As 15 cidades do mundo mais preparadas para o futuro

Morar numa cidade grande é como viver no caso na maior parte do tempo, mas não precisa ser assim

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo dorel jpg
  • Vivara130x50 jpg

Uma vez lendo o excelente texto de autoria do Ismael dos Anjos sobre gente do campo e gente da cidade, cheguei à conclusão inequívoca de que eu gosto mesmo é da vida urbana, da metrópole, das possibilidades, de ver gente indo e vindo o tempo todo. Eu sei que existe uma visão bastante romântica a respeito de morar no campo, em contato com a natureza, ouvindo o barulho dos animais, acordar e dormir com o despertador natural que é o sol. Mas o ritmo e a comodidade da cidade ainda me seduz. Quem sabe quando eu ficar mais velho, mude de opinião...

Acontece que, apesar disso, não sou desses iludidos que só vê a parte boa das coisas. E convenhamos: não é preciso muito esforço para enxergar as mazelas da cidade grande, basta querer. O trânsito, a poluição, o lixo, o barulho, as ilhas de calor, o cinza que não sai da foto em qualquer ângulo que você escolher.

Pelo bem ou pelo mal, o fato é que essa combinação nem um pouco rara de gostar de viver na cidade ao mesmo tempo que vê seus problemas, faz de mim (e de muitos outros) uma pessoa que torce para que, um dia, esses problemas se resolvam e a gente possa viver com mais harmonia.

É por tudo isso que listas como a de hoje são profundamente acalentadoras para o meu coração. Expressões como "cidades inteligentes" podem até estar desgastadas pelo uso excessivo e deslocado que fizemos ao longo do tempo, mas a verdade é que a startup EasyPark pesquisou 500 cidades e criou um ranking das mais bem preparadas para o futuro.

Eles avaliaram desde critérios amplos como planejamento urbano, energia limpa, descarte do lixo e participação cidadã até questões objetivas como quantidade de pontos de internet gratuita e proporção de vagas/quantidade de carros. O resultado completo, incluindo a nota de 0 a 10 para cada critério você pode ver clicando aqui. Abaixo, listamos as 15 melhores e fizemos alguns destaques.

1. Copenhague, Dinamarca

A única cidade com média acima de 8 no mundo é uma das capitais dinamarquesas: Copenhague. Com destaque em todas as áreas (transporte, arquitetura, tecnologia, cidadania), a cidade se sobressai graças ao plano municipal de ser 100% neutra em carbono até 2025. Esse plano, elaborado em 2015 inclui desde limitar o transporte individual motorizado a 25% do total, passando pela obrigatoriedade de todos os prédios terem um "telhado verde", que absorve até 80% da água da chuva, chegando a construção de bairros inteiros sustentáveis em zonas portuárias e industriais abandonadas já que a população promete crescer na casa das centenas de milhares ao longo da década.

2. Cingapura

Se dinheiro não é problema, pelo menos essa cidade-Estado asiática está investindo para se preparar para o futuro. Pelo menos é isso que aponta o ranking que colocou Cingapura em segundo lugar. O destaque fica por conta da surpreendente nota 10 em transporte público. Lá, o governo limitou o aumento da frota de carros e investiu pesado em transporte de massa (chegando até a colocar aromatizantes nos ônibus), tudo para garantir um melhor aproveitamento do espaço limitado e evitar os congestionamentos.

3. Estocolmo, Suécia

Não muito atrás das líderes, aparece na terceira posição a capital sueca: Estocolmo. A cidade que também realizou grandes investimentos recentemente para melhorar e incentivar o uso de seu transporte público se destaca no ranking pela nota 10 no critério digitalização do governo, uma prova de que os serviços público são rápidos e de qualidade.

4. Zurique, Suíça

Também não muito longe dali fica Zurique, na Suíça, a quarta colocada no ranking. Algumas notas baixas como os 2.07 em participação cidadã, reflexo do desinteresse pela política local, impediram a cidade de ir mais longe na lista já que ela também acumulou três notas 10: em prédios inteligentes, descarte de lixo e estilo de vida (que leva em consideração a renda e os gastos dos cidadãos).

5. Boston, Estados Unidos

A primeira cidade americana a aparecer na lista é Boston que ocupa a quinta posição. A capital do estado de Massachusetts foi alavancada graças a um detalhe fundamental: a presença da Universidade de Harvard que atrai algumas das mentes mais brilhantes do mundo e renderam nota 10 no ranking tanto em nível educacional quanto em ecossistema empresarial, um critério que mensura entre outras coisas a quantidade de startups que surgem em comparação a quantidade total de habitantes da cidade.

6. Tóquio, Japão

Voltando pra Ásia, aparece na sexta posição a capital japonesa: Tóquio. Ainda bastante atrás em relação às demais no que diz respeito ao uso de energia limpa e ao planejamento urbano, os japoneses dão a resposta com excelentes médias nos critérios voltados para tecnologia e transporte público. Basta dizer que a malha ferroviária de Tóquio movimenta 14 bilhões de passageiros por ano. Isso é duas vezes a população do planeta inteiro. Para efeito de comparação, o metrô e os trens urbanos de São Paulo tem cerca de 2 bilhões de usuários num ano.

7. San Francisco, Estados Unidos

Outra cidade americana a aparecer na lista é San Francisco, na Califórnia. A metrópole tem a melhor média dentre as cidades listas no quesito tecnologia com direito a nota 10 no que diz respeito à velocidade da internet. E talvez também por isso se destaca como ambiente propício ao surgimento de startups que rendem uma nota alta para a cidade no critério ecossistema empresarial também. Vale dize que o Vale do Silício não fica muito distante dali.

8. Amsterdã, Holanda

Seguindo a toada das cidades exemplares dos países europeus nórdicos, esse lugarzinho abençoado na Terra, Amsterdã, na Holanda, aparece na oitava posição atrás de algumas de suas conterrâneas e ainda assim muito bem colocada. Mas engana-se quem pensa que Amsterdã se destaca apenas pelo transporte público e pelo incentivo às bicicletas, etc. A cidade holandesa se destaca tanto pela digitalização do governo quanto pelo incentivo a criação de novas empresas. O uso de energia limpa é, por sinal, sua nota mais baixa.

9. Genebra, Suíça

Eu não falei que esses países capricham na dose? Na nona colocação, mais uma suíça: Genebra. A cidade tem dezenas de prédios inteligentes, um sistema de coleta, reciclagem e descarte do lixo exemplar e também tem planos para reduzir drasticamente suas emissões de carbono até 2025. Com duas notas 10, só parece pesar contra a cidade mesmo a participação cidadã no que já vai configurando um padrão entre os suíços, onde o voto é facultativo e o sistema eleitoral bastante confuso.

10. Melbourne, Austrália

Única cidade do hemisfério sul e da Oceania a aparecer na lista, Melbourne, a capital da Austrália, ocupa a 10ª colocação. A curiosidade é que o maior destaque da cidade é sua excelente conexão 4G. Em medições realizadas durante todos o mês de agosto, a velocidade média foi de 47,49 mbps. Por sinal, as cidades australianas dominaram esse critério: Sydney e Perth fecham o pódio quando analisamos esse único critério isoladamente. No Brasil, as médias da conexão 4G não costumam passar dos 20 mbps.

11. Vancouver, Canadá

A primeira canadense da lista, Vancouver, aparece em 11º com uma curiosidade: apesar da nota 10 no critério aplicativos de transporte, graças a sua grande frota de carros compartilhados disponíveis, a cidade tem nota bem baixa no que diz respeito aos congestionamentos (3.08).

12. Sydney, Austrália

Segunda australiana, Sydney aparece em 12º lugar graças a boas notas em relação à tecnologia (conexão 4G e velocidade da internet) e ao governo (participação cidadã, planejamento urbano e nível educacional).

13. Berlim, Alemanha

Uma das poucas cidades que já conhecia e que estão presentes na lista, Berlim realmente chama atenção pelo seu excelente sistema de transporte público, mas a cidade alemã surpreende ao manter excelentes médias em todos os critérios analisados.

14. Hamburgo, Alemanha

Não muito atrás aparece outra cidade alemã, dessa vez Hamburgo. A metrópole tem as mesmas características que a capital do país: excelente média em todos os critérios: do governo à tecnologia; do transporte ao uso de energia limpa.

15. Gotemburgo, Suécia

Para fechar a lista consagrando o sucesso dos países nórdicos, a bem mais desconhecida Gotemburgo, na Suécia, aparece na 15ª posição ostentando uma média de 7.23.

Bastante se comparado à São Paulo (4.23) e Rio de Janeiro (4.07) as duas únicas cidades brasileiras analisadas pelo ranking. Ambas puxadas para baixo por suas piores notas adivinha no quê? Congestionamento.


publicado em 16 de Dezembro de 2017, 00:05
Breno franca jpg

Breno França

Editor do PapodeHomem, é formado em jornalismo pela ECA-USP onde administrou a Jornalismo Júnior, organizou campeonatos da ECAtlética e presidiu o JUCA. Siga ele no Facebook e comente Brenão.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: