A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

Como usar uma web rádio para se divertir e fazer novos amigos

Quando você não aguenta mais as chamadas radiofrequências ou o quilohertz e ainda ouvir o locutor pedindo para você não mudar o dial significa que falta musica para os seus ouvidos.

Pode parece exagero, mas se você sintonizar rapidamente uma estação de rádio tradicional, ainda vai ouvir todos esses clichês. Acima de tudo, o ápice da interatividade de muitas dessas rádios segue sendo uma ligação telefônica para o programa pedindo sua música favorita ou sua cartinha do coração.

Simplificando: tudo isso remete ao passado, à décadas atrás. Claro, o mundo analógico também tem suas preciosidades insubstituíveis como os discos de vinil. O mais incrível é que tudo parece ter mudado, mas as rádios continuam sendo feitas no mesmo modelo de sempre, mesmo na era onde as pessoas estão conectadas o tempo todo e, se bobear, acabam postando selfies até de dentro do banheiro.

Cansado de sintonizar as rádios tradicionais no aparelho da minha mãe para conseguir ouvir por maior tempo uma programação que me agradasse – está cada vez mais difícil para um bom rock em meio a tanto “Beijinho no Ombro”, certo?  –, mas sem grana para dominar o mundo e ter uma emissora própria com antenas, estações e uma chamada concessão pública. O que fazer? Bem, a solução foi partir para uma web rádio, a maneira mais “simples”, barata e legal.

movie_wallpaper_pictures_photo_pics_posterhigh_fidelity_10

A partir daí, iniciei meu mais novo hobby com a ideia de levantar a cena musical autoral da minha região, em Jaraguá do Sul (SC). O objetivo maior não é o comercial, mas diversão. Então, se você também está cansado das mesmas coisas, anote aí o caminho para abrir sua própria web rádio.

1. Se informe, meu chapa

Apaixonado por música desde moleque, já possuía um acervo musical digital razoável. Fui então ampliar meus conhecimentos para montar uma plataforma (grade de programas) que pudesse transmitir e falar algumas palavras com desenvoltura.

2. É bem barato ter um “estúdio”

Pesquisei na internet para saber quais programas adquirir. Vai precisar decidir quanto quer gastar para transmitir com qualidade. A partir daí, inicialmente basta reunir equipamentos simples para colocar a rádio no ar. Você vai precisar de:


  • Computador

  • Microfone

  • Mixer

Para a rádio funcionar 24h sem que eu precise deixar o meu computador ligado, é preciso hospedar as músicas e arquivos em outro servidor com transferências via internet.

São pacotes pagos, claro. Tudo vai depender da qualidade de transmissão que você busca para o seu site. Hoje não é nada muito difícil você pesquisar por estes pacotes em sites de busca e decidir por qual deverá utilizar.

Dessa forma, consigo programá-la, monitorar a presença de ouvintes e fazer tudo o que precisa ser feito do meu smartphone.

3. No ar! No ar! No ar!

Colocar a web rádio no ar é uma enorme válvula de escape para fugir do normal, da rotina do trabalho como Analista em uma Multinacional. Eu chegava em casa, ligava o computador, convidava as pessoas pelas redes sociais a acessarem a rádio e mandava ver. Acima disso tudo, falava palavrões para caralho. Resultado? Bem, a galera curtiu! Talvez seja a sinceridade na locução e tirar uma onda como locutor de rádio AM na madrugada.

Com alguns meses de trabalho, criei uma certa popularidade entre a galera underground de Jaraguá e das cidades vizinhas. Aí vem o pulo do gato: passei a participar mais da comunicação e redes sociais. Parcerias e eventos para a galera da internet. Coisa que só existia nas rádios tradicionais e comerciais.

4. O caminho é longo, duro e, por vezes, ingrato

Após esses três primeiros passos caminharem, decidi aprofundar a experiência e criei um programa ao vivo onde recebia as bandas regionais.

Abby-Sciuto-abby-sciuto-32851376-1162-800

O segredo é a simplicidade: artistas novos querem espaço para exibir suas criações, trocar ideias, tomar cerveja e dar risada. Nada muito diferente do que eu, você e boa parte dos seus amigos fariam se tivessem uma banda.

O problema é que nem tudo vive de parcerias ou favores de amigos. Ou seja, sem investimento nada dura por muito tempo. A minha web rádio, a ONE RADIO ROCK é custeada do meu próprio bolso. Então, na realidade, funciona um pouco naquela lógica de bater o escanteio e correr para a área para cabecear. Felizmente, aos poucos, novas parcerias e alguns investimentos estão chegando.

5. Quero um milhão de amigos

Na internet, a web rádio se junta às redes sociais e o resultado é uma nova leva bandas e de gente interessante fazendo seus contatos se multiplicarem algumas vezes. Outro fator interessante da web rádio é que, mesmo quando a produção é local, os ouvintes se espalham. Da mesma maneira, me orgulho quando ouvintes surgem de longe, de outros estados e países.

Outro ponto importante é a abrangência. Uma rádio tradicional é limitada pela potência de sinal transmitido por antenas, enquanto a web pode ser ouvida de qualquer parte do planeta. Eu mesmo, custo ouvir as rádio de outros países, como da Alemanha, Inglaterra, por exemplo.

* * *

A ideia de ter uma rádio veio depois de perceber  que minha banda de hardcore de garagem na adolescência não iria ter sucesso esperado.

Faço tudo isso por vontade própria, como hobby. Mas é tudo tão fascinante que dá vontade de assinar a carteira profissional como proprietário de web rádio!

Quem sabe um dia…

E você, está pronto para colocar a sua rádio do ar e usar isso pra se conectar com pessoas que gostam e fazem música?

Para saber mais sobre a minha rádio


publicado em 25 de Junho de 2014, 19:28
92499f611c4d8d79a013d709255d1d2f?s=130

Márcio Finta

Apaixonado por música e riffs distorcidos. Ex-guitarrista de banda de garagem, metido a designer, usa a ONE RADIO ROCK para dominar o mundo. Apoia toda forma de arte underground e a cena rock independente. Está no Instagram e Facebook.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura