Bom dia, Анастасия

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo dorel jpg
  • Vivara130x50 jpg

É Anastasia em russo.

Um vídeo de 16 minutos.

Link Vimeo

A espera, o momento de contemplar a carne, a tonalidade da pele, os detalhes. A modelo espera como quem senta na frente de casa pra ver a noite cair em cima de todo mundo. Ela é profissional, está sendo paga pra aguardar e sorrir quando deve sorrir. Mas você não.

Há que se esperar, existe aquele prazer doloroso em conjecturar como deve ser o corpo dela sem nenhum empecilho visual, só a nudez castigando os nossos desejos reprimidos. Nossa pastoral é pela visão plena dos pecados contidos no corpo da nossa pequena Anastasia.

Alguns devem conhecer o movimento Slow Food que, resumindo porcamente pra não desviarmos a atenção do que precisa ser falado nesse post, é um lance de comer com mais calma, cozinhar mais tranquilamente, desacelerar um processo tão delicioso que é comer, saborear um prato e a companhia que todo esse movimento acarreta.

Disso, eu poeticamente comecei a desenhar em minha mente o Slow Foda, que seria o melhor aproveitamento do sexo. Nada contra a rapidinha, apenas um olhar mais cuidadoso dos proveitos de uma bela trepada. E a espera passa por isso. Olhar, comer com os olhos, acostumar o corpo ao desenrolar da coisa, sem pressa, sem cortar pedaço, sem avançar pra ver a moça pelada.

Esse vídeo veio a calhar. Olhe com cuidado, com esmero. Que isso sirva pra além Bom Dia, que seja uma prática do dia a dia. Deixa ela se mostrar, deixa ela se despir de pouco em pouco, deixa ela levar o cheiro dela até você, deixa ela rir da sua cara de bobo.

Se você assistiu o vídeo do começo ao fim, mesmo com a trilha sonora de péssimo gosto, as reviravoltas gordurosas, se você acompanhou toda a saga percebendo as roupas, a falta de roupa, os olhinhos dela, a luz batendo nela todinha, você entendeu o que quero dizer.

Boa semana a todos.


publicado em 11 de Fevereiro de 2013, 08:00
13350456 1045223532179521 7682935491994185264 o

Jader Pires

É escritor e colunista do Papo de Homem. Escreve, a cada quinze dias, a coluna Do Amor. Tem dois livros publicados, o livro Do Amor e o Ela Prefere as Uvas Verdes, além de escrever histórias de verdade no Cartas de Amor, em que ele escreve um conto exclusivo pra você.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: