Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

Bom dia, Anya (ou o "segundo não-bom dia")

No final de outubro de 2012 eu fiz meu primeiro não-bom dia. Escolhi para o pequeno protesto a linda Melissa Mendini, que de tão linda acabou ilustrando a nossa série, mesmo com vídeos tão ruins.

Sete meses depois, a coisa se repete.

O segundo não bom-dia é da Anya. Ela é incansável, anda de lá pra cá com roupinhas rosa, com lingerie negra sobre saltos altos, nua como veio ao mundo. Saracoteia em frente a lareira, sobre a escada, se mostra na cama, aperta o colchão com as mãos, como se estivesse tomando a maior de todas as sarradas, mesmo que seja um artifício pra chamar a nossa atenção (e consegue, claro).

Só que, mal dirigida, acaba se repetindo, ficando quase grudenta, aquela ex-namorada que insiste em ligar dezenas de vezes pra prometer que tudo vai ser diferente. Se quando seu nome aparece como um tapa enquanto ela deliciosamente bota o dedinho na boca e morde os lábios contra a luz, logo depois ela quebra a delicadeza dançando atrás do biombo e destruindo o que seria uma tentativa de surpreender. Logo depois de uma sequência tenebrosa em que um estagiário da MTV resolveu inserir umas loucuras pra dar barato (não, não deu certo, ela masca chiclete enquanto tira o sutiã de um jeito todo descabido. Triste.



Link Vimeo

Ainda bem que ela salva tudo quando tem a gente bem mais perto, em close. O problema era esse: não chegar mais perto.

Vai lá. Dá um oi pra ela.

Boa semana a todos.


publicado em 20 de Maio de 2013, 07:00
13350456 1045223532179521 7682935491994185264 o

Jader Pires

É escritor e colunista do Papo de Homem. Escreve, a cada quinze dias, a coluna Do Amor. Tem dois livros publicados, o livro Do Amor e o Ela Prefere as Uvas Verdes, além de escrever histórias de verdade no Cartas de Amor, em que ele escreve um conto exclusivo pra você.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura