Consumismo aleatório: a forma mais criativa de gastar dinheiro com besteira

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo dorel jpg
  • Vivara130x50 jpg

É uma sensação muito boa. Chegar em casa e ter uma caixa te esperando. Uma encomenda, algo que tu comprou pela internet há alguns dias ou semanas e só chegou agora. Talvez tu nem lembre mais o que era, ou talvez já nem tenha unhas intactas de tanta ansiedade, mas de qualquer jeito é uma sensação muito boa.

Você chega em casa, abre a fita adesiva, tira aquilo da caixa. Algo que tu não tinha antes, agora tem. A magia do consumismo aquecendo seu coração.

Isso sempre foi alegria o suficiente para mim. Mas não para o programador Darius Kazemi.

Ele comprou este CD. Mas não escolheu.

Uma festa supresa para si mesmo

Programadores têm o superpoder de controlar computadores em seu nível mais fundamental. Com um pouco de criatividade, isso significa alterar o que é possível na própria vida real.

O conceito de uma festa surpresa para si mesmo é absurdo, já que obviamente não temos a capacidade de fazer algo sem saber que estamos fazendo aquilo. Logo, nunca seria uma surpresa.

Mas o que o amigo Kazemi fez é bem isso.

Ele programou um script que entra na Amazon.com e compra algo, sozinho. De início, ele quis fazer algo que visse o histórico de compras e a lista de desejos dele, então escolhesse algum produto dali, mas acabou se decidindo pela aleatoriedade. A Amazon é a maior loja online do mundo, com absolutamente todo tipo de coisa legal em estoque, e o script escolhe algo aleatoriamente. Compra. E ele recebe.

Imagina que coisa linda. Chegar em casa e ter alguma encomenda pra você, que você mesmo comprou, mas que você não faz a menor ideia do que possa ser! Será um CD? Um livro? Um pano de prato? Um pôster de algo que você nem conhece? Uma furadeira? Uma capinha de iPhone?

A única, e bem necessária, limitação do script é o preço: todo mês o cara coloca 50 dólares de crédito na conta do seu "experimento". O item é escolhido aleatoriamente, mas só é comprado se estiver dentro do orçamento.

No Tumblr Random Shopper ele dá mais detalhes do "projeto" e se comprometeu a escrever sobre os itens que receber. Esta, aliás, é uma das partes mais interessantes: ele realmente usa/assiste/lê/analisa as suas compras, e geralmente tira conclusões bastante inteligentes e perspicazes sobre suas aquisições aleatórias.

Ele comprou estes livros. Mas não escolheu.

Eu achei a ideia genial. Aos que o criticam por jogar dinheiro fora, ele se defende talvez da única forma realmente possível: "é arte". Há quem gaste 50 dólares por mês em pincéis, tintas e telas. Ele gasta com isso.

E quem vai dizer que está errado?


publicado em 13 de Dezembro de 2012, 16:25
File

Fabio Bracht

Toca guitarra e bateria, respira música, já mochilou pela Europa, conhece todos os memes, idolatra Jack White. Segue sendo um aprendiz de cara legal.\r\n\r\n[Facebook | Twitter]


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: