Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

Como fazer um quadro de brejas

Um artigo decorativo para quem gosta de ostentar as cervejas que toma

O legal de consumir cervejas artesanais é que, em geral, elas têm todo um apelo estético mais cuidadoso, o que transforma suas garrafas em souvenirs. Não é raro ver alguém que faz uma coleção com elas.

Aqui, vamos montar um quadro reaproveitando um pallet, para poder ter um local para organizar e expor suas conquistas etílicas.

Sem muitas delongas, vamos ao que interessa. Pois viemos para beber e não para conversar.

Materiais:

  • Um pallet de madeira
  • 2 parafusos e 2 buchas #8 (60mm)
  • Alguns parafusos de madeira (aqueles dourados)
  • Uma tabua fina ou prancha de acrílico para o frontão

Ferramentas:

  • Martelo e formão para retirar as tábuas do pallet
  • Furadeira
  • Parafusadeira ou chaves de fenda
  • Serra tico-tico ou serrote

1Desencaixar as madeiras

Deve-se retirar as treliças que não farão parte do seu quadro de brejas. Tudo vai depender do pallet que você encontrar. No meu caso, um pallet padrão. 

Usando o martelo e o formão tirei as madeirinhas que ficavam na base das madeiras quadradas (dos pés). Depois, tirei alternadamente as treliças sem os pés e as madeiras quadradas do meio do quadro. Veja nas fotos:

2. Fixar bem os apoios de prateleiras

Usualmente os pallets são montados com pregos. Ao longo do tempo, com peso e de pé na parede, as peças vão desmontar. 

Portanto, deve-se usar parafusos compridos (numero 6 ou 8, usei 6) para prender as madeiras quadradas (que serão a base das prateleiras) na moldura que será presa na parede. 

Aquelas duas treliças que você tirou da moldura serão as suas prateleiras. 

Prenda com pregos ou parafuso.

3. Descer a 2ª prateleira (passo alternativo)

Se estiver com preguiça não faça, mas fica mais harmônico. Retire as 3 madeirinhas quadradas de cima e com o auxilio de uma garrafa grande (a maior que você acha que irá deixar na parede) determine a altura da prateleira de cima. 

Use um nível, parafuse seus suportes quadrados e pregue sua prateleira.

4. Frontão

Corte um frontão ou beiral de madeira ou de acrílico, para as suas preciosas não ficarem com vertigem. Proteja-as, são preciosas. Corte um frontão baixo (para não esconder os rótulos) e parafuse a peça nas prateleiras.

5. Prender na parede

Faça furos na moldura (eu fiz 2 apenas) e com ela apoiada na parede, marque o local do furo com um lápis e sempre usando um nível, para não ficar torta. Tire a moldura e fure a parede com broca #8. Coloque as buchas e parafuse o seu quadro.

6. Lixar, pintar e envernizar

Como sou ogro e o quadro está no alto, longe de mãozinhas curiosas, não fiz o 6o. passo. Quem quiser, fique avont’s.

7. Popule sua parede e chame os amigos

Agora pode apreciar com os olhos e com os beiços. Dúvida sobre quais cervejas comprar? Siga as recomendações da nossa colega Bia Amorim, vale a pena.

* * *

“Deixa que eu faço” é a série colaborativa de textos mão na massa do PapodeHomem. A ideia é reunirmos pessoas dispostas a contribuírem com guias e tutoriais, ensinando a fazer as mais diversas tarefas, das rotineiras às inusitadas. Com o tempo, queremos ter um compilado com todo tipo de passo-a-passo, para tornar o PapodeHomem um espaço cada vez mais útil.

Pode se programar: toda sexta, um texto com um guia ensinando a fazer algo prático.

Tem alguma ideia? Manda pra gente no e-mail deixaqueeufaco@papodehomem.com.br.

E, caso faça um dos tutoriais já publicados, põe a hashtag #deixaqueeufacopdh pra compartilhar com a gente. As mais legais a gente solta no Instagram do PapodeHomem.


publicado em 22 de Maio de 2015, 00:05
File

Artur Keppler

Professor de química, pesquisador, cozinheiro-ninja, pai de duas lindas garotas. Adora aprontar com uma furadeira, pincel, lápis e papel. Acredita no poder transformador de pequenos gestos.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura