Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

[18+] Bom dia, meninas do ElaCrua

Fotografar sempre foi minha grande paixão e o desejo por retratar o nu feminino sempre foi bem grande. O projeto ElaCrua veio da necessidade de fotografar a mulher como ela é, na sua essência -- estilo e personalidade -- e mostrar as diferenças entre elas sem tabus ou estereótipos.

1
2
3
4
5
6
7
8
9
10

A dificuldade de explorar o nu feminino por ser homem é grande e é fácil ser confundido com um “taradão” por  lidar sempre com mulheres sem roupa. Quando fotografo pro ElaCrua, entro no mundo das mulheres e sempre digo que acabo virando uma também. Mais do que uma concepção de ensaios sensuais, o ElaCrua é a liberdade da mulher em seu estado bruto, do seu jeito.

Annatole

Link Vimeo

Ensaio surpreendente feito em uma viagem na Argentina. A Annatole chegou e me perguntou “¿Tengo que desudarme?” e atuou como uma personagem dela mesma.

ALB_2223
ALB_2237
ALB_2265
ALB_2285
ALB_2304
ALB_2308
ALB_2309

Stella Montiel

Link Vimeo

A entrega e a conexão com a natureza surpreende bastante no ensaio dessa moça. Os movimentos, como se ela fizesse parte daquele ambiente.

ALB_4184
ALB_4202
ALB_4218
ALB_4241
ALB_4250
ALB_4289
ALB_4294

 

 

 

 

 

 

 

Kamila Bonita

Link Vimeo

Dona de um estereótipo não convencional, ela veio de Goiânia para fazer o ensaio para o projeto. Tímida e totalmente na dela, deixou-se retratar e eu não interferi. Segui seus passos e consegui mostrar toda a sua beleza.

ALB_5532-copy
ALB_5542-copy
ALB_5568-copy
ALB_5636-copy
ALB_5650-copy
ALB_5706-copy
ALB_5720-copy

Boa semana a todos.


publicado em 01 de Setembro de 2014, 06:00
File

Alberto Prado

Mora em Guarulhos, São Paulo, e é o idealizador do projeto Ela Crua, que registra mulheres em sua intimidade. No tom natural, a mulher se mostra no estado em que deseja ser vista, ela se deixa retratar no cru do seu próprio mundo, personalidade e estilo. Tem Facebok e Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura