecido na cena da indústria pornográfica nacional. Foram mais de 30 filmes com cenas brutas de sexo com mulheres e travestis, que fizeram dele um dos ícones da liberdade sexual no Brasil com clássicos como 00 Frota: O homem da Pistola de Ouro e 11 Mulheres e muito pó.

Sua passagem por putarias profissionais foi seguida por uma série de participações em reality shows como Casa dos Artistas (a primeira), Quinta das Celebridades e Primeira Companhia, os dois últimos em Portugal, onde disputa a posição de maior ídolo da nação com João Kléber. Sua experiência em explorar subcelebridades, mostrar o corpo e filosofar sobre o nada fez dele um dos diretores do reality show A Fazenda, da Rede Record, que pode ser considerada sua obra definitiva, sua Mona Lisa.

Alexandre frota e uma de suas muitas conquistas: o travesti Bianca Soares

Assumidamente viciado em sexo, Frota também sustenta um hábito semelhante ao de Da Vinci, que costumava libertar passarinhos de gaiolas. Frota faz o mesmo, isso se levarmos em consideração uma pobre analogia onde o passarinho é seu, e a gaiola também pode ser sua cueca.

Não satisfeito com todas essas proezas, Alexandre Frota se transformou no principal jogador de futebol americano do Corinthians e atualmente retoma sua trajetória no Funk com o sucesso "Estilo Pitbull", com MC Tiozinho e a participação especialíssima de Geisy Arruda.

Tal qual Da Vinci, que teve sua história e vida sexual estudada por Sigmund Freud e milhares de outros especialistas, Frota também será estudado pelas próximas gerações, e só depois disso será considerado o que realmente é: um dos grandes destruidores de paradigmas da sociedade moderna.


publicado em 07 de Outubro de 2011, 05:08
44f5cf4080a03fec6787de04ee5f9055?s=130

Luiz Gallo

Filho do seu Walter e da dona Leni, Luiz Gallo (@luiz_gallo) é jornalista, roteirista, odeia pés e não dispensa uma cerveja gelada num barzinho de esquina. Aqui no PdH dispara textos na série "Entre umas e outras".


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: