Vamos oferecer um curso de equilíbrio emocional para homens. Começa quinta que vem e ainda há vagas.

Aos meus amigos homens: façam terapia

Uma conversa da mais importante sobre os problemas que os homens enfrentam calados

  • Nossos atuais Mecenas:
  • 130x50 jpg

Olha só.

Eu detesto falar sobre terapia, tá? Detesto. Na verdade, detesto as pessoas falando na fila do banco ou no ambiente de trabalho sobre suas terapias, que conflitos levaram pro divã, o que o terapeuta disse, se chorou ou se sorriu. É um momento tão íntimo que só diz respeito a você mesmo… (Ainda assim, acho importante dizer que ter um espaço para compartilhar tudo isso que discutimos com gente de confiança é fundamental).

No entanto, eu vou falar de terapia, sim. Não da minha, que não interessa aqui, mas da que todo homem precisa fazer. Posso estar trilhando o perigoso caminho da generalização, mas acho que se você se identificou minimamente com o documentário The Mask You Live In, tem aí dentro de si umas questões para resolver. Seja com a sua figura paterna ou materna, sua autoimagem, seus sonhos, as minas da sua vida, o jeito como você lida com a vida.

Trecho do documentário The Mask You Live In. Tem no Netflix, amigo

Mas mesmo que o doc não tenha passado pela sua telinha e você não queira assistir a doc nenhum, é provável que continue precisando de terapia. Pode ser porque faltou abraço quando era criança e hoje você não sabe lidar com o amor ou porque você não consegue terminar um relacionamento sem ser escroto, pode ser porque você não assume seus próprios BOs, pode ser até porque, com trinta e poucos anos, você tem uma autoestima mais linda e bem cuidada que vidraça de banco.

E eu já vi muitas amigas e desconhecidas mandando esse apelo: homens, façam terapia.

Algumas mandam só o pedido, outras mandam o pedido como fechamento de alguma treta envolvendo masculinidades tóxicas, direitos iguais entre os sexos, relações interpessoais. Esse pedido delas têm a ver com outra parada, essa que a gente sabe empiricamente, mas que vira e mexe aparece uma pesquisa para comprovar: nós, homens, demoramos muito para olhar para nós mesmos, nos cuidar, sermos gentis com o que não sabemos e queremos e precisamos aprender. Em geral a gente faz isso "muito bem" com a nossa saúde física: não vamos ao médico, não fazemos exames, não fazemos consulta preventiva de nada... bom, se até o Zico foi convocado para fazer publicidade lembrando os homens da necessidade de lavar o próprio pinto, o que dizer depois disso?

Isso sem falar das tretas mentais e psicológicas. Depressão, baixa autoestima, síndrome do pânico, insegurança, acessos de raiva... tem uma infinidade de doenças, síndromes e broncas ignoradas que a gente resolve metendo um uiscão/beckão/carreirão por cima ("eu vou beber pra esquecer meus problemas...") , que a gente deixa pra chorar no banho quando ninguém tá vendo, que a gente engole em seco e deixa pro corpo somatizar...

Resolver, resolver mesmo, a gente só resolve se for problema na firma. Cê deve saber do que eu tô falando.

Voltando ao que as minas pedem, e nesse caso específico as minas pedem pros caras fazerem terapia, quando a gente se confronta com diversas paradas na nossa vida que um dia a gente já duvidou, ou não deu muita bola, ou não entendeu direito, e que quem traz pra gente são as minas, às vezes a gente não sabe como lidar com tudo isso.

E tá tudo bem.

Tá tudo bem a gente não saber a resposta às vezes. Às vezes a gente não sabe como lidar com as estruturas dentro da gente com as quais essas questões mexem. Mas, como tenho visto mais e mais minas dizendo, também não é papel delas nos ajudar a nos entender e a nos transformar. Não dá pra exigir isso delas, entendeu? Elas têm mil outras lutas e buchas para tocar.

Quem tem que resolver isso somos nós.

E se você tiver um terapeuta, ele estará lá pra te ouvir dizer umas barbaridades sobre tudo isso sem julgamentos e te fazer pensar a respeito. Te mostrar outros pontos de vista. Te apresentar conexões. Te fazer refletir. Até que você comece a pensar sozinho, e remoer sozinho umas paradas, e ficar anotando mentalmente os assuntos que quer levar pra terapia.

Então, depois de tudo isso, eu não tô aqui pra falar sobre a minha terapia. Não tô aqui pra falar sobre a conclusão a que cheguei na sessão de hoje e que tá ressignificando anos e anos de impressões e certezas sobre a minha relação com "figuras de autoridade".

Sério, não é disso que eu tô falando.

O que eu tô falando é: homens, façam terapia. É importante e transformador para vocês e para quem está ao redor de vocês.


publicado em 13 de Junho de 2017, 00:00
B89dc8c3b0cb23ea349431f6bcecd9ae?s=130

Pedro Jansen

Acredita que o caos alimenta a vida e que ter baixas expectativas é a melhor maneira de se surpreender todos os dias, com as menores coisas.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: