A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

Amizades "bromossexuais": por que tê-las e como fazê-las

Um trio de cientistas está liderando uma pesquisa para investigar os motivos que fazem homens héteros e homens gays finalmente passarem a ser amigos

Uma vez me disseram que reclamar ou falar mal das coisas une as pessoas. E ando observando que isso de fato é verdade. Parece que o nosso piloto automático é programado para achar tudo ao nosso redor ruim.

Mas de tempos em tempos parece que bate um sopro de otimismo e a gente passa a ver as coisas como uma claridade reveladora.

Foi assim comigo quando li o artigo abaixo. Originalmente em inglês, publicado no The Conversation e escrito em conjunto por três cientistas americanos: Eric Russell, Marjorie Prokosch e Raymond McKie.

Devo confessar que o texto tem lá suas falhas (como essa coisa de rotular as amizades), mas eu conto com sua consideração para desconsiderá-las. Isso porque ele me tirou da zona de conforto, do piloto automático, ele mexeu comigo – e espero que mexa com você também.

No artigo os autores/cientistas não optam pelo caminho mais fácil e simplesmente resolvem explorar o preconceito e suas consequências negativas.

Eles se dão ao trabalho de abordar a questão de uma maneira positiva e pensar a respeito dos benefícios e das razões pelas quais o quadro triste de intolerância no qual nos encontrávamos tem começado a mudar.

O objetivo aqui é perceber o quanto é mesquinho e inoportuno essa cultura de não me toque que os homens héteros têm (ou tinham) com homens gays. Afinal, no fim das contas, a gente tá por aí, tudo junto e misturado, tentando se dar bem. E se fora todos os outros motivos, ainda temos a possibilidade de um ajudar o outro nessa missão, não falta incentivo. Vocês não acham?

A tradução é de Julia Barreto.

A gente se fala nos comentários.

A ciência emergente das amizades “bromossexuais”

Por um longo tempo, amizades entre homens gays e homens héteros – o que alguns chamam de amizades “bromossexuais” – eram incomuns. Homofobia provavelmente era uma das razões; outra era que possivelmente homens héteros assumiam que não tinham muito em comum com homens gays.

Mas amizades “bromossexuais” recentemente começaram a receber mais atenção, aceitação e interesse. Elas estão sendo exploradas e representadas em filmes, livros e blogs. Em outubro, o The New York Times até dedicou um artigo na sua seção de Estilo para “A ascensão da amizade ‘bromossexual’”.

Esse tipo de normalização é uma boa notícia. Mas cientistas sociais ainda não estudaram a dinâmica dessas amizades: o porquê de elas se desenvolverem e como elas são mantidas.

Fazemos parte de um time de psicólogos evolucionários, sociais e de comunidade que recentemente começaram uma programa de pesquisa com o objetivo de estudar esse tópico específico. Estamos particularmente interessados em analisar as razões para um homem gay e um homem hétero se tornarem amigos (ou continuarem amigos depois do amigo gay se assumir). Atualmente temos em progresso um pesquisa de público que explora algumas das vantagens de amizades “bromosexuais”, incluindo a nossa teoria que homens gays e héteros podem ser ótimos wingmen um para o outro.

Quebrando barreiras

Amizades entre homens gays e homens héteros sempre existiram. Mas também sempre existiram barreiras para sua formação. Muitos héteros hesitaram em fazer amizade com homens gays, com medo da perseguição e rejeição de seus amigos héteros ou de ser chamado de gay.

A crescente aceitação da homosexualidade, no entanto, aliviou alguns desses receios.

Mas ainda há barreiras. Homens gays – particularmente aqueles em ambientes conservadores e rurais – continuam receosos em fazer amizade com homens héteros, temendo uma rejeição baseada no preconceito. Ao mesmo tempo, muitos héteros ainda duvidam que serão capazes de se identificarem com gays de maneira significativa e, por essa razão, talvez não tentem iniciar uma amizade.

É claro, a noção tradicional que homens gays e homens héteros não podem ser amigos próximos é intrinsecamente homofóbica e falsa. Nós propomos que amizades masculinas gay-hétero não são apenas possíveis, mas podem se tornar extremamente gratificantes. Então, ao invés de nos focar nos fatores que impedem esse tipo de amizade, decidimos nos focar no que faz ela se formar e florescer.

Enquanto ainda é muito cedo para nossa equipe confirmar nossas teorias, aqui vai o que iremos explorar nos nossos estudos atuais e futuros:

Novas bases para amizades

De certa forma, quando se trata de amizades “bromossexuais”, a responsabilidade está com o homem hétero. Se eles têm uma mente aberta em relação a fazer amizade com homens gays e fazem um esforço para tentar forjar uma relação baseada em interesses em comum, homens gays se sentem mais confortáveis em corresponder.

Então qual homem hétero tem mais chances de fazer amizade com um homem gay, e vive-versa? E o que determina se essa amizade vai prosperar?

Para começar, o timing de quando essas amizades se formam talvez seja crucial. Sabemos que homens gays estão se assumindo mais cedo. Gays que revelam sua orientação sexual para seus amigos homens mais cedo na vida talvez consigam construir amizades mais honestas e abertas com eles na vida adulta.

Em segundo lugar, pesquisas recentes apontaram que gênero e orientação sexual não sejam coisas tão preto no branco como se pensava anteriormente, o que abre novas rotas para explorar como homens gays e héteros podem se relacionar uns com os outros. Se um homem hétero e seu amigo gay são menos rígidos em relação à masculinidade e sexualidade, provavelmente terão mais chances de discutir mais abertamente detalhes sobre suas vidas sexuais e românticas.

Essas conversas são particularmente importantes porque normalizam a atração ao mesmo gênero. Amizades também se fortalecem quando cada parte revela informações pessoais, o que pode incluir conversas sobre experiências sexuais.

Há outro fator que pode promover amizades “bromossexuais”: a habilidade de dar e receber conselhos de um para o outro. Pesquisas recentes sugeriram que essa troca de conselhos pode ser uma razão crucial para mulheres heterossexuais buscarem homens gays como amigos. Resumindo, as mulheres conseguem confiar no conselho amoroso de seus amigos gays porque elas sabem que eles não têm nenhum interesse oculto: eles não ficam tentando ficar com elas nem competindo pelos mesmos homens.

Nós acreditamos que esse mesmo tipo de troca imparcial de conselhos pode estimular amizades entre homens gays e homens héteros.

O melhor wingmen possível

Por causa da confiança que eles suscitam nas mulheres héteros, homens gays estão numa posição única de serem excelentes wingmens para homens héteros solteiros.

Há uma crença dominante que homens – independentemente de sua orientação sexual – são mais sexualmente promíscuos que mulheres. Por essa razão, mulheres ficam muitas vezes cautelosas com as verdadeiras intenções de seus pretendentes, que podem estar enganando-as só pelo sexo.

A popularidade crescente de sites de namoro e aplicativos (que estão lotados de avanços sexuais indesejados vindos de “caras legais”) tornou as mulheres mais céticas – e deixou tudo mais difícil para homens que realmente estão buscando compromissos sérios.

No entanto, mulheres héteros realmente tendem a confiar no conselho amoroso de homens gays (bem mais do que os conselhos vindos de homens héteros ou mulheres). De acordo, homens héteros poderiam ter uma vantagem no amor ao se tornarem amigos de homens gays. Por exemplo, uma amigo gay poderia atestar as boas intenções de seu amigo para as mulheres. Um wingman hétero não conseguiria realizar essa tática de maneira tão bem-sucedida pois as mulheres poderiam suspeitar das próprias intenções do wingman hétero – que poderia ser seduzir a mulher ele mesmo.

Homens héteros confortáveis com sua própria sexualidade também podem atuar como wingmen para amigos gays. Da mesma forma que um homem gay é capaz de falar bem de seu amigo hétero para as mulheres, um homem hétero poderia conectar seu amigo gay com outro homem gay desejado, já que nenhum dos amigos está competindo pela mesma pessoa.

Nós acreditamos que ter um confidente leal para ajudar em buscas amorosas é uma das principais razões para homens héteros e gays estarem deixando o “conforto” de grupos de amigos do mesmo gênero e mesma orientação sexual para formar amizades “bromossexuais”.

Como disse, a conferir.


publicado em 12 de Fevereiro de 2017, 00:05
Breno franca jpg

Breno França

Editor do PapodeHomem, é formado em jornalismo pela ECA-USP onde administrou a Jornalismo Júnior, organizou campeonatos da ECAtlética e presidiu o JUCA. Siga ele no Facebook e comente Brenão.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura