Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

No Bola de Ouro da FIFA, (quase) tudo dentro do previsto

Internet brasileira se mobiliza e elege o gol de Wendell Lira como o mais bonito do ano

Em meio a denúncias, polêmicas, afastamentos e prisões, a Fifa conseguiu escapar dos olhares desconfiados do mundo todo e organizar uma bela cerimônia de premiação para aqueles que realmente fazem o futebol ser o esporte mais popular do planeta: jogadores e treinadores.

Com um protocolo bem planejado, a cerimônia ocorreu sem nenhuma gafe e flertou com momentos dignos de menção honrosa, como o posicionamento corajoso em relação aos refugiados na Europa. Os apresentadores souberam dar o tom nem muito sério nem exageradamente engraçado de uma premiação onde tudo aconteceu conforme o esperado, com exceção de um único momento: a vitória comovente do brasileiro Wendell Lira pelo gol mais bonito do ano.

A festa foi um show de confirmação dos favoritismos. O melhor treinador, a melhor treinadora, o melhor jogador, a melhor jogadora… Tudo dentro das previsões. A única premiação em que podemos apontar uma surpresa foi justamente aquela que dependia do voto popular.

O gol marcado por Wendell Lira pelo Goianésia contra o Atlético-GO, no Serra Dourada, pela 9ª rodada do Campeonato Goiano foi acompanhado por apenas 342 torcedores no estádio, mas atingiu 46,7% dos cerca de 1,6 milhões de votos pela internet.

Link Youtube - O gol mais bonito do ano visto por apenas 342 pessoas no estádio.

O percentual indica uma vitória inquestionável e poderia apontar para um favoritismo de Wendell, mas o até então desconhecido jogador do interior de Goiás conseguiu superar jogadores famosos e milionários como o próprio Messi graças ao poder da internet brasileira invocado por portais de humor como o Não Salvo e o Desimpedidos.

Não tá convencido? Vê só os outros tweets do Não Salvo.

Anunciado como grande vencedor, Wendell Lira subiu ao palco muito emocionado e fez um discurso que citava a passagem bíblica da disputa entre Davi e Golias, depois de agradecer pela oportunidade de conhecer (e superar) jogadores que ele só tinha visto, até então, por videogame.

Link do Youtube - “Jogadores que são meus ídolos e que eu conhecia só de vídeo game."

Outras premiações

O Brasil também teve seu espaço em outras premiações. Com quatro representantes na seleção do ano da Fifa, o país foi o mais bem representado. Thiago Silva, Marcelo, Daniel Alves e Neymar foram eleitos numa votação que contou com a participação de mais de 25 mil jogadores de 70 países. Eles se juntaram a Neuer, Sergio Ramos, Iniesta, Pogba, Modric, Messi e Cristiano Ronaldo.

Depois de conquistar cinco de seis títulos possíveis pelo Barcelona, Luis Enrique foi eleito o melhor treinador do mundo superando o compatriota Pep Guardiola, do Bayern de Munique, e o argentino Jorge Sampaoli, da seleção chilena.

No futebol feminino, a vitória foi da inglesa Jill Ellis, técnica que conduziu a seleção feminina dos EUA ao título mundial na Copa do Mundo no Canadá, no ano passdo. Ela superou Norio Sasaki, do Japão, e o compatriota Mark Sampson, da seleção inglesa.

Artilheira, campeã mundial e melhor jogadora da última Copa do Mundo, Carli Lloyd coroou a temporada perfeita conquistando também o prêmio de melhor jogadora do mundo pela primeira vez. A americana superou a japonesa Aya Miyama e a alemã Celia Sasic.

No grande prêmio da noite, Messi conquistou a sua quinta Bola de Ouro com 41,3% dos votos e ampliou a vantagem sobre Cristiano Ronaldo (27,8%), Zidane e Ronaldo, todos com três conquistas cada. O brasileiro Neymar terminou como terceiro melhor jogador do mundo conquistando 7,8% do votos. O responsável por anunciar o resultado e entregar o troféu foi justamente Kaká, vencedor em 2007, último ano antes de começar a disputa particular entre o argentino e o português.

Você pode conferir quem votou em quem para o melhor do mundo no site da Fifa.

Wendell Lira foi realmente o autor do gol mais bonito do ano? Deixe nos comentários sua opinião sobre os prêmios.


publicado em 11 de Janeiro de 2016, 20:44
Breno franca jpg

Breno França

Editor do PapodeHomem, é formado em jornalismo pela ECA-USP onde administrou a Jornalismo Júnior, organizou campeonatos da ECAtlética e presidiu o JUCA. Siga ele no Facebook e comente Brenão.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura