Bissexualidade masculina: minha experiência

Aqui vai um relato em primeira pessoa sobre as descobertas, dúvidas e frustrações a respeito do tema. Vamos conversar sobre bissexualidade masculina?

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo dorel jpg
  • Vivara130x50 jpg

Muito do que é dito sobre o assunto em relação às mulheres também é válido para nós. Mas  achei pouco material na internet sobre como é, especificamente, ser um homem bissexual.  Então decidi contar aqui a minha própria história.

Quando tinha algo entre 12 e 13  anos eu descobri a masturbação, acredito que numa idade próxima da maioria dos meninos. E foi nessa época que entrei em contato com o que me excitava. Percebi que, diferente de grande parte dos caras, não eram apenas meninas que me atraiam, mas meninos e meninas. Levaria tempo até contar para outra pessoa, principalmente por eu ter a sensação de que aqueles desejos eram clandestinos, como se houvesse algo errado comigo. Eu mesmo ainda não entendia. 

Com o tempo tive as primeiras experiências com mulheres; os primeiros beijos e as primeiras transas.

Sempre achei as formas femininas muito bonitas. Aprecio ainda mais uma mulher pelada, do meu lado, querendo dar para mim. Acho que por isso foi mais fácil viver bastante tempo ignorando o meu tesão em homens. Estava lá, eu sabia, mas como só saía com mulheres e convivia (quase que) apenas com pessoas heterossexuais, eu não fazia nada sobre isso. Talvez com exceção de uma punheta ou outra.

Continuei vivendo como se fosse heterossexual.

Então aconteceu que fui morar em outro país, onde não conhecia ninguém. Estava namorando e minha namorada também estava fora do país, mas em outro local. Tentamos continuar o namoro a distância: não deu certo como gostaríamos. Longe de casa por tempo limitado e recém solteiro, foi a primeira vez em que realmente dei mais atenção a minha bissexualidade, sem o sentimento de culpa que havia em mim antes.

Pela primeira vez transei com outro homem. E com outros depois do primeiro. Sim, eu chupei pau e dei o cu entre outras coisas, mas não vejo a relevância de discutir quem faz o que. Era um tesão diferente do que aquele que eu sentia com mulheres. E ainda uma sensação de estar fazendo algo proibido. Gozei, várias vezes. Conheci todos os homens com que fiquei por um app no celular, acho que não preciso dizer qual. Até tentei conhecer outros homens pessoalmente, indo em bares gays, mas não me identificava com o lugar.

É quase como se os homossexuais não fossem bem vindos na sociedade e criassem a sua própria cultura, rompendo com a visão de como é ser homem, mas os bissexuais não conseguissem se integrar totalmente em nenhum dos dois mundos.

Não é difícil achar nos apps homens que vivem uma vida dupla, são casados ou tem namorada, mas procuram por sexo com outros homens na internet. O caminho não é considerar eles como gays mantendo relações de aparência. Pelo menos não todos. Não acho que seja fácil manter um relacionamento de aparências por vários anos e enganar a pessoa mais próxima, e só consigo pensar que sem nenhuma atração real, as chances são menores ainda.

Um homem que sente atração por homens e mulheres não é gay enrustido. É bissexual.

Não estou tentando justificar esses casos. Apenas dizer que existem dificuldades para quem não se enquadra nas expectativas que existem e que é comum que essas expectativas sejam quebradas, em segredo, evitando exposição.

Gostaria que fosse diferente, mas eu também não sou tão aberto sobre a minha bissexualidade. Nunca contei para família, nem para amigos, com poucas exceções. Acho mais fácil falar sobre o assunto com outras pessoas com as quais me relacionei.

Me parece um pouco mais natural conversar sobre isso com homens gays que fiquei, mesmo percebendo que a bissexualidade é um tanto inesperada. As vezes não digo nada para mulheres que estou interessado, porque imagino que elas se afastariam. Apesar disso, nunca tive relações mais sérias com homens; namorei apenas mulheres e gosto do estilo de vida que levo.

Me pergunto, caso não fosse uma regra de conduta reafirmar a masculinidade e negar qualquer homoafetividade, se não haveriam mais homens curiosos a respeito de sexo com outros homens.

E você? O que pensa sobre isso?


publicado em 08 de Dezembro de 2016, 00:05
File

Autor Anônimo

Identificação coletiva e anônima, usada por autores ou leitores PapodeHomem que querem escrever artigos ou contar suas histórias sem abrir mão do sigilo.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: