Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

Brincadeira com quem joga bituca de cigarro na rua

Não deveria, mas já é clássica a cena de uma pessoa jogando bituca para fora do carro ou andando na calçada e deixando o cigarro cair na sarjeta como se nada tivesse acontecendo.

Pois eu tenho uma sugestão para nos relacionarmos com as pessoas nesse momento sagrado. Já fiz duas vezes; a segunda acabou de acontecer quando eu saia do restaurante Alandeia, na Alfonso Bovero.

Assim que você flagrar uma pessoa jogando a bituca na calçada, você pega o cigarro ainda soltando fumaça e vai até ela com a cara mais preocupada do mundo. É essencial que não haja traço algum de revolta na sua expressão. Você oferece a ela o cigarro como se fosse um objeto muito precioso e diz:

"Caiu ali. O senhor não viu e quase perde. Aqui está."

No meu caso hoje, eu disse:

"Moça, olha, caiu da sua mão ali."
[cara de espanto]
"Ainda bem que deu tempo de devolver antes que alguém pegasse, né? Boa tarde!"

Olha quantos cigarros perdidos.

Outra coisa importante é não deixar a máscara de loucura cair, não achar normal a pessoa pedir para jogar no chão ou no lixo, afinal aquilo é como se fosse a carteira dela! Fique na frente dela até que ela pegue o cigarro da sua mão e quase diga "Obrigado". Finja não entender qualquer outra reação.

Se já fizeram algo parecido ou rolar daqui pra frente, contem aqui nos comentários.


publicado em 16 de Dezembro de 2010, 12:33
Gustavo gitti julho 2015 200

Gustavo Gitti

Professor de TaKeTiNa, colunista da revista Vida Simples, autor do antigo Não2Não1 e coordenador do lugar. Interessado na transformação pelo ritmo e pelo silêncio. No Twitter, no Instagram e no Facebook. Seu site: www.gustavogitti.com


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura