Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

[18+] Bom dia, Mayara Rios

O Fernando conheceu a Regina, que faz book de fotos na sacada de seu apartamento. Conversa vai e conversa vem, ele começa a frequentar esse apartamento para aprender mais sobre o ofício de tirar fotos.

Das várias idas, surge a ideia -- dela -- de fazer fotos sensuais. O Fernando topou e foi correndo convidar a Mayara, mestiça de beleza estúpida que estuda no mesmo curso de fotografia que ele e topa qualquer parada. Um encontro entre os três em um café e, três dias depois, a coisa toda estava acontecendo: a Regina batendo fotos e o Fernando fazendo o vídeo.

Link Vimeo

E que achado. Uma garota cujo encanto pode fazer chorar ou mesmo escravizar -- mesmo que por alguns minutos -- os olhos do menos preparado. É inquietante olhar para ela, botar em embate direto o teu olhar com o dela, perceber seus movimentos. O rosto quadrado, os olhinhos pequenos e arredondados, os cabelos.

A falta de expressão que ela traz consigo denota um atrito constante, uma liberdade adquirida por ela e que será sempre lutada. Junto, mas no mesmo instante mesmo, há uma submissão plena que me remete automaticamente ao relacionamento entre o viajante Shimamura e a pequena Komako, das coisas mais delicadas que eu já li e, de certa forma, convivi. Eles estão no doce romance do escritor japonês, Yasunari Kawabata, chamado O País das Neves.

Ver a Mayara é deixar gelar o coração.

DSC_1408f
DSC_1465f
DSC_1485f
DSC_1493f
DSC_1494f
DSC_1526f
DSC_1530f
DSC_1537f
DSC_1569f
DSC_1575f
DSC_1619f
DSC_1620f

 

DSC_1623f
DSC_1629f

Boa semana a todos.


publicado em 05 de Maio de 2014, 07:00
13350456 1045223532179521 7682935491994185264 o

Jader Pires

É escritor e colunista do Papo de Homem. Escreve, a cada quinze dias, a coluna Do Amor. Tem dois livros publicados, o livro Do Amor e o Ela Prefere as Uvas Verdes, além de escrever histórias de verdade no Cartas de Amor, em que ele escreve um conto exclusivo pra você.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura