A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

Diabetes Tipo II + Artrose Bilateral + Lesão Meniscal

Seu aluno tem vários problemas. O primeiro e pior deles é a diabete do tipo II.

O caso de hoje é um bom exemplo de como os médicos fazem para analisar situações onde vários fatores precisam ser ponderados para o tratamento adequado do paciente.

Pergunta: ”Oi doutor, sou professora de educação e gostaria de saber como posso
ajudar um aluno que tenho do sexo masculino de 40 anos de idade, com
diabetes tipo II, artrose bilateral dos carpos e metacarpos e lesão meniscal
medial direito. Como auxilia-lo em uma escalada de 200 metros que faremos na
próxima semana?

Desde já aguardo sua resposta grata.”

Olá, Professora (não deixou seu nome)

escalada
Ele está subindo ou caindo?

Seu aluno tem vários problemas. O primeiro e pior deles é a diabete do tipo II. Ele precisa se cuidar, presumo que ele seja uma pessoa obesa, pois o diabete tipo II está ligado à resistência à secreção de insulina, esgotando as ilhotas beta do pâncreas, onde a insulina é produzida.

No diabetes tipo I, não há secreção de insulina, e o paciente precisa fazer suplementação. No tipo II, a perda de peso, associada a uma dieta hipoglicêmia e hipocalórica e possivelmente com o uso de antiglicemiantes orais pode resolver.

As conseqüências do diabetes para o organismo são inúmeras

O aumento da taxa de glicose no sangue promove lesões nos chamados órgãos alvo, tais como :

- Retinopatia, podendo levar à cegueira
- Microvasculopatias, levando à gangrena e amputações de extremidades (fato extremamente comum)
- Neuropatias, causando perda de sensibilidade em articulações e extremidades, principalmente no pé (a pessoa pode sofrer um ferimento e nem sentir, e isso pode gerar infecção e evoluir para a amputação deste).
-Nefropatia, levando em último caso, à insuficiência renal e necessidade de hemodiálise ou transplante.

É necessário controle constante dos níveis de glicemia sanguínea e monitorização de eventuais complicações.

Voltando ao caso do seu aluno, o exercício físico seria interessante para promover a perda de peso e ajudar no controle da glicemia, e a tal escalada poderia ser uma boa alternativa.

Aí é que esbarramos com a parte ortopédica do seu aluno

Não acredito que a artrose de carpos e metacarpos (para quem não entendeu, são ossos da mão) tenha relação com o quadro diabético. Sem maiores informações sobre histórico de traumatismos ou outras doenças reumáticas, ou sem uma radiografia para avaliar o grau da lesão, não posso dar maiores informações.

Mas como se trata de uma escalada amadora, suponho que as pernas serão utilizadas, nem tanto as mãos, portanto, não enxergo tanto problema.

Agora chegamos ao ponto chave da questão:

Lesão de menisco

menisco
Lesão meniscal não é brincadeira

Para quem não sabe, o menisco é uma estrutura cartilaginosa em forma de meia-lua que fica situada dentro do nosso joelho, sobre a superfície articular da tíbia. Sua função é aumentar a área de contato desta com o fêmur, fornecendo maior estabilidade à articulação. Em traumatismos do joelho, lesões meniscais podem ocorrer, e causam dor.

O diagnóstico é feito através de exame físico adequado (existem testes específicos para isso, como os de McMurray e de Appley), e pelo exame de ressonância magnética do joelho (se ele ainda não o fez, o diagnóstico de lesão meniscal é apenas presuntivo).

O problema da lesão meniscal é seu componente cartilaginoso. A cartilagem é composta de uma matriz amorfa de colágeno e contém células, porém, não é vascularizada, recebendo nutrição por difusão. O menisco até tem parte que recebe vascularização, mas é muito pequena.

Traduzindo: A lesão meniscal não se regenera. Como a dor é persistente (se houver), o tratamento é mediante artroscopia de joelho, procedimento cirúrgico onde se faz a retirada da lesão. Em alguns casos, pode ser feita a sutura por via artroscópica, mas não é a regra. Retirando-se a lesão, mesmo sem parte do menisco, a dor cessa e a pessoa volta a ter mobilidade indolor do joelho.

Sendo assim, a escalada pode agravar uma eventual lesão meniscal no seu aluno. E como existem outros fatores para serem levados em conta antes de se tomar a decisão de ressecar o menisco, sugiro uma consulta com médico ortopedista especialista em joelho, para melhor avaliação do caso.

Abraço e espero ter ajudado,

Dr Health, que coincidentemente há duas semanas atrás começou sua especialização em Cirurgia do Joelho.


publicado em 13 de Novembro de 2007, 09:19
7375567d0f2c379b7588ce618306ff6c?s=130

Mauricio Garcia

Flamenguista ortodoxo, toca bateria e ama cerveja e mulher (nessa ordem). Nas horas vagas, é médico e o nosso grande Dr. Health.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura