A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

Contra os abusos da publicidade infantil: projetos de lei serão votados hoje

Propagandas com crianças de 3 anos falando "Oi, pai, dá um Claro/Vivo/Oi/Tim pra mim?", sem saber direito o que estão fazendo, completamente exploradas e usadas. Anúncios que mexem com o imaginário infantil apenas para despertar impulsos consumistas que não trazem satisfação. Comerciais estimulando crianças a serem mimadas: "Peça para os seus pais, implore para eles".

Se você também fica perturbado com isso, fique de olho no site www.camara.gov.br pois os seguintes projetos de lei entram em votação hoje:


  • PL 4.440/2008 (de Celso Russomanno): "estabelece como abusiva a publicidade que possa induzir a criança a desrespeitar os valores éticos e sociais da pessoa e da família".

  • PL 4.315/2008: "aumenta a pena prevista em caso de divulgação de publicidade enganosa ou abusiva".

  • PL 6.693/2009: "dispõe sobre a proibição de publicidade nos meios de comunicação de produtos voltados ao público infantil em horários compreendidos entre 06:00 horas da manhã e 20:00 horas da noite".

Se você ainda não se tocou do tamanho do problema, assista ao documentário Criança, a alma do negócio (na íntegra online).


Triste ver as crianças preferindo comprar a brincar, shopping a praia. Ou respondendo a pergunta "Qual seu maior sonho?" com "Ah, eu queria comprar tudo" e "Eu queria morar num shopping". Triste: na parte 2 do documentário, elas reconhecem mais a marca de empresas do que fotos de animais!

(via @isabellaianelli)


publicado em 09 de Junho de 2010, 10:44
Gustavo gitti julho 2015 200

Gustavo Gitti

Professor de TaKeTiNa, colunista da revista Vida Simples, autor do antigo Não2Não1 e coordenador do lugar. Interessado na transformação pelo ritmo e pelo silêncio. No Twitter, no Instagram e no Facebook. Seu site: www.gustavogitti.com


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura