No Bola de Ouro da FIFA, (quase) tudo dentro do previsto

Internet brasileira se mobiliza e elege o gol de Wendell Lira como o mais bonito do ano

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo dorel jpg
  • Vivara130x50 jpg

Em meio a denúncias, polêmicas, afastamentos e prisões, a Fifa conseguiu escapar dos olhares desconfiados do mundo todo e organizar uma bela cerimônia de premiação para aqueles que realmente fazem o futebol ser o esporte mais popular do planeta: jogadores e treinadores.

Com um protocolo bem planejado, a cerimônia ocorreu sem nenhuma gafe e flertou com momentos dignos de menção honrosa, como o posicionamento corajoso em relação aos refugiados na Europa. Os apresentadores souberam dar o tom nem muito sério nem exageradamente engraçado de uma premiação onde tudo aconteceu conforme o esperado, com exceção de um único momento: a vitória comovente do brasileiro Wendell Lira pelo gol mais bonito do ano.

A festa foi um show de confirmação dos favoritismos. O melhor treinador, a melhor treinadora, o melhor jogador, a melhor jogadora… Tudo dentro das previsões. A única premiação em que podemos apontar uma surpresa foi justamente aquela que dependia do voto popular.

O gol marcado por Wendell Lira pelo Goianésia contra o Atlético-GO, no Serra Dourada, pela 9ª rodada do Campeonato Goiano foi acompanhado por apenas 342 torcedores no estádio, mas atingiu 46,7% dos cerca de 1,6 milhões de votos pela internet.

Link Youtube - O gol mais bonito do ano visto por apenas 342 pessoas no estádio.

O percentual indica uma vitória inquestionável e poderia apontar para um favoritismo de Wendell, mas o até então desconhecido jogador do interior de Goiás conseguiu superar jogadores famosos e milionários como o próprio Messi graças ao poder da internet brasileira invocado por portais de humor como o Não Salvo e o Desimpedidos.

Não tá convencido? Vê só os outros tweets do Não Salvo.

Anunciado como grande vencedor, Wendell Lira subiu ao palco muito emocionado e fez um discurso que citava a passagem bíblica da disputa entre Davi e Golias, depois de agradecer pela oportunidade de conhecer (e superar) jogadores que ele só tinha visto, até então, por videogame.

Link do Youtube - “Jogadores que são meus ídolos e que eu conhecia só de vídeo game."

Outras premiações

O Brasil também teve seu espaço em outras premiações. Com quatro representantes na seleção do ano da Fifa, o país foi o mais bem representado. Thiago Silva, Marcelo, Daniel Alves e Neymar foram eleitos numa votação que contou com a participação de mais de 25 mil jogadores de 70 países. Eles se juntaram a Neuer, Sergio Ramos, Iniesta, Pogba, Modric, Messi e Cristiano Ronaldo.

Depois de conquistar cinco de seis títulos possíveis pelo Barcelona, Luis Enrique foi eleito o melhor treinador do mundo superando o compatriota Pep Guardiola, do Bayern de Munique, e o argentino Jorge Sampaoli, da seleção chilena.

No futebol feminino, a vitória foi da inglesa Jill Ellis, técnica que conduziu a seleção feminina dos EUA ao título mundial na Copa do Mundo no Canadá, no ano passdo. Ela superou Norio Sasaki, do Japão, e o compatriota Mark Sampson, da seleção inglesa.

Artilheira, campeã mundial e melhor jogadora da última Copa do Mundo, Carli Lloyd coroou a temporada perfeita conquistando também o prêmio de melhor jogadora do mundo pela primeira vez. A americana superou a japonesa Aya Miyama e a alemã Celia Sasic.

No grande prêmio da noite, Messi conquistou a sua quinta Bola de Ouro com 41,3% dos votos e ampliou a vantagem sobre Cristiano Ronaldo (27,8%), Zidane e Ronaldo, todos com três conquistas cada. O brasileiro Neymar terminou como terceiro melhor jogador do mundo conquistando 7,8% do votos. O responsável por anunciar o resultado e entregar o troféu foi justamente Kaká, vencedor em 2007, último ano antes de começar a disputa particular entre o argentino e o português.

Você pode conferir quem votou em quem para o melhor do mundo no site da Fifa.

Wendell Lira foi realmente o autor do gol mais bonito do ano? Deixe nos comentários sua opinião sobre os prêmios.


publicado em 11 de Janeiro de 2016, 20:44
Breno franca jpg

Breno França

Editor do PapodeHomem, é formado em jornalismo pela ECA-USP onde administrou a Jornalismo Júnior, organizou campeonatos da ECAtlética e presidiu o JUCA. Siga ele no Facebook e comente Brenão.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: