Como se transforma a paternidade no Brasil? Faltam apenas 5 dias para o PAI: Os desafios da paternidade atual.
Compre já o seu ingresso!

Beijo na boca, drogas e AIDS

Desconfio que meu namorado tenha AIDS. Se tiver, posso ser contaminada pelo beijo?

Pergunta: "Olá,

Meu nome é Adriana* e venho por meio desta, tirar algumas dúvidas se possível.Estou namorando a quase 3 meses e meu namorado é ex usuário de drogas, mas ele jura que nunca usou drogas injetáveis.

Neste ano de 2007 ele ficou internado numa clinica de recuperação para viciados e segundo a mãe dele, fez o teste do HIV e deu NEGATIVO,mas ele tinha uma namorada que é mãe solteira e disse q teve relação com ela sem preservativo apenas uma vez.

Como sou uma pessoa encucada, já coloquei isso na cabeça. Aí para piorar tudo por algumas vezes quando estava beijando ele,senti gosto de sangue ai perguntei para ele, e disse para ver direito pois tinha gosto de sangue.

Eu peguei um cotonete e mandei ele colocar num dente que ele tinha arrancado que estava quase fechado e era o dente mesmo que tava saindo sangue, não muito, mas tava. Por ele ter parado de se drogar quando começou namorar comigo, resolveu fazer um novo exame de Hiv e dia 14 sairá o resultado,mas minha maior dúvida é: Quais as possibilidades, se ele tiver o vírus, de me contaminar através do beijo?

E se eu engolir o sangue por pouco que seja, posso pegar ? E se a trasmissão só acontece se houver o contato de sangue com sangue? E se ao beijar tiver o contato com o sangue dele e eu tiver tipo um dente aberto mas sem sair sangue se também há o risco?

Por favor esclareça estas dúvidas por favor, pois estou muito preocupada. Espero na expectativa de sua resposta um abraço."

* Nome fictício para preservar a identidade da leitora, já que o tema é delicado.

Olá, Adriana. Tenho que começar sendo algo duro contigo, mas menos do que deveria.

beijo-suspeito
Não dá pra sair beijando qualquer um(a) hoje em dia, tempos perigosos...

Como identificar um usuário de drogas injetáveis

Antes de mais nada, vou te ensinar um truque para descobrir se seu namorado falou a verdade quando disse que nunca usou drogas injetáveis. Observe os braços dele, especialmente na dobra do cotovelo.

Por estar em estado alucinatório, o viciado frequentemente não observa regras de limpeza para aplicação de injeções, e além disso, a passagem da droga pela veia provoca uma espécie de inflamação nestas, chamada flebite. Se o braço dele tem um monte de marca tipo picada de mosquito, ou você consegue observar um trajeto inflamado de veia, grandes chances de ele ter usado drogas injetáveis e mentido para você.

Outra coisa, muito suspeito o fato dele ter feito uma sorologia pro HIV, assim, do nada. Pode ser até procedimento padrão quando da internação do paciente numa casa de recuperação, mas o fato é que a suspeição de ter ocorrido uso de droga injetável é enorme. E com todo respeito "a sua sogra, o fato de ela ter te dito que a sorologia foi negativa não prova nada.

O mundo é cruel e pessoas mentem, minha cara. Infelizmente. Não estou querendo colocar lenha na fogueira, mas o meu papel é analisar as evidências à luz da frieza científica. E é a sua saúde que está em jogo, tudo deve ser considerado.

Então passemos às dúvidas sobre o beijo na boca e a transmissão da AIDS

Muitos afirmam que o risco de transmissão da AIDS pelo beijo na boca é zero. Essa afirmativa é perigosa e imprudente. A todos que acompanharam a discussão no meu artigo sobre a AIDS, eu pergunto :

Observando o caso da leitora aqui, alguém ainda ousa afirmar que o risco é zero?

Então vamos colocar os pingos nos devidos Is :

1 – A saliva contém enzimas que inativam o HIV, além da concentração deste ser mínima. Portanto, o risco de transmissão num beijo entre pessoas com boa saúde oral, uma delas sendo contaminada, é praticamente zero.
2 – Na presença de inflamações e ferimentos na mucosa oral, aumenta a concentração de células que carregam o vírus. Isso aumenta para pouco mais que praticamente zero o risco de transmissão, tanto para quem está com a ferida/inflamação como para o outro.
3 – No caso da leitora, houve passagem de sangue para ela. A chance ainda é pequena, pelo pouco volume de sangue, mas já não cabe falar em zero aqui.
4 – Se além do sangue, a pessoa que recebeu este tiver ferida ou inflamação, então o risco eleva-se exponencialmente. Não se compara aos outros meios mais comuns de pegar HIV, mas já é significativo.

Acredito que isto responde suas dúvidas, prezada leitora. Aguardemos o resultado dos exames.

Dr. Health, que tem um viciado em droga na família : Meu pai torce para o Botafogo...


publicado em 04 de Janeiro de 2008, 07:58
7375567d0f2c379b7588ce618306ff6c?s=130

Mauricio Garcia

Flamenguista ortodoxo, toca bateria e ama cerveja e mulher (nessa ordem). Nas horas vagas, é médico e o nosso grande Dr. Health.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura