As 13 estradas mais espetaculares do mundo

Penhascos, curvas fechadas, trechos escorregadios e paisagens de brilhar o olho

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Vivara130x50 jpg
  • Selo dorel jpg
Pegar um carro e dirigir é a minha forma favorita de viajar.


Ônibus são demorados e sempre carregam a chance de te agraciar com um companheiro de viagem insuportável no banco ao lado. Trens não são uma grande opção no Brasil e, para ser sincero, também tenho certo receio de aviões. Mesmo assim, não é uma escolha por eliminação: gosto mesmo é de constatar que, quando se pega uma estrada, há sempre aquele sentimento de transformar a vida em road movie entre o acelerador e o caminho à nossa frente.


Já encarei estradas de terra e lama, curvas que não acabam mais, algumas centenas de quilômetros com mais buracos do que pista e outros perrengues comuns à malha viária do Brasil. Me considero razoavelmente experiente, mas admito que, quando o Guilherme me mostrou o site Dangerous Roads, bateu aquele friozinho na barriga. Com o slogan “As mais espetaculares estradas do mundo”, o site reúne uma seleção de fotos e comentários sobre trajetos lindíssimos repletos de abismos, baixa visibilidade, curvas acentuadas e outros desafios.


Separei algumas das que mais me impressionaram para criar essa lista.

Carretera de los Yungas, na Bolívia

Situada entre La Paz e Coroico, na Bolívia, a Carretera de los Yungas já foi considerada a mais perigosa do mundo e recebeu o apelido de Estrada da Morte. Com 69 quilômetros de trajeto a 4.650 metros de altitude, a estrada chega a ter apenas três metros de largura em alguns pontos e não possui qualquer proteção contra o desfiladeiro sempre ao lado. Ônibus e caminhões trafegavam com frequência pela região, onde nevoeiro, chuvas e deslizamentos de rochas também são comuns. Um novo trajeto foi construído e, hoje, o caminho funciona apenas como atração turística – estimava-se que, anualmente, 100 pessoas morriam vítimas dos perigos da estrada.

D915, na Turquia

A turca D915 foi construída por soldados russos em 1916, e chama atenção pelas subidas íngremes. Com pontos estreitos o suficiente para permitir a passagem de apenas um carro, ela chega a subir de 1.712 metros acima do nível do mar para 2.035m em apenas 5,1 km.

Guoliang, na China

Escavado em pedra pelos moradores de uma vila próxima que viva isolada, o túnel de Guoliang é espetacularmente irregular. Com cerca de um quilômetro de extensão, ele tem cinco metros de altura, quatro de largura e, supostamente, vira um sabão quando chove.

Lysevegen, na Noruega

Para começo de conversa, a estrada Lysevegen, na Noruega, só abre no verão – época em que o gelo permite. A estrada é repleta de curvas em descida (nos últimos oito Km a altitude cai em 800 metros) e possui até um túnel com curvatura estimada de 340º.

Passo dello Stelvio, na Itália

Como você faz uma estrada passar de 1.225 metros de altitude para 2.758m em apenas de 21 km? Colocando 48 curvas fechadas e adotando uma média de 7,60% graus de elevação durante o percurso. Essa é a receita do Passo dello Stelvio, na Itália.

Paso de Los Caracoles, nos Andes

Localizado nos Andes, o Paso de Los Caracoles é um dos trajetos fronteiriços entre Argentina e Chile. As curvas não são tão fechadas quanto a do Stelvio, mas a paisagem é ainda mais impressionante.

Combe Laval, na França

Considerada a mais magnífica dos Alpes franceses, a estrada de Combe Laval foi escavada em rocha entre 1861 e 1898. Com subidas íngremes e visual espetacular, é um dos caminhos preferidos para ciclistas e motociclistas em busca de pegar estrada (um sujeito registrou uma voltinha de Harley por lá).


A estrada do distrito indiando de Kishtwar é usada por montanhistas que pretendem escalar o Himalaia. A mais de 6 mil metros de altitude, o precipício ganha outros inimigos, como tontura e dificuldade de respirar.

Gorges du Dadès, no Marrocos

Localizada no coração do Marrocos, a Gorges du Dadès é espetacular: paredões de pedra, um ambiente desértico e a companhia de alguns rios são alguns dos atrativos da estrada recomendada apenas para veículos 4x4.

Tianmen Shan Big Gate, na China

Localizada no parque Tianmen, na China, a Tianmen Shan Big Gate sobe de 200 para 1.300 metros acima do nível do mar em apenas 11 quilômetros. Ao final do trajeto, 999 degraus ainda esperam o motorista que desejar conhecer a Porta do Céu – rocha naturalmente esculpida em arco que, muitos acreditam, é a passagem entre os deus e o mundo dos mortais.

Skippers Road, na Nova Zelândia

Construída por mineiros há mais de 140 anos na Nova Zelândia, a Skippers Road é uma estrada montanhosa, estreita e sempre com muito vendo ao redor. O ponto mais famoso é a ponte suspensa Skippers Bridge. Com 96 metros de comprimento e pendurada a 90 metros acima do rio que atravessa, a ponte só permite um carro por vez: são 2,2 metros de largura.

Van Zyl's Pass, na Namíbia

Você já viu ou ouviu falar de ruas com calçamento de pedra, certo? Pois o Van Zyl's Pass, na Namíbia, oferece as pedras sem a regularidade do calçamento. Em um trecho que se estende por quase 15 quilômetros, até mesmo os motoristas de 4x4 mais experientes estão sujeitos a furar um pneu ou danificar o assoalho do carro.

Atlantic Road, na Noruega

Você está lá, guiando o carro em uma aprazível viagem pela costa da Noruega. De repente, o mar invade a pista. Sim, o MAR, e não é uma tsunami. A Atlantic Road, que hoje recebe a alcunha de estrada mais perigosa do mundo, possui oito pontes construídas sobre as pequenas ilhotas que servem de caminho sobre o gelado mar norueguês. Quando a maré enche e o vento se avoluma, é comum que a água invada a estrada – as tempestades não são estranhas à região.


publicado em 03 de Janeiro de 2015, 00:05
Ismael veredas corte jpeg

Ismael dos Anjos

Ismael dos Anjos é mineiro, jornalista e fotógrafo. Acredita que uma boa história, não importa o formato escolhido, tem o poder de fomentar diálogos, humanizar, provocar empatia, educar, inspirar e fazer das pessoas protagonistas de suas próprias narrativas. Siga-o no Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: