Como estimular o jeitinho brasileiro

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo dorel jpg
  • Vivara130x50 jpg

Recentemente, navegando por alguns sites de notícias, me deparei com a seguinte manchete no G1:

"Especialistas apontam o que vale consertar no carro antes da venda"

Que o jeitinho brasileiro é algo cultural e intrínseco na vida da maioria esmagadora dos brasileiros não tenho dúvida. O que me gera grande decepção é quando passamos a aceitar esse tipo de situação como algo normal, admissível, presente em nosso cotidiano e plausível de ser difundido e estimulado em um portal de notícias de grande acesso.

Eu poderia passar linhas e linhas discorrendo sobre a boa-fé entre as partes, ética, retidão de conduta e moralismo. Facilmente este texto deixaria de ser um shot e viraria um artigo.

Penso que não vale a pena. Lamentavelmente a malandragem já está em nosso DNA, não temos como nos livrar. Já virou texto de how-to-do. Passamos do ponto de retorno.

"Você precisa vir ver, cara. O carro tá zero bala!"

publicado em 09 de Março de 2011, 05:01
1afabd14978bcd5163b01fd698d331d0?s=130

Alexandre Nunes

Advogado e jogador de poker. Apenas um rapaz latino-americano sem dinheiro no banco, sem parentes importantes, vindo do interior. Responde por @LeLawyer no Twitter.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: