A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

Célebres Anônimos; 4 anos depois

Em 3 de novembro de 2002 um estudante canadense chamado Ghyslain Raza decidiu aprontar: gravou um vídeo do próprio fazendo movimentos de luta com um tipo bastão. Mal sabia Ghyslain que a fita original cairia nas mãos de um colega de sala e logo ganharia novo título: Jackass_starwars_funny.wmv.

O chamado Star Wars Kid é considerado um dos primeiros viral meme da Internet. O arquivo era compartilhado via serviços de P2P e e-mails (não existiam bibliotecas de vídeo como Youtube e Vimeo). E o mais incrível disso tudo, além da popularidade absurda conquistada pelo adolescente, foi a onda de paródias que surgiram a partir daquele ano.

Iniciou-se, assim, uma nova era. A era das celebridades da Internet.

O inocente Ghyslain Raza e sua porta de entrada para os 15 bytes de fama

No Brasil tivemos casos antológicos, como Jeremias José do Nascimento e Ruth Lemos. A dupla foi vítima da publicação não autorizada de imagem na rede. Ou seja, eles tornaram-se celebridades totalmente por acaso. Não foi uma classificação adquirida por mérito e vontade própria. Coube a eles administrarem a visibilidade. Cada um de seu modo, evidentemente.

O estudo do caso de Ghyslain Raza, somado com a vivência do período de disseminação dos vídeos de Jeremias e Ruth Lemos, me fez criar uma tese sobre as “celebridades da Internet”. Em 2007, no trabalho de conclusão de curso da faculdade de jornalismo, defendi que existia, sim, uma fórmula mágica para tornar-se uma celebridade da Internet. O projeto rendeu um documentário: Célebres Anônimos - A Virtualidade da Fama na Cybercultura.

O filme conta com depoimentos de celebridades da época, como Ruth Lemos, Guilherme Zaiden e Givanildo Silveira, além dos jornalistas Marcelo Tas, Rosana Hermann, Alexandre Inagaki e Sérgio Gwercman (Diretor de Redação Super Interessante). Blogueiros como Mr. Manson, Antonio Tabet e Edney Souza comentaram sobre a importância do blog na hora de pulverizar o conteúdo. Já os sociólogos Ciro Marcondes e Carlos Maldonado deram uma visão mais teórica da busca pela fama.

Link Vimeo |

Falta um estudo mais profundo desse tema que, queiram ou não, faz parte do nosso cotidiano. É interessante rever esse documentário depois de tanto tempo. E mais ainda perceber que nada mudou. Seria hoje um bom momento para retomarmos essa discussão. Ir além de entrevistas vazias, relatos desnecessários e utilização de celebridades virtuais em publicidade.

É clara minha falta de experiência na condução do tema em 2007. Hoje, se eu me aventurasse a um novo filme, focaria em entrevistas com especialistas em teoria da comunicação. Seria ótimo colher a opinião de profissionais com esse perfil, e não dos mesmos nomes que estamos de saco cheio de ver em eventos de mídias sociais.

Quem sabe, assim, chegaríamos a uma resposta mais clara.

Nota do editor: o que aconteceu com Ghyslain Raza? Ele se formou em direito na McGill University, em Montreal, e voltou para sua cidade natal. Atualmente é um bem sucedido presidente do "Patrimoine Trois-Rivières", uma sociedade criada com o objetivo de preservar o património cultural da cidade de Trois-Rivières.

Nada mal.


publicado em 06 de Julho de 2011, 17:21
File

Fred Fagundes

Fred Fagundes é gremista, gaúcho e bagual reprodutor. Já foi office boy, operador de CPD e diagramador de jornal. Considera futebol cultura. É maragato, jornalista e dono das melhores vagas em estacionamentos. Autor do "Top10Basf". Twitter: @fagundes.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura